Arquivo da categoria: Pontos de Cultura Indígena

Centenário da Estrada de Ferro Madeira Marmoré e Virada Cultural

Image

Na ultima Segunda-feira (01) ocorreu na Estrada de Ferro Madeira Mamoré – EFMM, á festa de aniversário dos 100 anos deste património histórico, e de histórias ele é repleto. A Solenidade teve inicio às 6h com um maravilhoso show de fogos de artifícios, seguido de cinco minutos contínuo de sirene – a mesma que pode ser ouvida todos os dias na EFMM -, centenas de pessoas compareceram ao local de comemoração durante o dia todo, levando alegria, descontração, oferecendo e recebendo diversão. O ato Ecumênico ocorreu às 8h, e às 9h foram abertos os portões dos galpões, quem não conhecia se surpreendeu com as riquezas encontradas ali – tesouros (antigos e novos), artesanato, literatura, e peças de trem: assim, tudo ali para as pessoas verem.

No período da Tarde  houveram varias exposições, entre elas: Feira de Artesanato, Exposição Fotográfica e varal literário; em paralelo com esses ocorriam show musicais no Palco Madeira e um espaço “Contando a Historia da Madeira Mamoré”. No período noturno as apresentações continuavam com todo o vapor com shows musicais, apresentações de artistas regionais e uma deliciosa queima de cascata de fogos.

Image

Nesses cem anos houve muita mudança, em 1907 deram inicio as construções da ferrovia, com intuito de ligar a cidade de Porto Velho á Guajará-mirim, ambas as cidades do Estado de Rondônia. Com o tratado de Petrópolis, o Brasil adquiriu o Estado do Acre, foi necessário criar uma ponte sobre o rio madeira, para que pudesse ser rota de escoamento da borracha que vinha das matas bolivianas e brasileiras, por fim chegando a Porto Velho. 

Construir e manter as obras da Estrada de Ferro Madeira Mamoré foi um trabalho difícil, vários homens e mulheres perderam suas vidas nessa empreitada.  Os acidentes de trabalho eram constantes, em contra partida as doenças tropicais matavam milhares.

 A disputa entre colonizadores e índios se tornou algo constante, e a batalha territorial acirrada: massacre, genocídio generalizado, destruição irreversível de uma cultura primitiva – com fortes indícios de Guerra. Mas com passar dos anos, alianças foram estabelecidas, índios e colonizadores já não disputavam pela terra, trabalhavam em conjunto para o desenvolvimento regional.

 A Estrada de Ferro Madeira Mamoré, foi inaugurada no dia 1º de Agosto de 1912, isso á 100 anos atrás – como viemos salientando durante o texto, para que fique claro.

Image

O evento de ontem serviu para homenagear a EFMM, que tornou símbolo de luta, força de vontade e muita determinação.

 

Texto: Francisco Silva (https://www.facebook.com/SeekeOfMe)

Fotos: Filipe Freitas

Surui Workshop 2012 Training Agenda – Google Earth Outreach

 

 

Equipe de Coservação da Amazônia, a Gamebey e Google Earth Outreach realizam o “Surui Workshop 2012 Training Agenda” de cinco a oito de Maio na Associação Meitareilá do Povo Indígena Suruí que tem como metas ensinar o povo Suruí a mapear seus pontos de referência culturais em Spreadsheet Mapper 3,0.

O Fora do Eixo Rondônia esta acompanhando toda a programação da oficina, que utilizam as plataformas mais usadas pela rede Fora do Eixo e tem por finalidade serem os ingredientes para a criação de um mapa.  A abertura oficial contou com uma mesa de covidados composta por Almir Suruí (Chefe Maior Suruí), Rebecca Moore (Google), Francesco (Padre Franco, Prefeito do Município de Cacoal), Itabira Suruí (Representante do Parlamento Suruí), Naraími Suruí (Representante das Associações Suruí), Dinho Reis (Representante do Governo do Estado e Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer – SECEL) e Edimar Freire (Kanindé).

Durante a apresentação a Rebecca (Google) contou a história de como começou o contato da Google com o povo Suruí. Em 2007 o Almir Suruí apareceu na Google e explicou a situação de seu povo e território, mas em vez de pedir ajuda ele sugeriu uma parceria, que juntou a tecnologia da Google com a força da tribo Suruí.

Almir Suruí falou sobre a importância dessa tecnologia para tribo, em função de proteger seu território e contestá-lo quanto a sua ocupação. E sobre as ameaças ao planeta, que é uma luta comum da humanidade, são várias ações do ser humano que não estão sendo aceitas pelo planeta. Existe uma enorme necessidade de consciência do que as pessoas irão deixar para seus filhos e netos.  Uma das soluções para essas ameaças seriam geração de empregos com a economia verde. O povo Suruí está contribuindo com o desenvolvimento sustentável do município, estado e região, e a Google está levando essa mensagem em todos os continentes do mundo. Almir ainda falou sobre a tecnologia em favor da vida humana valorizando a cultura, os seus custos econômicos para chegar às aldeias e o objetivo de que a Google possibilite que a língua do povo Paiter tenha tradução.

A oficina terá continuidade dividindo os participantes em duas turmas, uma que ficará em sala aprendendo a utilizar as ferramentas online e outra que irá buscar informações, para montagem do mapa, com histórias, fotos e vídeos nas aldeias indígenas, que será feito no dia seguinte com todos os participantes. Na programação também haverá um espaço no terceiro dia (08 de Maio) para uma celebração e momento de trocas entre todos, finalizando o dia com um debate que é um preparatório da “Rio + 20” (Conferência das Nações Unidas) mostrando todo esse trabalho que está sendo feito para o Mundo.

Confira a programação completa:

Metas:

   * Ensinar os Suruí como mapear seus pontos de referência culturais em Spreadsheet Mapper 3,0

* Certifique-se o mapa é de 99,9% preenchido com os dados por isso estamos confiantes de que qualquer conteúdo restante será adicionado até 18 de Maio. O conteúdo precisa estar lá antes do Rio +20 . 15 tipos de ícone, 200 pontos;

* Ensinar Surui como usar a mídia (Google Earth , fotos, vídeos ) como uma plataforma boa narrativa .

Formadores:

Raleigh Seamster

Tanya Birch

Sean Askay

David Tryse

Participantes:

Federico (tradutor e jornalista)

Hebert (ECAM treinamentos)

20 Surui participantes

Local:

Laboratório de Computação da Metareila

Agenda:

Maio 3/4: Preparação Federico e Max e quaisquer outros tradutores sobre o conteúdo.

 Dia 1: 05 de maio

08:00-9:00 – Surui viagem via ônibus para Metareila localização oficina

Nove horas – 9:30 – Café da manhã

Dias: 9-12, 2-6

T = Técnicos

S = Indígenas e ajudantes

G = Grupo – todos os participantes

HA = Prática

9:00 – 10:00 G (Rebecca, Tanya)Objetivos da oficina. Visão geral sobre o que vamos aprender nos próximos 3 dias. O foco será sobre Surui Mapa Cultural. Apresentações de todos os participantes – por que você está interessado, o que você espera aprender e sair do treinamento. Pergunte Surui se tiverem idéias para contribuir todo o conteúdo do mapa.
10:00 – 11:00 G – HA (Raleigh)Visão geral do que estamos indo para aprender.Resumo Mapa Cultural (no GE)

Google Docs

Picasa

YouTube

Google Earth

11:00 – 12:00 G – HA (Tanya)Introdução a contas do Google e de partilha de dados na internetpovoindigenapaitersurui@gmail.com : paitersurui

Colocando dados em pen drives de armazenamento de dados (backup)

Conta, Noções básicas do Google

O acesso do público vs limitada através de produtos do Google

12:00 – 2:00 G Pausa para almoço
2:00 – 3:00 G (Tanya)
Divida em grupos técnicos : 8-12 pessoas técnicas de construção do Mapa Cultural , permanecendo os indígenas . Duas câmeras de ir a campo para coleta de foto.
3:00 S O grupo que construiu o mapa volta para terra indígena de ônibus? Transportar ?
2:00 – 3:00 T (Sean)Introdução ao Google SpreadsheetsEditando células , formatando

Compartilhamento e edição colaborativa

Desfazer, revisões

Introdução ao Mapper planilha

Conceito básico: publicar um arquivo KML a partir de uma planilha.

2:00 – 4:30 T (Raleigh, Tanya)MÍDIA FAIXA:Gerenciando fotos e vídeos

A utilização da câmera digital e transferir para o computador

Usando o Picasa para organizar fotos e vídeos no computador local (vs. online)

Como reduzir o tamanho do arquivo de mídia

Upload de fotos para Picasaweb (privado / público)

Carregar vídeos para o Picasaweb e / ou YouTube

Como obter URLs directos para fotos e vídeos para uso em Mapper planilha

4:30 – 5:00 G Discussão de coleta de dados sobre a noite

Logística: Jantar participantes permanecer no hotel durante a noite.

Dia 2: 06 de maio

08:00-9:00 – Surui viagem à oficina

Nove horas – 09:30 horas – café da manhã 

9:30 – 10:00 G (Tanya)Análise do treinamento de ontem
10:00 – 12:30 T (Sean, David)Passos simples para alterar as informações em um balão de marcador .Editar texto

Adicione uma foto

Adicionar um vídeo do YouTube

Publicar o novo mapa

Como ver o mapa no Google Earth e Maps

Noções básicas do Google Earth

Introdução, o que é o Google Earth

Anotação Google Earth

Salvar um arquivo KML

Enviar e-mail um arquivo KML (avançado : hospedá-lo em paiter.org ou docs Google

12:30 – 1:30 G Pausa para almoço
2:00 – 4:30 G Grupo retorna à formação, tendo coletado histórias. Equipes dados de entrada para o Mapa Cultural Surui em Português.
4:30 – 5:00 G Reveja o DiaPlano de introdução de informação Mais no dia 3

Logística: Jantar segue para todos. Os participantes permanecer no hotel durante a noite.

DIA 7: A celebração do (e talvez encontro alguns dados !)

 3 º Dia : 8 de maio

9:00 – 12:00 G Adicionar dados ao Mapa Cultural – Caminhão & Storytelling faixa TechieConcentre-se tempo com Hebert sobre o combate tópicos avançados
12:00 – 1:00 Almoço
1:00 – 3:00 G Surui na trilha vai ensinar outros membros da tribo sobre o que eles aprenderam. Surui na trilha vai contar e dar um exemplo de uma boa história
3:00 – 4:00 G Passeio de brainstorm (Raleigh & David )
4:00 – 4:30 G  Retornando para Seminário

Logística: Transporte leva todos os participantes de volta para as terras indígenas Suruí.

Conteúdo pasta de trabalho:

○        Introdução ao Google Spreadsheets

○         Editando células , formatando

○         Edição de compartilhamento e colaboração

○         Desfazer , as revisões

  • Mapas e Planilhas

○        Passos simples para alterar as informações em um balão de marcador.

○        ■ Editar texto

○        ■ Adicione uma foto

○        ■ Adicionar um vídeo do YouTube

○        ○ Como visualizar marcador no Google Earth e Maps

● As fotos e vídeos de Gerenciamento de:

○ Uso da câmera digital e transferir para o computador

○ Como usar o Picasa para organizar fotos e vídeos no computador local (vs. online)

○ Carregar fotos reduzidos para Picasaweb (privado / público)

○ reduzido vídeos para o Picasaweb e / ou YouTube

○ Como obter URLs directos para fotos e vídeos para uso em Mapper planilha

● Noções básicas do Google Earth

* Introdução, o que é o Google Earth

* ○ Anotação Google Earth

■ Adicionar um marcador

■ Editar texto do balão

■ Adicione uma foto dentro de um balão a partir da web ou de um álbum do Picasa

■ Adicionar um vídeo do YouTube

○ Salvar um arquivo KML

Referências:

Spreadsheet Mapper Tutorial 3,0

Google Spreadsheets Centro de Ajuda ( en & pt )

Cheatsheet : Atualização do Mapa Cultural Surui

● Passo -a-Passo Guia de adicionar conteúdo e editar conteúdo em Surui Cultural Mapa

○ Adicionando Placemark Dados

○ Adicionando uma foto do seu computador ou de um álbum da web do Picasa

○ A publicação da última versão do Mapa

○ Quem contactar se algo der errado

CARAVANA DA CIDADANIA E DIVERSIDADE CULTURAL

Aconteceu nesta quarta-feira, 18 de Abril, a Caravana da Cidadania e Diversidade Cultural no Teatro Banzeiros em Porto Velho. Realizada pela parceria do Governo do Estado Rondônia, por meio da Secretaria de Cultura, Esportes e Lazer, Fundação Iaripuna e a Secretaria da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura.

O evento contou com a presença da secretária da Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, Márcia Rollemberg, assim como também o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Francisco Leilson, o representante do Ministério da Cultura na Região Norte, Delson Cruz, gestores Fora do Eixo Rondônia fazendo a transmissão ao vivo e cobertura do evento, entre outras entidades, pontos de cultura, coletivos, artistas e produtores.

Antes que começassem as apresentações formais, houve apresentações culturais de alguns artistas e grupos locais, como a Bailarina da Praça que nos lembrou o dia do Livro Infantil, o Botôto com sua apresentação sensível de um beradêro, e o grupo Abadá Capoeira com uma roda emocionante dessa arte quilombola. A realização serviu para a Secretaria da Cidadania e Diversidade Cultural mostrar seus avanços no Brasil, com foco na região Norte, e também suas propostas como Governo Federal. Foi-se socializado o que cada governo havia conseguido realizar, e o que ainda está em planejamento. E nessa mesa de informações claras, os participantes também tiveram o direito de intervir fazendo perguntas e reivindicações, nas quais sempre se realçava o valor da cultura nortista e local. Seguindo essas reivindicações, a secretária Márcia fez questão de salientar a importância da matriz cultural africana e indígena de nossa região, e mostrou a vontade de abrir os caminhos para políticas públicas de cultura que possam ser mais abrangentes às realidades locais de beradeiros, quilombolas e indígenas.

Texto: Samuel Soares

Fotos: Neila Azevedo

I ENCONTRO DO CORREDOR TUPI MONDÉ

A Comissão Organizadora por meio da realização da Associação Metareilá do Povo Indígena Surui – Metareilá e Associação Defesa Entoambiental – Kanindé, convidou os gestores da Casa Fora do Eixo Rondônia, para participarem do I Encontro do Corredor Tupi Mondé, com a proposta de criação da Associação do Corredor Tupi Mondé e as estratégias para o plano de ação dos povos Indígenas Paiter, Cinta Larga, Zoró, Gavião e Arara.

Representando a Casa Fora do Eixo Rondônia e Associação Cultura e Arte Organizando o Social – C.A.O.S., o gestor Marcos Nobre Jr. foi ao encontro que ocorre dia 20 e 21 de fevereiro, no auditório da Associação Metareilá em Cacoal/RO, com uma programação de palestras expositivas, debates e proposituras.

O Encontro tem como objetivos, promover a discussão sobre a Gestão Etnoambiental e Cultural do Corredor Tupi Mondé. Uma iniciativa que visa construir entendimentos coletivos sobre a gestão do referido corredor, entre as etnias: Paiter Surui, Zóro, Cinta Larga, Gavião e estendendo participação da etnia Arara – que vive na Terra Indígena Igarapé Lourdes.

A parceria do Fora do Eixo com os pontos de cultura indigena de Rondônia tem muita força, e já firmaram o planejamento do ano, onde serão realizadas oficinas de comunicação comunitária, ministradas pelo Coletivo Cultura e Arte Organizando o Social, continuando um trabalho que traz força e tecnologia no modo de vida indigena.

Ao longo dos anos eles sofreram com doenças, exploração da madeira, desigualdade social. Tudo isso devido a falta de conhecimento, que hoje a partir dessas parcerias, desses encontros vem debatendo formas de melhorar isso, com o desenvolvimento de tecnologias dentro das aldeias, com utilização da internet, meios de comunicação, plataformas que visualizam formas de lutar e impedir esses  acontecimentos.

Programação Completa:

Programação do evento-tupi monde[1]