Arquivo mensal: maio 2012

Debate e Construção em Rede de Tecnologias Sociais e Políticas Culturais

A primeira das etapas das regionais do JUNTOS acontece no próximo dia cinco à oito de Junho em Porto Velho. O Fora do Eixo Rondônia, através da parceria do SESC e Kanindé, vão receber mais de 40 convidados, entre produtores, gestores e artistas de diversas regiões do Brasil, e também coletivos e pontos de cultura da Venezuela.

O JUNTOS Amazônia é um evento que demonstra a construção das articulações que o Fora do Eixo Rondônia vem fazendo através de uma relação de aproximação entre agentes culturais, produtores e parceiros. Para debater e construir em rede tecnologias sociais e políticas culturais. Um momento importante para a regional Norte compartilhar as experiências, com trocas e debates em um nivelamento e entendimento de oportunidades, soluções e atuações.

A proposta da programação do evento começa com uma apresentação dos Coletivos e Pontos de Cultura, que irão fazer uma troca de experiências e sistematização de ideias e ferramentas. Facilitando a conexão e o trabalho em rede, com temas que podem ser debatidos em um momento de reuniões livres.

Na abertura acontecerá o lançamento do Circuito Amazônico de Festivais, que debaterá a “Nova cara da música Independente”, servindo como pauta para o Seminário da Música Fora do Eixo que vai acontecer no dia sete de Junho. Construindo um diálogo sobre gestão de carreiras, festivais, micro-rotas, eventos, produções,  levantando pontos positivos e negativos.

Durante os outros dias os debates circularão entre as Frentes Mediadoras do Fora do Eixo, como o Partido da Cultura, Universidade Livre e o Banco Fora do Eixo. Com temas ligados às políticas públicas para a cultura, ferramentas de organização, formação, sistematização e difusão do conhecimento e também no debate e nivelamento sobre a Rio + 20, e a Integração Cultural e Política do Brasil e Venezuela.


Confira a Programação Completa:

05 de Junho –  Terça-Feira – Abertura JUNTOS

09h00 às 12h30 – Local – Centro Cultura/Formação Kanindé

  • [Credenciamento]

  • [Reunião Geral] Apresentação dos Coletivos e Pontos de Cultura e Proposta do Encontro

15h00 às 17h00 – Local – SESC (Quadra)

  • [Reuniões Livres]

15h00 às 17h00  – Local – Faculdade São Lucas  (Auditório)

  • [Evento integrado] Semana do Ativismo Verde – Palestra resíduos – PósTV

17h00 às 18h00 – Local – SESC (Espaço de Vivência)

  • [Programação Artística] CineCAOS, Banquinha de produtos e Discotecagem

  • [Intervenção Artística] “Uma Luz para o Mundo” – Bototo

20h00 às 22h00 – Local – SESC (Teatro 1)

  • [Cerimônial de abertura]

  • Lançamento do Circuito Amazônico de Festivais

  • A Nova Cara da Música Independente

  • PósTV

06 de Junho – Quarta-feira – Frentes Mediadoras (Universidade, Banco, Partido da Cultura)

Mesa #REGULACULTURA-RONDÔNIA

09h00 às 12h30 – Local – Centro Cultura/Formação Kanindé

  • [Universidade Livre Fora do Eixo] – Formação, organização, sistematização e difusão do conhecimento

15h00 às 17h00 – Local – SESC (Cine SESC)

  • [Banco Fora do Eixo] Ferramentas de organização, sistematização e captação de recursos

  • [Forúm de Economia Solidária] Bancos Comunitários, moeda social, Conta Comum

17h00 às 18h00 – Local – SESC (Espaço de Vivência)

  • [Programação Artística] CineCAOS, Banquinha de produtos e Discotecagem

  • [Intervenção Artística]

20h00 às 22h00 – Local – Palácio do Governo (Auditório)

  • [MESA REGULA CULTURA RONDONIA] Partido da Cultura e Políticas Públicas para a Cultura

  • [Encontro] Setorial de #RedesSociosCulturais

07 de Junho – Quinta-feira – Seminário da Música Fora do Eixo

09h00 às 12h30 – Local – Centro Cultura/Formação Kanindé

  • [Reunião geral da Música FdE] Avanços, Pontos Posítivos/Negativos

  • Tags #MusicaFdE #Abrafin #Festivais #F5 #Produções #Eventos #LeCaos

15h00 às 17h00 – Local – SESC (Cine SESC)

  • [Debate Música] Gestão de Carreiras, Agênciamento, Turnê, Micro-Rotas

  • Tags #Artísta Igual Pedreiro #Novas Possibilidades #Nova cara da música Brasileira

17h00 às 18h00 – Local – SESC (Espaço de Vivência)

  • [Programação Artística] CineCAOS, Banquinha de produtos e Discotecagem

  • [Feira de Trocas] Os participantes devem levar bens e/ou serviços para trocar. Valem de alimentos caseiros, roupas, livros e objetos usados , corte de cabelo, massagem e coisas fora do mercado formal.

  • [Intervenção Artística] “O CATADOR” – Bototo

20h00 às 22h00 – Local – SESC (Teatro 1)

  • [Debate Rio + 20]

08 de Junho – Sexta-feira – Coletivos + Pontos de Cultura

09h00 às 12h30 – Local – Centro Cultura/Formação Kanindé

  • [Integração Cultural e Política] Brasil e Venezuela

  • #AméricaLatína #Conexões

15h00 às 17h00 – Local – SESC (Quadra)

  • Reunião de Coletivos e Pontos de Cultura

  • #Parceria #Comunicação #Livre Conhecimento #Redes Sociais #Distribuição #Intercâmbio

17h00 às 18h00 – Local – SESC (Espaço de Vivência)

  • [Programação Artística] – CineCAOS, Banquinha de Produtos, Feira do Sol e Discotecagem

  • Intervenção Planeta Hospício – Bototo

20h00 às 22h00 – Local – SESC

  • Reuniao de Coletivos e Pontos de Cultura

  • #RedesemRede

21h30 às 00h00 – Local -SESC (Espaço de Vivência)

 

 

 

JUNTOS Amazônia

Economia criativa e artística, mercado cultural, tecnologia social, empreendedorismo, economia solidária e políticas públicas para a cultura.

O JUNTOS Amazônia, encontro de coletivos culturais do Acre, Rondônia, Amazônia, Amapá, Mato Grosso, Roraima e Venezuela, será sediado em Porto Velho/RO. De cinco a oito de Junho acontece uma das maiores ações do Circuito Fora do Eixo, com uma programação de mesas redondas, grupos de discussão e trabalho, reuniões livres e Shows.

O JUNTOS é o maior encontro presencial do Circuito Fora do Eixo, rede que conta com mais de 80 coletivos culturais e representantes em todos os Estados brasileiros, que fazem trocas de tecnologias e conhecimentos cotidianamente, decidindo e trabalhando em ações conjuntas através da internet e ferramentas colaborativas disponíveis neste meio, e é dividido em etapas regionais antes do encontro geral que acontece em dezembro.

Esse encontro presencial surgiu da necessidade de buscar mecanismos que aproximassem os coletivos e acelerassem o processo de construção de projetos e programas em comuns sendo esta a primeira edição das etapas regionais. Definindo diretrizes e metas em um momento de maior intensidade na troca de experiências da rede, nivelando temas e debates, contemplando as demandas dos Pontos da Rede Fora do Eixo e garantindo que a rede continue funcionando de forma  sistêmica, orgânica e rizomática.

O evento vai receber mais de 40 agentes culturais do norte e outras regiões do país, também fazendo a conexão Brasil e Venezuela. Com a participação de convidados e consultores para assessorar na capacitação técnica e conceitual de gestão empreendedora e de inovação, através da realização de debates, mesas e oficinas na área da cultura e seu arranjo produtivo local.

Durante a realização, os participantes terão acesso a uma programação voltada ao conceito de economia solidária, com realização de fórum, debates e feira de trocas. Todo o trabalho sendo traçado em ações em prol do ambiente de forma sustentável. Além disso haverá mostras de cinema, teatro, artes visuais e a  Noite Fora do Eixo de encerramento.

 

 

 

Exposição Coletiva de Maio 2012 – Rio Madeira

A Casa de Cultura Ivan Marrocos deu abertura a exposição “Rio Madeira”, na  sexta-feira (08 de Maio) que está acontecendo até o dia 21 de Maio. Essa é a segunda parte do evento que reuniu artistas para criar e construir obras de forma coletiva e colaborativa em uma oficina que acontece anualmente em Porto Velho.

Na abertura do evento os artistas que mostraram em suas obras o valor do Rio Madeira, também puderam falar em alto e bom tom para a população sobre a vitória em conseguir reunir vários artistas  consagrados, aqueles que ainda estão apenas começando, ou até mesmo quem participou dessa experiência tão rica, de produzir e conviver juntos para conceber essas obras de arte.

João Zoghbi artísta plástico e chargista, falou sobre o significado desse evento, contando que a “Coletiva de Maio fez com que os artistas trabalhassem melhor e saíssem da casca, de seu atelier, e viessem para o mundo mostrar seu trabalho de uma maneira mais simples e mais ousada, trazendo um crescimento espiritual e técnico muito grande, se diferenciando do super ego dos artistas, ficando nivelado e equilibrado. Ainda citou que foi fantástico fazer uma semana de trocas de experiências com todos os artistas e aqueles que estão aspirando serem artistas”.

O evento é uma realização do Governo do Estado através da Secretaria de Estado, Esporte, Cultura e Lazer – SECEL e Casa de Cultura Ivan Marrocos com apoio cultural do Fora do Eixo Rondônia.

Mostra Sesc Rondônia de Música Ano IX – O som do Apito do Trem

Entre os dias 7  e 11 de maio o SESC Rondônia vai apresentar a 9ª Edição da Mostra Rondônia de Música. Em 2012 a Mostra vai homenagear a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré pelo seu centenário. O evento contará com a apresentação de 25 músicos e grupos musicais locais e de outros estados que vão realizar shows, oficinas, palestras e workshops na unidade do SESC Esplanada, em Porto Velho.
Nesta edição, além dos cantores, instrumentistas e bandas de Porto Velho, o SESC vai receber profissionais de São Paulo, Rio de Janeiro e do Rio Grande do Norte.
A abertura (7 de maio), a partir das 19h, no Teatro do Sesc no palco 1 ‘Melodia da Fumaça’ com o show “Aldeia dos Sonhos do cantor e compositor Bado” e  no palco 2 ‘Ritmo do Trilho’ o show “Sambedoria com o artista Binho e grupo” respectivamente.
Os artistas locais que irão se apresentar na 9ª Mostra terão suas músicas inéditas gravadas em CD. O compêndio da Mostra será encaminhado para as demais regionais do SESC espalhadas por todo o país.
A Mostra é uma realização do Sistema Fecomércio Rondônia e SESC Rondônia, com apoio cultural da Escola de Musica Jorge Andrade e Fora do Eixo Rondônia.
Mais Informações (69) 3229-5882

 

 

 

Surui Workshop 2012 Training Agenda – Google Earth Outreach

 

 

Equipe de Coservação da Amazônia, a Gamebey e Google Earth Outreach realizam o “Surui Workshop 2012 Training Agenda” de cinco a oito de Maio na Associação Meitareilá do Povo Indígena Suruí que tem como metas ensinar o povo Suruí a mapear seus pontos de referência culturais em Spreadsheet Mapper 3,0.

O Fora do Eixo Rondônia esta acompanhando toda a programação da oficina, que utilizam as plataformas mais usadas pela rede Fora do Eixo e tem por finalidade serem os ingredientes para a criação de um mapa.  A abertura oficial contou com uma mesa de covidados composta por Almir Suruí (Chefe Maior Suruí), Rebecca Moore (Google), Francesco (Padre Franco, Prefeito do Município de Cacoal), Itabira Suruí (Representante do Parlamento Suruí), Naraími Suruí (Representante das Associações Suruí), Dinho Reis (Representante do Governo do Estado e Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer – SECEL) e Edimar Freire (Kanindé).

Durante a apresentação a Rebecca (Google) contou a história de como começou o contato da Google com o povo Suruí. Em 2007 o Almir Suruí apareceu na Google e explicou a situação de seu povo e território, mas em vez de pedir ajuda ele sugeriu uma parceria, que juntou a tecnologia da Google com a força da tribo Suruí.

Almir Suruí falou sobre a importância dessa tecnologia para tribo, em função de proteger seu território e contestá-lo quanto a sua ocupação. E sobre as ameaças ao planeta, que é uma luta comum da humanidade, são várias ações do ser humano que não estão sendo aceitas pelo planeta. Existe uma enorme necessidade de consciência do que as pessoas irão deixar para seus filhos e netos.  Uma das soluções para essas ameaças seriam geração de empregos com a economia verde. O povo Suruí está contribuindo com o desenvolvimento sustentável do município, estado e região, e a Google está levando essa mensagem em todos os continentes do mundo. Almir ainda falou sobre a tecnologia em favor da vida humana valorizando a cultura, os seus custos econômicos para chegar às aldeias e o objetivo de que a Google possibilite que a língua do povo Paiter tenha tradução.

A oficina terá continuidade dividindo os participantes em duas turmas, uma que ficará em sala aprendendo a utilizar as ferramentas online e outra que irá buscar informações, para montagem do mapa, com histórias, fotos e vídeos nas aldeias indígenas, que será feito no dia seguinte com todos os participantes. Na programação também haverá um espaço no terceiro dia (08 de Maio) para uma celebração e momento de trocas entre todos, finalizando o dia com um debate que é um preparatório da “Rio + 20” (Conferência das Nações Unidas) mostrando todo esse trabalho que está sendo feito para o Mundo.

Confira a programação completa:

Metas:

   * Ensinar os Suruí como mapear seus pontos de referência culturais em Spreadsheet Mapper 3,0

* Certifique-se o mapa é de 99,9% preenchido com os dados por isso estamos confiantes de que qualquer conteúdo restante será adicionado até 18 de Maio. O conteúdo precisa estar lá antes do Rio +20 . 15 tipos de ícone, 200 pontos;

* Ensinar Surui como usar a mídia (Google Earth , fotos, vídeos ) como uma plataforma boa narrativa .

Formadores:

Raleigh Seamster

Tanya Birch

Sean Askay

David Tryse

Participantes:

Federico (tradutor e jornalista)

Hebert (ECAM treinamentos)

20 Surui participantes

Local:

Laboratório de Computação da Metareila

Agenda:

Maio 3/4: Preparação Federico e Max e quaisquer outros tradutores sobre o conteúdo.

 Dia 1: 05 de maio

08:00-9:00 – Surui viagem via ônibus para Metareila localização oficina

Nove horas – 9:30 – Café da manhã

Dias: 9-12, 2-6

T = Técnicos

S = Indígenas e ajudantes

G = Grupo – todos os participantes

HA = Prática

9:00 – 10:00 G (Rebecca, Tanya)Objetivos da oficina. Visão geral sobre o que vamos aprender nos próximos 3 dias. O foco será sobre Surui Mapa Cultural. Apresentações de todos os participantes – por que você está interessado, o que você espera aprender e sair do treinamento. Pergunte Surui se tiverem idéias para contribuir todo o conteúdo do mapa.
10:00 – 11:00 G – HA (Raleigh)Visão geral do que estamos indo para aprender.Resumo Mapa Cultural (no GE)

Google Docs

Picasa

YouTube

Google Earth

11:00 – 12:00 G – HA (Tanya)Introdução a contas do Google e de partilha de dados na internetpovoindigenapaitersurui@gmail.com : paitersurui

Colocando dados em pen drives de armazenamento de dados (backup)

Conta, Noções básicas do Google

O acesso do público vs limitada através de produtos do Google

12:00 – 2:00 G Pausa para almoço
2:00 – 3:00 G (Tanya)
Divida em grupos técnicos : 8-12 pessoas técnicas de construção do Mapa Cultural , permanecendo os indígenas . Duas câmeras de ir a campo para coleta de foto.
3:00 S O grupo que construiu o mapa volta para terra indígena de ônibus? Transportar ?
2:00 – 3:00 T (Sean)Introdução ao Google SpreadsheetsEditando células , formatando

Compartilhamento e edição colaborativa

Desfazer, revisões

Introdução ao Mapper planilha

Conceito básico: publicar um arquivo KML a partir de uma planilha.

2:00 – 4:30 T (Raleigh, Tanya)MÍDIA FAIXA:Gerenciando fotos e vídeos

A utilização da câmera digital e transferir para o computador

Usando o Picasa para organizar fotos e vídeos no computador local (vs. online)

Como reduzir o tamanho do arquivo de mídia

Upload de fotos para Picasaweb (privado / público)

Carregar vídeos para o Picasaweb e / ou YouTube

Como obter URLs directos para fotos e vídeos para uso em Mapper planilha

4:30 – 5:00 G Discussão de coleta de dados sobre a noite

Logística: Jantar participantes permanecer no hotel durante a noite.

Dia 2: 06 de maio

08:00-9:00 – Surui viagem à oficina

Nove horas – 09:30 horas – café da manhã 

9:30 – 10:00 G (Tanya)Análise do treinamento de ontem
10:00 – 12:30 T (Sean, David)Passos simples para alterar as informações em um balão de marcador .Editar texto

Adicione uma foto

Adicionar um vídeo do YouTube

Publicar o novo mapa

Como ver o mapa no Google Earth e Maps

Noções básicas do Google Earth

Introdução, o que é o Google Earth

Anotação Google Earth

Salvar um arquivo KML

Enviar e-mail um arquivo KML (avançado : hospedá-lo em paiter.org ou docs Google

12:30 – 1:30 G Pausa para almoço
2:00 – 4:30 G Grupo retorna à formação, tendo coletado histórias. Equipes dados de entrada para o Mapa Cultural Surui em Português.
4:30 – 5:00 G Reveja o DiaPlano de introdução de informação Mais no dia 3

Logística: Jantar segue para todos. Os participantes permanecer no hotel durante a noite.

DIA 7: A celebração do (e talvez encontro alguns dados !)

 3 º Dia : 8 de maio

9:00 – 12:00 G Adicionar dados ao Mapa Cultural – Caminhão & Storytelling faixa TechieConcentre-se tempo com Hebert sobre o combate tópicos avançados
12:00 – 1:00 Almoço
1:00 – 3:00 G Surui na trilha vai ensinar outros membros da tribo sobre o que eles aprenderam. Surui na trilha vai contar e dar um exemplo de uma boa história
3:00 – 4:00 G Passeio de brainstorm (Raleigh & David )
4:00 – 4:30 G  Retornando para Seminário

Logística: Transporte leva todos os participantes de volta para as terras indígenas Suruí.

Conteúdo pasta de trabalho:

○        Introdução ao Google Spreadsheets

○         Editando células , formatando

○         Edição de compartilhamento e colaboração

○         Desfazer , as revisões

  • Mapas e Planilhas

○        Passos simples para alterar as informações em um balão de marcador.

○        ■ Editar texto

○        ■ Adicione uma foto

○        ■ Adicionar um vídeo do YouTube

○        ○ Como visualizar marcador no Google Earth e Maps

● As fotos e vídeos de Gerenciamento de:

○ Uso da câmera digital e transferir para o computador

○ Como usar o Picasa para organizar fotos e vídeos no computador local (vs. online)

○ Carregar fotos reduzidos para Picasaweb (privado / público)

○ reduzido vídeos para o Picasaweb e / ou YouTube

○ Como obter URLs directos para fotos e vídeos para uso em Mapper planilha

● Noções básicas do Google Earth

* Introdução, o que é o Google Earth

* ○ Anotação Google Earth

■ Adicionar um marcador

■ Editar texto do balão

■ Adicione uma foto dentro de um balão a partir da web ou de um álbum do Picasa

■ Adicionar um vídeo do YouTube

○ Salvar um arquivo KML

Referências:

Spreadsheet Mapper Tutorial 3,0

Google Spreadsheets Centro de Ajuda ( en & pt )

Cheatsheet : Atualização do Mapa Cultural Surui

● Passo -a-Passo Guia de adicionar conteúdo e editar conteúdo em Surui Cultural Mapa

○ Adicionando Placemark Dados

○ Adicionando uma foto do seu computador ou de um álbum da web do Picasa

○ A publicação da última versão do Mapa

○ Quem contactar se algo der errado

[MúsicaFdE] Dub da Lata a caminho do Pará Roots

Positividade, sabedoria e verdade, evolução da consciência coletiva, humildade, união, amor e respeito são expressões cantadas e tocadas ao ritmo do reggae da banda Dub da Lata, banda criada em junho de 2011 na cidade de Porto Velho – RO. A banda vem trabalhando firme e forte desde sua criação.

Fizeram recentemente o lançamento de dois singles “Cabeça Ativa” e “Escravos do Capitalismo” através do Estúdio LeCaos. Com uma agenda cheia na cidade este mês, a trupe está fazendo os pré-shows  da segunda edição do Festival Pará Roots no dia 19 de Maio. Sendo uma das bandas convidadas a fazer parte da programação de mais de 20 atrações independentes do reggae paraense e de outros estados.

O Projeto

O idealizador do projeto, guitarrista, vocalista e compositor Romulo Oliveira vem trabalhando o reggae no Brasil desde 2003 e quer usar sua experiência para dar a real sensação ao ouvinte de estar prestigiando o reggae da forma como foi criado nos guetos da Jamaica. Romulo foi convidado como guitarrista de apoio de “Ki Many Marley” (filho de Bob Marley) em um show que aconteceu em Goiânia em 2006 juntamente com a banda californiana Groundation; abriu shows de bandas consagradas como “The Original Wailers” (banda que acompanhou Bob Marley) – show que aconteceu em 2009, “The Gladiators” (Jamaica) em 2008, entre outras bem como de várias bandas nacionais como “Ponto de Equilíbrio” (RJ), “Planta e Raiz” (SP), “Brasucas” (DF) entre outras. Sua influência vem dos jamaicanos Bob Marley, Clinton Fearon, The Gladiators, Israel Vibration, IJahMan, Don Carlos, Mid Night (Austrália), Steel Pulse (Inglaterra)… Desde sua criação a banda tem se apresentado em diversos pubs e festivais de Porto Velho com ótima aceitação pelo publico, que conta com somente duas bandas de reggae na cidade.

A Banda

A banda conta com experientes músicos do cenário portovelhense que promovem a cultura dentre outras formas veiculados pela Casa Fora do Eixo Rondônia, e hoje Dub da Lata é: Romulo Oliveira – Vocal e Guitarra Diego Bentes – Vocal Luis Paulo Pinheiro – Baixo Iago Botti – Bateria Jeferson Almeida – Teclado Cleyton Lira – Percussão.

O público alvo da banda Dub da Lata são pessoas que querem conciliar a diversão com crescimento cultural, haja vista que o reggae, da maneira como foi criado, traz letras fortes de cunho sócio-politico-religioso, além das que falam da natureza e do amor universal, de uma forma leve como em seu ritmo.

Links:

http://soundcloud.com/dubdalata

https://www.facebook.com/bandadubdalata

Fotos: Meryelle Oliveira

[UniFdE] Oficina “Coletiva de Maio 2012”

A Casa de Cultura Ivan Marrocos abriu as portas para a abertura da “Coletiva de Maio” (27 de Abril), evento anual realizado pelo Governo de Rondônia através da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer – SECEL. Neste ano está acontecendo em parceria com a Universidade Livre Fora do Eixo (UNIFdE) e o Núcleo de Poéticas Visuais Fora do Eixo em Rondônia.

Reunindo diferentes artistas que trabalharão em coletivo por uma semana (27 a 04 de Maio), criando e vivenciando esta experiência. O tema da oficina este ano é o “Rio Madeira” e a conversa inicial se deu em uma apresentação de todos participantes, que foram sugerindo e debatendo ideias, discutidas como critério para a criação das obras de forma coletiva e a escolha das Obras que estarão em exposição (08 a 21 de Maio).

A ideia é trabalhar com a inspiração do Rio e de tudo que ele envolve, desde seu barranco, os beradeiros, barcos, pesca, a cultura e todas as questões em que ele se encontra ultimamente. Os materiais usados seguem o mesmo conceito, os artistas decidiram trabalhar as obras de artes utilizando-se do papel como matéria prima e o Rio Madeira como o tema central da oficina. Fazendo a reutilização, minimizando o que corriqueiramente vai tem seu destino final nas margens ou no próprio rio, colaborando com o meio ambiente e preservando essa natureza.