Arquivo mensal: agosto 2012

Semana do Audiovisual Rondônia

No próximo final de semana de 17 a 19 de Agosto, o Coletivo Interior Alternativo e Casa Fora do Eixo Rondônia com apoio da Fundação Cultural de Ji-Paraná e Secretaria de Esporte, Cultura e Lazer – SECEL realizam em Ji-Paraná à primeira Semana do Audiovisual Rondônia. A SEDA faz parte de um festival integrado em todo o Brasil, com mostras, oficinas teóricas e práticas, conferências, debates, shows e outras atividades responsáveis por promover a intersetorialidade do audiovisual com outros segmentos artísticos.

 Até 2009 a SEDA era realizada apenas na cidade de Cuiabá – MT e em 2011, o evento expandiu-se para outras regiões do país, sendo realizado em 30 cidades diferentes e tornando-se um evento nacional integrado realizado pelo Fora do Eixo, uma rede de trabalho de coletivos e agentes culturais.

 A programação nessa edição abraçou a cultura local e regional com um dia de apresentações, shows, mostras e exposições que acontecem no primeiro dia (17) ao centro da Praça do Teatro Dominguinhos, fazendo abertura e lançamento da primeira Semana de Audiovisual em Rondônia. Além disso, o evento abre inscrições para as oficinas de formação (18 e 19) e espaço para debates sobre Políticas Públicas para a Cultura e cadeia criativa e produtiva do audiovisual com a presença de Marcos Aurélio Nobre Jr. – Gestor da Casa Fora do Eixo Rondônia e Conselheiro Municipal do Audiovisual em Porto Velho.

 O evento se posta como sendo palco de discussões sobre o desenvolvimento do mercado e da produção audiovisual independente, fomentando a circulação de agentes e produtos culturais, intercambiando oficineiros, produtores e mostras que possibilitam crescimento cultural e avanço expansivo de novas artes.

Programação completa:

Sexta (17) Teatro Dominguinhos – 18h00

Projeções, Exposições, Apresentações e Shows

 Orquestra em Ação – Orquestra Sinfônica de Ji-Paraná

Quarteto Uirapuru

Quarteto em Dó

Trio Tríade

Coral da Paz

Diego Alves

Jéssica Brunn

Comunidade Manoa (Porto Velho)

 Sábado (18) UNOPAR – 09h00 às 12h00 – 14h00 às 17h00

– Oficina Pós-TV – Transmissão de um programa de TV aberto e livre, transmitido ao vivo na web.

Domingo (19) UNOPAR – 09h00 às 12h00 – 14h00 às 17h00

– Oficina Cinema de Guerrilha – Introdução ao Cinema de Guerrilha, apresentando produções de baixo custo, valorizando processos criativos e inventivos.

– Roda de Debates – Desenvolvimento de Políticas Públicas e Conselho Municipal do Audiovisual.

Faça sua inscrição para as oficinas aqui:

Inscrições

Anúncios

Centenário da Estrada de Ferro Madeira Marmoré e Virada Cultural

Image

Na ultima Segunda-feira (01) ocorreu na Estrada de Ferro Madeira Mamoré – EFMM, á festa de aniversário dos 100 anos deste património histórico, e de histórias ele é repleto. A Solenidade teve inicio às 6h com um maravilhoso show de fogos de artifícios, seguido de cinco minutos contínuo de sirene – a mesma que pode ser ouvida todos os dias na EFMM -, centenas de pessoas compareceram ao local de comemoração durante o dia todo, levando alegria, descontração, oferecendo e recebendo diversão. O ato Ecumênico ocorreu às 8h, e às 9h foram abertos os portões dos galpões, quem não conhecia se surpreendeu com as riquezas encontradas ali – tesouros (antigos e novos), artesanato, literatura, e peças de trem: assim, tudo ali para as pessoas verem.

No período da Tarde  houveram varias exposições, entre elas: Feira de Artesanato, Exposição Fotográfica e varal literário; em paralelo com esses ocorriam show musicais no Palco Madeira e um espaço “Contando a Historia da Madeira Mamoré”. No período noturno as apresentações continuavam com todo o vapor com shows musicais, apresentações de artistas regionais e uma deliciosa queima de cascata de fogos.

Image

Nesses cem anos houve muita mudança, em 1907 deram inicio as construções da ferrovia, com intuito de ligar a cidade de Porto Velho á Guajará-mirim, ambas as cidades do Estado de Rondônia. Com o tratado de Petrópolis, o Brasil adquiriu o Estado do Acre, foi necessário criar uma ponte sobre o rio madeira, para que pudesse ser rota de escoamento da borracha que vinha das matas bolivianas e brasileiras, por fim chegando a Porto Velho. 

Construir e manter as obras da Estrada de Ferro Madeira Mamoré foi um trabalho difícil, vários homens e mulheres perderam suas vidas nessa empreitada.  Os acidentes de trabalho eram constantes, em contra partida as doenças tropicais matavam milhares.

 A disputa entre colonizadores e índios se tornou algo constante, e a batalha territorial acirrada: massacre, genocídio generalizado, destruição irreversível de uma cultura primitiva – com fortes indícios de Guerra. Mas com passar dos anos, alianças foram estabelecidas, índios e colonizadores já não disputavam pela terra, trabalhavam em conjunto para o desenvolvimento regional.

 A Estrada de Ferro Madeira Mamoré, foi inaugurada no dia 1º de Agosto de 1912, isso á 100 anos atrás – como viemos salientando durante o texto, para que fique claro.

Image

O evento de ontem serviu para homenagear a EFMM, que tornou símbolo de luta, força de vontade e muita determinação.

 

Texto: Francisco Silva (https://www.facebook.com/SeekeOfMe)

Fotos: Filipe Freitas