Arquivo da categoria: 2012

Concurso Logotipo Psicologia-UNIR

O Centro Acadêmico de Psicologia – CAPSI-UNIR abre inscrições para alunos, professores e interessados em participar do Concurso de criação do Logotipo oficial de Psicologia da UNIR.

Os participantes serão avaliados com base na criatividade, originalidade, comunicação, aplicabilidade e elegibilidade da criação. Acesse o regulamento http://bit.ly/Tzawyp

O Vencedor vai receber o prêmio de um celular de 3 chips, um Book fotográfico e um Almoço com acompanhante.

Faça inscrição pelo link: http://bit.ly/Ytj0IM

CARTAZ UNIR FINALIZADO (1)

Anúncios

I Encontro Estadual dos Corredores Etnoambientais do Estado de Rondônia

I CORREDOR ETNOAMBIENTAL

Associação de Defesa Etnoambiental – Kanindé e a Secretaria de Desenvolvimento Ambiental – SEDAM, realizam nos dias 18 e 19 de Dezembro o I Encontro Estadual dos Corredores Etnoambientais do Estado de Rondônia – Construindo a Política Estadual de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais.

O encontro começa a partir das oito (08) horas no Rondon Palace Hotel e conta com a participação do do Sr. Confúcio Ayres Moura – Governador do Estado de Rondônia, Nancy Maria Rodrigues – SEDAM, Almir Narayamoga Suruí – Comitê Nacional de Política Indigenista, Marcos Apurinã – COIAB, Israel Vale – Kanindé e Edjales Benício de Brito – GTA.

Na programação serão debatidos as Perspectivas para implantação das Áreas Protegidas em Rondônia e Política Estadual de Desenvolvimento Sustentável de Povos e Comunidades Tradicionais de Rondônia. Além da constituição de Grupos de Trabalho (Indígenas, Extrativistas e Quilombolas) que fazem parte dos procedimentos metodológicos para fazer a construção do documento da PEPCT.

Programação:

18/12/2012

Manhã:

80:00 – Abertura Solene (cerimonial)

Mesa de Abertura

1. Governador do Estado de Rondônia- Sr. Confúcio Ayres Moura;

2. Secretária da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental-SEDAM-

Srª Nanci Maria Rodrigues;

3. Representante do Comitê Nacional de Política Indigenista-

Sr. Almir NarayamogaSuruí-LabiuayEsaga do Povo Indígena Paiter Suruí;

4. Representante da FUNAI – Joel Oronao;

5. Coordenador Geral da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira- COIAB – Sr. Marcos Apurinã;

6. Coordenador Geral da Kanindé – Israel vale;

7. Representante do GTA- Edjales Benício de Brito.

09:00 – Coquetel

10:00 – Corredores Etnoambientais em Rondônia

Palestrante: Ivaneide Bandeira-Conselheira da Kanindé

Almir Narayamoga Suruír

10:30 – Debate

11:00 – Mesa Redonda “Perspectivas para Implementação das Áreas Protegidas em Rondônia”.

Palestrante: SEDAM/ICMBIO/IBAMA/INCRA E FUNAÍ

11:30 – Debate

12h – Almoço

Tarde

14:00 Política Estadual de Desenvolvimento Sustentável de Povos e Comunidades Tradicionais de Rondônia.

Palestrante: Nanci Rodrigues – Secretária da SEDAM.

14:30 – Debate

15:00 – Lanche

15:30 – Lançamento do Prêmio Cultura Indígena.

Responsável: MINC.

16:30 – Constituição dos Grupos de Trabalho: (Indígenas, extrativistas e quilombolas)

Procedimentos metodológico – Edjales Benício – GTA-RO.

17:00 – Encerramento.

19/12/2012

Manhã:

08:00 as 12:00 – Grupos de Trabalho: (Indígenas, extrativistas e quilombolas)

Analise e sugestões para o texto da PEPCT.

10:00 as 10:30 – Intervalo (Lanche)

12:30 – almoço

Tarde:

14:00 as 17:00 – Plenária final.

17:00 – Lanche

 

O lançamento do Estúdio Floresta Sonora marcou o quarto dia de programação do Festejo BeradeRO 20 anos de Kanindé.

Durante o final da oficina de Home Studio, aconteceu o lançamento do estúdio Floresta Sonora que faz parte do programa de formação que promove a inclusão de jovens indígenas no meio social e digital. A inauguração emocionou a todos que acompanharam o processo de construção fazendo deste um dia muito especial para toda equipe da Kanindé.

Na oficina estiveram presentes os oficineiros e viventes participando e assistindo a uma apresentação musical e instrumental em conjunto com o grupo Comunidade Manoa. O arranjo foi produzido, mixado e editado,  onde todos  interagiram muito bem e conseguiram assimilar o estudo participando inclusive na prática.

Ocorreu também  uma oficina de grafite feita pelo artista plástico Botôto e demais participantes, onde todos deixaram sua marca na Kanindé expressando seus sentimentos e a forma como todos enxergavam a cultura neste evento, inclusive Neidinha fundadora da Kanindé.

Posteriormente teve uma solenidade em que cada um contou um pouco de suas experiências e vivência no festejo, a forma em que todos interagiram, Neidinha disse estar orgulhosa da aliança formada e agradeceu a todos em especial ao fora do eixo.

Caio Mota (Gestor da Casa Fora do Eixo Amazônia) enfatizou a coletividade, reciprocidade e o quão maravilhoso é todos estarem  fazendo parte de um mesmo processo.

Ao falar sobre as bandas que se apresentarão no evento Botôto diz adorar as música do Comunidade Manoa, e que só não rebola quem é aleijado, já o Dj Raffa disse que Manoa transcedeu o rapp e que pretende como proposta explorar em forma de trabalho a sonoridade da floresta envolvendo a todos que estão ligados com o Festejo BeradeRO.

Kanindé, Fora do Eixo e MHF investem em formação no terceiro dia da programação do Festejo BeradeRO 20 anos de Kanindé

O terceiro dia de programação do Festejo Beradero – 20 anos de Kanindé pautou fortemente a formação em sua programação, com o dia repleto de oficinas, o festival integrou ativistas ambientais interessados no denvolvimento de projetos de redução das emissões de carbono com a “Oficina de Elaboração de Projetos de REDD+”, na Unir-Centro, ministrada por Pedro Soares e Heberton de Barros. A abertura focou as mudanças climáticas e a importância do REED para a melhora desse quadro alarmante, além de falar-se também sobre os acordos internacionais envolvendo desmatamento e os projetos que visam combatê-lo.

Um dos pontos principais da oficina, foi a apresentação do Estudo de caso “Projeto Carbono Florestal Suruí- PCFS”, seguido de um debate, onde houve uma interação entre palestrantes e plateia. Aspectos ambientais, culturais, sociais e políticos foram abordados simultaneamente, englobando o problema e possíveis soluções que estão surgindo. O projeto de REED, está sendo amplamente difundido e vem sendo uma alternativa de tentar sanar esse problema que vem agravando-se gradativamente.

Outro foco no terceiro dia do festival foram os profissionais e amantes da música interessados no formato de estúdio caseiro na oficina ministrada pelo DJ Raffa na sede da Kanindé. A associação, através do programa de cultura digital, está somando esforços com os pontos de cultura Hurukunê-Wao  e Metareilá, que visam a formação e integração de jovens indígenas em tecnologias sociais e digitais para a implementação do estúdio. O Floresta Sonora (financiado pela Fundação Betty and Gordon Moore Foundation) é mais uma tecnologia social, desenvolvida pela kanindé, que estimula a produção musical desses jovens índigenas e sua inauguração será ao final da oficina.

Pessoas interessadas no processo da comunicação colaborativa, tecnologia utilizada para a cobertura do festival e que torna o processo de comunicação mais orgânico valendo-se da complexidade de olhares dos envolvidos com a cobertura, também foram contemplados na programação do terceiro dia. A cobertura, que já está acontecendo durante toda a programação do evento, prevê o envolvimento dos participantes para fazer fotos, vídeos e textos através de plataformas como as redes sociais na web. Através das trocas de conhecimento a construção da narrativa do evento acontece de forma totalmente colaborativa.

O Festejo Beradero – 20 anos de Kanindé prossegue suas atividades com a continuação das oficinas de estúdio caseiro e comunicação colaborativa.

Oito Dias de Programação – Festejo BeradeRO 20 anos de Kanindé

Festejo BeradeRO – 20 anos de Kanindé realiza oito dias de programação, integrando Formação, Cultura e Meio Ambiente.

De 19 a 26 de Novembro, Porto Velho (RO) vai receber artistas, produtores, jornalistas e ambientalistas para fazer parte de sua programação através de oficinas, debates, rodas de conversas, cinema, exposições e shows.

O evento é uma realização da Kanindé, Fora do Eixo e Movimento Hi-Hop da Floresta com o intuito de apresentar à população o trabalho de 20 anos que a Kanindé acumulou em gestão etnoambiental em territórios indígenas.

Edital de Vivência Festejo BeradeRO – 20 anos de Kanindé – Porto Velho/RO

O campus temporário da Universidade Fora do Eixo abre inscrições para vagas de vivências em Porto Velho/RO. Os interessados podem se inscrever nas áreas de produção e comunicação com foco nas áreas de Assistência de produção de Palcos e Apoio de Roadie, Assessoria de Comunicação Digital  e Apoio na Coordenação do Transporte, Alimentação e Hospedagem.

O período de vivência acontece de 15 a 25 de Novembro onde os selecionados participarão de metodologias não grade além de atividades de integração e formação livre como Conversas Infinitas, Vivências, Debates, Oficinas e muita programação cultural durante o Festejo BeradeRO.

O Festival BeradeRO – 20 anos de Kanindé é uma realização da Casa Fora do Eixo Rondônia, Casa Fora do Eixo Amazônia, Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé e Movimento Hip-Hop da Floresta. Integrado ao Circuito Amazônico de Festivais Independentes e a Rede Brasil de Festivais Independentes. As atividades de formação contam com o reforço da Universidade Fora do Eixo, Universidade livre da Cultura e Cultura de Red.

As inscrições já estão abertas! Elas são gratuitas e indicadas a todos os interessados. Leia o Edital completo e preencha o Formulário de Inscrição.

Festejo BeradeRO 2012 – 20 Anos de Kanindé

Conhecimento Livre, Artes Integradas & Meio Ambiente

Festejo BeradeRO acontece nos dias 19 a 26 de Novembro em Porto Velho. O evento é uma realização do Fora do Eixo Rondônia, Rede Hip-Hop da Floresta e Associação Etnoambiental Kanindé. Com o intuito de apresentar à população sobre o trabalho de 20 anos que a Kanindé acumulou em gestão etnoambiental em territórios indígenas.

O Festejo visa fomentar e qualificar o debate em torno da produção cultural, estimulando práticas de desenvolvimento econômico, social e ambiental, através de oficinas de formação, mesas de debate e palestras; além de agregar valor artístico com a realização de shows, intervenções poéticas, espetáculos de teatro, exibição de filmes, documentários e exposição fotográfica.

“20 anos de caminhada em prol dos povos indígenas por um mundo melhor”, afirmou Edjales Benício, Gerente de Atuação Política e Fiscalizadora da Kanindé.

“Essa é uma oportunidade da população entender melhor sobre as questões que estão envolvidas diretamente na nossa vida, o meio ambiente. O Festejo BeradeRO é um espaço de conhecimento sobre a riqueza amazônica tanto em suas florestas, como em sua diversidade cultural, e faz uma amostra de suas expressões e gêneros artísticos contribuindo para a difusão de novos talentos”, afirma Neila Azevedo, Gestora da Mídia, da Casa Fora do Eixo Rondônia.

O espaço de formação do Festival acontece em parceria com a Universidade Livre Fora do Eixo e Universidade da Cultura Livre – UniCult, que abre inscrições para o edital de vivência para formação de agentes culturais, nas áreas de produção e comunicação que acontecem de 15 a 25 de Novembro.

A vivência acontecerá em um ambiente coletivo, que utiliza os conceitos da economia criativa e solidária, proporcionando intensas trocas de experiências, linguagens e conhecimentos. Além disso, serão abertas as inscrições para as oficinas, debates e palestras que envolvem temas como meio ambiente, políticas públicas da cultura e produção musical, que acontecem nos dias 21 e 22 de Novembro, no Centro de Formação e Cultura Kanindé.

Nos dias 23 e 24 de Novembro acontecem as intervenções artísticas. O Festival busca resgatar e fortalecer a cultura dos povos indígenas e comunidades tradicionais, com uma programação de artes integradas, através do intercâmbio entre os artistas de diversas regiões da Amazônia brasileira. O Festejo faz parte do Circuito Amazônico de Festivais, que conecta festivais de perfis distintos que mostram a diversidade cultural da região amazônica em seus diversos contextos e cenários. Esse espaço  estimula a produção cultural e  promove a difusão de novos talentos em diversas linguagens artísticas.

“Uma afirmação da cultura beradera valorizando os povos tradicionais da floresta nesta primeira edição do Festejo, é uma marco de valorização da cultura Beradera”, comentou Rafael Altomar Gestor da Casa Fora do Eixo Rondônia.

O Festejo BeradeRO faz parte de uma rede de festivais com uma proposta que vai além da difusão cultural e que integra a participação da população na tomada de decisões que envolvem a economia urbana preservando os recursos naturais, o correto ordenamento do território, a mobilidade urbana, o clima mundial, a conservação da biodiversidade, entre outros aspectos relevantes para o ser humano.

Um pouco sobre as Instituições realizadoras do Festejo

Fundada em 15 de Novembro de 1992, por um grupo de pessoas que trabalhavam com o povo indígena Uru-eu-wau-wau e na defesa do meio ambiente em Rondônia, a Kanindé  se tornou uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP, sem fins lucrativos, que se destaca por suas ações de vigilância, fiscalização e diagnóstico etnoambiental participativo em terras indígenas. Em 2012 a Associação completa 20 anos de trabalhos desenvolvidos através de projetos que protegem a Amazônia e defendem os direitos Indígenas.

O Fora do Eixo Rondônia, faz parte de uma rede de Rede de trabalho, colaborativa e distribuida, constituída por mais de 100 pontos presentes nos 26 estados do país, o Fora do Eixo. A rede vem desenvolvendo um trabalho em Rondônia, estimulando a criação de novos coletivos para o fomento e difusão da cadeia criativa cultural, gerando novos produtores e artístas. Além disso, funciona como um laboratório de construção e sistematização de tecnologias sociais, em áreas como a comunicação, financeiro, articulação e linguagens artísticas.

O Movimento Hip-Hop da Floresta é um movimento popular, contracultural, Socioambiental em defesa de uma sociedade Socialista e ecologicamente correta de fortalecimento da Identidade Amazónica. Uma referência para a juventude de Porto Velho e da Amazónia, o movimento fortalece as lutas de classes, direitos humanos, econômico, social e ambiental e contribui para construir auto-estima e empoderar a classe trabalhadora, defendendo e cooperando nas lutas dos povos indígenas e ribeirinhos.

Semana do Audiovisual Rondônia

No próximo final de semana de 17 a 19 de Agosto, o Coletivo Interior Alternativo e Casa Fora do Eixo Rondônia com apoio da Fundação Cultural de Ji-Paraná e Secretaria de Esporte, Cultura e Lazer – SECEL realizam em Ji-Paraná à primeira Semana do Audiovisual Rondônia. A SEDA faz parte de um festival integrado em todo o Brasil, com mostras, oficinas teóricas e práticas, conferências, debates, shows e outras atividades responsáveis por promover a intersetorialidade do audiovisual com outros segmentos artísticos.

 Até 2009 a SEDA era realizada apenas na cidade de Cuiabá – MT e em 2011, o evento expandiu-se para outras regiões do país, sendo realizado em 30 cidades diferentes e tornando-se um evento nacional integrado realizado pelo Fora do Eixo, uma rede de trabalho de coletivos e agentes culturais.

 A programação nessa edição abraçou a cultura local e regional com um dia de apresentações, shows, mostras e exposições que acontecem no primeiro dia (17) ao centro da Praça do Teatro Dominguinhos, fazendo abertura e lançamento da primeira Semana de Audiovisual em Rondônia. Além disso, o evento abre inscrições para as oficinas de formação (18 e 19) e espaço para debates sobre Políticas Públicas para a Cultura e cadeia criativa e produtiva do audiovisual com a presença de Marcos Aurélio Nobre Jr. – Gestor da Casa Fora do Eixo Rondônia e Conselheiro Municipal do Audiovisual em Porto Velho.

 O evento se posta como sendo palco de discussões sobre o desenvolvimento do mercado e da produção audiovisual independente, fomentando a circulação de agentes e produtos culturais, intercambiando oficineiros, produtores e mostras que possibilitam crescimento cultural e avanço expansivo de novas artes.

Programação completa:

Sexta (17) Teatro Dominguinhos – 18h00

Projeções, Exposições, Apresentações e Shows

 Orquestra em Ação – Orquestra Sinfônica de Ji-Paraná

Quarteto Uirapuru

Quarteto em Dó

Trio Tríade

Coral da Paz

Diego Alves

Jéssica Brunn

Comunidade Manoa (Porto Velho)

 Sábado (18) UNOPAR – 09h00 às 12h00 – 14h00 às 17h00

– Oficina Pós-TV – Transmissão de um programa de TV aberto e livre, transmitido ao vivo na web.

Domingo (19) UNOPAR – 09h00 às 12h00 – 14h00 às 17h00

– Oficina Cinema de Guerrilha – Introdução ao Cinema de Guerrilha, apresentando produções de baixo custo, valorizando processos criativos e inventivos.

– Roda de Debates – Desenvolvimento de Políticas Públicas e Conselho Municipal do Audiovisual.

Faça sua inscrição para as oficinas aqui:

Inscrições

Centenário da Estrada de Ferro Madeira Marmoré e Virada Cultural

Image

Na ultima Segunda-feira (01) ocorreu na Estrada de Ferro Madeira Mamoré – EFMM, á festa de aniversário dos 100 anos deste património histórico, e de histórias ele é repleto. A Solenidade teve inicio às 6h com um maravilhoso show de fogos de artifícios, seguido de cinco minutos contínuo de sirene – a mesma que pode ser ouvida todos os dias na EFMM -, centenas de pessoas compareceram ao local de comemoração durante o dia todo, levando alegria, descontração, oferecendo e recebendo diversão. O ato Ecumênico ocorreu às 8h, e às 9h foram abertos os portões dos galpões, quem não conhecia se surpreendeu com as riquezas encontradas ali – tesouros (antigos e novos), artesanato, literatura, e peças de trem: assim, tudo ali para as pessoas verem.

No período da Tarde  houveram varias exposições, entre elas: Feira de Artesanato, Exposição Fotográfica e varal literário; em paralelo com esses ocorriam show musicais no Palco Madeira e um espaço “Contando a Historia da Madeira Mamoré”. No período noturno as apresentações continuavam com todo o vapor com shows musicais, apresentações de artistas regionais e uma deliciosa queima de cascata de fogos.

Image

Nesses cem anos houve muita mudança, em 1907 deram inicio as construções da ferrovia, com intuito de ligar a cidade de Porto Velho á Guajará-mirim, ambas as cidades do Estado de Rondônia. Com o tratado de Petrópolis, o Brasil adquiriu o Estado do Acre, foi necessário criar uma ponte sobre o rio madeira, para que pudesse ser rota de escoamento da borracha que vinha das matas bolivianas e brasileiras, por fim chegando a Porto Velho. 

Construir e manter as obras da Estrada de Ferro Madeira Mamoré foi um trabalho difícil, vários homens e mulheres perderam suas vidas nessa empreitada.  Os acidentes de trabalho eram constantes, em contra partida as doenças tropicais matavam milhares.

 A disputa entre colonizadores e índios se tornou algo constante, e a batalha territorial acirrada: massacre, genocídio generalizado, destruição irreversível de uma cultura primitiva – com fortes indícios de Guerra. Mas com passar dos anos, alianças foram estabelecidas, índios e colonizadores já não disputavam pela terra, trabalhavam em conjunto para o desenvolvimento regional.

 A Estrada de Ferro Madeira Mamoré, foi inaugurada no dia 1º de Agosto de 1912, isso á 100 anos atrás – como viemos salientando durante o texto, para que fique claro.

Image

O evento de ontem serviu para homenagear a EFMM, que tornou símbolo de luta, força de vontade e muita determinação.

 

Texto: Francisco Silva (https://www.facebook.com/SeekeOfMe)

Fotos: Filipe Freitas

Plano de Negócios de Turismo – Povo Indígena

Fora do Eixo participa da entrega do Plano de Turismo dos Povos Indígenas Pykahu-Parintintin e Paiter Suruí

O Fora do Eixo participou de uma agenda de intensas atividades com os povos indígenas durante a entrega do Plano de Negócios de Turismo do Povo Indígena Pykahu-Parintintin da Terra Indígena Nove de Janeiro (Humaitá/AM), apresentado no dia 12 de Julho, e do Povo Indígena Paiter Suruí na Terra Indígena Sete de Setembro (Cacoal/RO), apresentado nos dias 17 e 18 de Julho.

O Fora do Eixo Rondônia através do Clube de Cinema Fora do Eixo estão fazendo um documentário sobre o Plano de Negócios de Turismo nestas terras, abordando o ecoturismo, o qual utiliza de forma sustentável o patrimônio natural e cultural; além de incentivar sua conservação e promover a luta pelo reconhecimento e integração desses territórios.

Os eventos foram realizados pela: Organização do Povo Indígena Parintintin do Amazonas – OPIPAM, Associação Metareilá do Povo Indígena Paiter Surui, Associação de Defesa Etnoambiental – Kanindé e Conservação Estratégica – CSF; como resultado de três anos de pesquisas, discussões participativas, oficinas de formação e levantamentos de campo, com apoio da USAID e Gordon e Betty Moore Foundation.

Durante os eventos, os convidados conheceram e sentiram de perto o modo de vida da cultura indígena, ao participar de seus rituais, realizarem as refeições juntos e dormir nas malocas. Os índios foram muito receptivos, trocando diversas experiências, sonhos e vontades, ressaltando o desejo de preservarem cada vez mais sua cultura, agregando parceiros e colaboradores.

Foram vários desafios encontrados no processo de construção do Plano de Negócio de Turismo, que foram solucionados a partir da construção participativa do mesmo, enfatizando a recepção de turistas como meio para revitalização da cultura indígena.

Fotos: Sérgio P. Cruz