Arquivo da categoria: Bandas

[MúsicaFdE] Dub da Lata a caminho do Pará Roots

Positividade, sabedoria e verdade, evolução da consciência coletiva, humildade, união, amor e respeito são expressões cantadas e tocadas ao ritmo do reggae da banda Dub da Lata, banda criada em junho de 2011 na cidade de Porto Velho – RO. A banda vem trabalhando firme e forte desde sua criação.

Fizeram recentemente o lançamento de dois singles “Cabeça Ativa” e “Escravos do Capitalismo” através do Estúdio LeCaos. Com uma agenda cheia na cidade este mês, a trupe está fazendo os pré-shows  da segunda edição do Festival Pará Roots no dia 19 de Maio. Sendo uma das bandas convidadas a fazer parte da programação de mais de 20 atrações independentes do reggae paraense e de outros estados.

O Projeto

O idealizador do projeto, guitarrista, vocalista e compositor Romulo Oliveira vem trabalhando o reggae no Brasil desde 2003 e quer usar sua experiência para dar a real sensação ao ouvinte de estar prestigiando o reggae da forma como foi criado nos guetos da Jamaica. Romulo foi convidado como guitarrista de apoio de “Ki Many Marley” (filho de Bob Marley) em um show que aconteceu em Goiânia em 2006 juntamente com a banda californiana Groundation; abriu shows de bandas consagradas como “The Original Wailers” (banda que acompanhou Bob Marley) – show que aconteceu em 2009, “The Gladiators” (Jamaica) em 2008, entre outras bem como de várias bandas nacionais como “Ponto de Equilíbrio” (RJ), “Planta e Raiz” (SP), “Brasucas” (DF) entre outras. Sua influência vem dos jamaicanos Bob Marley, Clinton Fearon, The Gladiators, Israel Vibration, IJahMan, Don Carlos, Mid Night (Austrália), Steel Pulse (Inglaterra)… Desde sua criação a banda tem se apresentado em diversos pubs e festivais de Porto Velho com ótima aceitação pelo publico, que conta com somente duas bandas de reggae na cidade.

A Banda

A banda conta com experientes músicos do cenário portovelhense que promovem a cultura dentre outras formas veiculados pela Casa Fora do Eixo Rondônia, e hoje Dub da Lata é: Romulo Oliveira – Vocal e Guitarra Diego Bentes – Vocal Luis Paulo Pinheiro – Baixo Iago Botti – Bateria Jeferson Almeida – Teclado Cleyton Lira – Percussão.

O público alvo da banda Dub da Lata são pessoas que querem conciliar a diversão com crescimento cultural, haja vista que o reggae, da maneira como foi criado, traz letras fortes de cunho sócio-politico-religioso, além das que falam da natureza e do amor universal, de uma forma leve como em seu ritmo.

Links:

http://soundcloud.com/dubdalata

https://www.facebook.com/bandadubdalata

Fotos: Meryelle Oliveira

Anúncios

Banda In’água – Lançamento do EP “Registro”

Foto: Luana Lopes

Em fevereiro de 2011 na cidade de Porto Velho/RO a Banda In’água surgiu em meio a um projeto que começou como um experimento, mas que depois ganhou uma força muito maior. Thiago Maziero e Luis Paulo explicaram que tudo começou quando o Coletivo Cultura e Arte Organizando o Social – C.A.O.S. decidiu alugar uma casa, que se tornou a Casa Fora do Eixo Rondônia, um ponto de rede do circuito Fora do Eixo.  Com o intuito de criar um estúdio onde as bandas parceiras tivessem um local para ensaiar e gravar. Esse estúdio chamado “Le Caos” foi o ponto chave para formação da banda, sendo o local onde os músicos desenvolviam e trocavam idéias para a construção de seus trabalhos. Eles contaram que todos os integrantes se conheceram tocando na noite portovelhense, e que inclusive umas partes deles já tocaram juntos em bares da cidade, tornando assim uma aproximação muito maior entre eles.

A banda tem em sua formação músicos que trazem consigo fortes pensamentos e experiências: Thiago Maziero (violão e voz), com uma visão que surgiu de um reflexo do impacto que sofreu por ficar um período fora da cidade, que se uniu com as idéias de Luis Paulo (baixo e sampler), com seu som eletrônico, adicionando Cleyton Lira (percussão), um pernambucano que rodou o mundo e que é cheio de historias pra contar, com Rinaldo Santos (guitarra, sampler) que tem uma sensibilidade de arranjos musicais.

                      

Luis Paulo

Thiago Maziero

O som dos meninos é uma mistura de músicas percussivas brasileiras com programações e violão. Eles demonstram conhecer muito da cena musical de Porto Velho, e visualizam isso como uma das culturas mais plurais, onde encontram funk, punk, samba, reggae, música cariberana, reagaton e vários estilos que dão forma a música popular beradeira. A grande vontade da banda depois de um ano de experimentos, foi tomar outros caminhos diferentes do que tinham no passado. Chegaram mais próximos de uma identidade, agrupando todos os conceitos que eles têm, com os loops, e beats que o Luis Paulo produz, adotando essa parte eletrônica, e em cima colocando a percussão. A intenção da banda é juntar ritmos percussivos brasileiros e percussões eletrônicas.

Rinaldo Santos

Falando de suas influências Thiago Maziero diz, “não sou um escritor massivo, eu tinha muita coisa guardada ao longo dos anos, e peguei essas letras que abrangem diversos assuntos, mas que hoje já criaram um conceito que contextualiza com as coisas que estão acontecendo em Porto Velho e no mundo. Uma referencia de um choque, que após uma temporada fora da cidade, encontrei Porto Velho em meio a um transito caótico, “capengando na política”, com saúde e educação prejudicadas”.

Sua primeira apresentação foi um convite para participarem do Festival de Musica do SESC e fazer uma gravação da música chamada “Alto Madeira”, que vai sair no CD do festival este ano. Tocaram em alguns festivais em 2012 como o Ferrovia Rock (Porto Velho) em novembro, Fora do Eixo (São Paulo) durante o IV Congresso Fora do Eixo no final de 2012, tocando junto com a banda Beradelia que “juntando as bandas formamos uma parcela de um grande circo beradélico” diz Thiago.

A In’água está lançando o primeiro EP “Registro” no Grito Rock Acre (Maior Festival Integrado da América Latina) dia 17 de fevereiro, com a parceria do Jeferson Gonçalves (Theoria das Cordas), são seis músicas, mais um bônus track que vai pro documentário da ultima exposição solo da artista plástica Rita Queiroz.

As expectativas para o lançamento do EP são as melhore possíveis. Thiago diz “eu amo o Acre, sou rondoniense, mas criei uma conexão e um apego pela cidade e pela galera que conheci ao longo dos anos que fui visitar a cidade.” “Também já toquei e tenho muitas boas lembranças de tocar lá no flutuante, com uma expectativa grande contar com a participação do Rannyere Canuto na bateria, e ansioso pra ver as outras atrações” diz Luis Paulo.

Rannyere Canuto

Acre é uma terra que onde os meninos já tocaram e estão muito ansiosos pra voltar, fortalecendo a conexão de micro rota entre Acre e Rondônia, tornando sua primeira apresentação do ano inesquecível, e ainda com a participação no show da banda Discordantes. A banda vai circular também pelo Grito Rock Porto Velho e Candeias do Jamarí em Rondônia.

As músicas mais recomendadas por eles são “Ela é Pernambucana”, “Globalização”, “Queimamos a solução” que é uma critica as queimadas, tanto urbanas quanto de terrenos e desmatamentos. Rondônia tem um dos mais altos índices de queimadas, muito pelo descaso do povo, que por preguiça coloca fogo no próprio quintal e o desmatamento que continua crescendo ao longo dos anos. E a música “Viu?!” com uma bateria e percussão fantástica, a música relata um sentimento do compositor Thiago Maziero. Ele diz que sentiu interesse depois de muito tempo em colocar sua “musa” em destaque, um anseio que sentiu e que através da musica retratou o que alguns dizem que foi um “soco na cara” pela forma que a musica é desenrolada, com frases como “eu quero mais tomar chave de perna, acabar sempre sem fôlego e afogar-me em teu suor…”, e que foram pra ele uma das melhores que gravaram nesse trabalho.

Para ouvir a banda e download acesse:

http://inagua.tnb.art.br/

Capa do EP “Registro”

capa a4

Banda Versalle

A Casa Fora do Eixo Rondônia teve o prazer de receber, ontem (11), Italo Carlos e Rômulo Pacifico da banda Versalle, para fazer um bate-papo sobre sua história, seus projetos, e conquistas. Formada no final de 2009, na época, apenas uma banda de garagem que tocava covers de artistas, estes que influenciaram na criação de seu som e sua identidade, e ao longo do tempo deram origem as suas composições que foram aparecendo naturalmente.

Italo e Rômulo



“EP”

Os meninos começaram a conversa explicando um pouco de como foi o andamento deles desde sua formação, e pra chegar até hoje, eles tiveram que fazer muito esforço e trabalho, dando prioridade a banda, foram juntando dinheiro para entrar em estúdio e gravar seus dois primeiros singles, “Atrás da Solidão” e “Prezado Coração”, lançados virtualmente para quem quisesse baixar no myspace da banda. Não muito tempo depois, e não satisfeitos, eles gravaram o EP “Versalle”, possuindo oito faixas, com destaque para “Combinado” e o “Modelo Adequado”, lançado em janeiro de 2011.



                                                                       foto: Avener Prado

A banda passou pela saída do Rubens Barata (ex-baixista), e hoje é composta por Criston Lucas no vocal e guitarra, Rômulo Pacífico na Guitarra e backing vocals, Italo Carlos no Baixo e Igor Jordir na Bateria. Eles tem na bagagem além dos eventos que tocaram, o Festival Casarão 11º em Porto Velho/RO como referência, e estão entrando em 2012 com todo gás, começando com a agenda no evento BERA NIGHT, no próximo sábado (14), uma produção da Casa Fora do Eixo RO, que vai ocorrer na Batkaverna localizada na Galeria Lacerda, outro evento dia 21 no Iceberg, e dia 28 no Espaço Cultural Palhucas em Rio Branco/AC.

Entrando na conversa sobre o som que os meninos fazem, Rômulo comentou: “a galera fala que nossa banda faz um som triste, mas para mim o som que fazemos é o que eu gosto, e se não fosse nosso, eu curtiria e ouviria”. Para ele a proposta da banda é exatamente essa, algo que fugisse do padrão que estava rolando na cidade, “a pegada diferente que estava faltando”. O plano deles para esse ano é continuar produzindo, aproveitando as oportunidades para tocar em eventos e festivais, como mencionaram fazer sua inscrição no Grito do Rock, dispostos a viajar e participar de intercâmbio de bandas, e também pensando em como fazer o som crescer e ficar ajustado, “deixar a banda com um som redondo” como diz Ítalo (baixista). Tem como meta investir na comunicação da banda, aumentando sua visibilidade com o público, e até o começo do ano que vem fazer a gravação de um CD, de melhor qualidade, que contenha músicas antigas e novas produções.


Aproveitando o momento, o bate-papo finalizou com um passeio pela casa, e os garotos também puderam conhecer o trabalho produzido, tirando suas dúvidas sobre o Circuito Fora do Eixo, desde a troca de serviços e o campo simbólico que isso envolve. Como também a divisão de funções e seus núcleos, os ambientes de trabalho, as movimentações políticas culturais e sociais e os planos de ações durante o ano.


Para saber mais sobre a banda acesse:


http://www.myspace.com/bandaversalle

Email: banda.versalle@hotmail.com

Texto: Neila Azevedo

Coletivo C.A.O.S – Cultura e Arte Organizando o Social

Ponto Fora do Eixo Rondônia

BERADELIA SÁBADO NA CANTINA DO PORTO

A banda Beradelia se apresenta nesse sábado dia 26 de novembro no bar Cantina do Porto, levando sua música e a bandeira BERADERA, para o público que curte som da terra e de qualidade. A banda apresenta um formato diferenciado para a noite de sábado, com uma pegada beracústica. A noite promete muita diversão.

Arte: Rafael Altomar

Festival Quebramar – dias 6 a 11 de Dezembro no Amapá

Confira como foi o Festival Quebramar 2010
O Festival Quebramar chega ao seu quarto ano de realização consolidado como o maior festival do Amapá. Logo em sua primeira edição, em 2008, foi apontado pela revista BRAVO!, de circulação nacional e especializada em cultura, como um dos cinco mais promissores festivais do Brasil. Após quatro anos, o Quebramar cresce ainda mais e, em 2011, é apresentado pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Cultural com apoio da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal (Lei Rouanet) e patrocínio do Banco da Amazônia.
Em 2011, o festival será realizado de 06 a 11 de dezembro, com uma programação voltada para as Artes Visuais, Literatura, Teatro, Audiovisual, Música e outros, compreendendo assim, todas as facetas da cultura jovem e urbana amapaense, fortalecendo a cultura no estado e debatendo os novos rumos de sua produção.
Seletiva o Quebramar 2011
As Seletivas de Bandas fazem parte da programação do Festival Quebramar 2011, sendo um dos principais programas do evento. Por meio de votação popular, será escolhida uma vaga na programação oficial do festival. As seletivas acontecem nos dias 4, 5, 11 e 12 de novembro, com apresentação de dois grupos artísticos por noite. As incrições iniciam nesta terça-feira (25), via Toque no Brasil- plataforma de diálogo entre artistas e produtores- e vão até o dia 30 de outubro. Em 2009 a banda Ultimato já se apresentou no festival e nesse ano a banda Beradelia é quem vai representar o estado de Rondônia, a banda se apresenta no Festival Quebramar 2011 no dia 09 de Dezembro!

A banda Beradelia (RO) se apresenta no Festival Quebramar (AP) 2011 no dia 09 de Dezembro.



Confira a programação do Festival Quebramar 2011

06/12

07/12

08/12

CENTRO DE DIFUSÃO CULTURAL AZEVEDO PICANÇO
09h – Anime Clube
14h – Campeonato de Cosplay
19h – Apresentação do Fora do Eixo e Festival Quebramar
19:10h – Mesa de Debate
Políticas Públicas para a Cultura e o Custo Amazônico
Delson Cruz (MINC Norte), Ze Miguel (SECULT AP) Cleverson Baia (CONSEC-AP), KARLA MARTINS (Fundação Elias Mansur-AC), Mediadora: Heluana Quintas (Coletivo Palafita)
AUDITÓRIO DO MIS
(TEATRO DAS BACABEIRAS)
10h – Oficina de Fotografia com Renato Reis (PA)
CENTRO DE DIFUSÃO CULTURAL AZEVEDO PICANÇO
16:30h – Painel Palco Fora do Eixo –
17:10h – Lançamento do Livro – Artes Cênicas no Amapá – Dr. Romualdo Palhano
20:15h – Grupo de Poesia Tatamirô (AP)
FRENTE DO CENTRO DE CONVENÇÕES AZEVEDO PICANÇO
19:15h – Espetáculo “A arte do teatro” com o poeta e ator Dinho Araújo
Espetáculo “João do Céu e João Cheiroso vendendo Cordel” com os atores Josias Monteiro e Elder de Paula.
Espetáculo “As primas” com os atores Arthur Cardoso, Netho Pereira, Benjamin Ludoque, Géssica Palmerim
AUDITÓRIO DO MIS
(TEATRO DAS BACABEIRAS)
14h – Oficina APRENDA A LINGUAGEM CINEMATOGRÁFICA com Vladmir Cunha (PA)

SHOWS

CENTRO DE DIFUSÃO CULTURAL
AZEVEDO PICANÇO
20:20h – Violentango(ARG)
19:40h – Strobo (PA) +Tem Deck? (AP)
19:00h – Fábinho (AP) + Cleverson Baía (AP)

09/12

10/12

11/12

AUDITÓRIO DA FORTALEZA DE SÃO JOSÉ DE MACAPÁ

Palestra
10h – Economia Criativa – Industrias Criativas e Industrias Culturais (Ivana Bentes – UFRJ)

16h -Oficina de Guitarra Livre
Vários Artistas


MIS – MUSEU DA IMAGEM E DO SOM (TEATRO DAS BACABEIRAS)

14h – Oficina APRENDA A LINGUAGEM CINEMATOGRÁFICA com Vladmir Cunha (PA)
09 DE DEZEMBRO (SEXTA)
#ROCKER
ANFITEATRO
DA FORTALEZA DE SÃO JOSÉ
23:40 – Jupiter Maçã (RS)
23:00h – Autoramas (RJ)
22:20h – Plastique Noir (CE)
21:40h – Stereovitrola (AP)
21:00h – Beradelia (RO)
20:20h – Genezis (AP)
19:40 – Beatle George (AP)
19:00h – Godzilla (AP)

 

AUDITÓRIO DA FORTALEZA DE SÃO JOSÉ DE MACAPÁ
Bate Papo Livre

 

14h – Os Rumos do Metal no Brasil
Vera Kikuti (Produtora, Jornalista Revista Guitar Player)
Torture Squad, Marttyrium, Profetika, Amaurose, Matinta Pereira, Amatribo

15h – Exposição Anime Clube

16h – Rodada de Negócios
David Mclauglin (BM&A)
Vera Kikuti (Produtora, Jornalista Revista Guitar Player)
Caio Mota (Festival Até o Tucupi-AM)
Marcelo Damaso (Festival Serasgum-PA)

SHOWS


DIA 10 DE DEZEMBRO (SÁBADO)

#POLVORA

ANFITEATRO DA
FORTALEZA DE SÃO JOSÉ
00:20h – Torture Squad (SP)
23:40h – Marttyrium (AP)
23:00h – Amaurose (AP)
22:20h – Profetika (AP)
21:40h – Amatribo (AP)
21:00h – Radiovoxx (AP)
20:20h – Prolepse (AP)
19:40h – Matinta Perera (AP)
19:00h – Novos e Usados (AP)

 

AUDITÓRIO DA FORTALEZA DE SÃO JOSÉ DE MACAPÁ

 

Palestra
10h – Alternativas para Exportação da Música da Amazônia
David Mclauglin BM&A (IRE)

Debate
15h – Democratização do Conhecimento e Cultura Digital – Gabriela Agustini, Diretora Executiva do Festival CulturaDigital.br + Drª. Elda Araújo (UNIFAP)

MIS – MUSEU DA IMAGEM E DO SOM
(TEATRO DAS BACABEIRAS)

14h – Oficina APRENDA A LINGUAGEM CINEMATOGRÁFICA com Vladmir Cunha (PA)

DIA 11 DE DEZEMBRO (DOMINGO)
#DOMINGONOPARQUE

ANFITEATRO DA
FORTALEZA DE SÃO JOSÉ
00:30h – Pepeu Gomes (BA)
23:00h – Teatro Mágico (SP)
22:20h – Karol ConKá (PR)
21:40h – Aíla convida Felipe e Manoel Cordeiro (PA)
21:00h – Tucumanos (AM)
20:20h – Elisa Maia (AM)
19:40h – Timbres &Temperos (AP)
19:00h – Mini Box Lunar (AP)

Coletivo C.A.O.S – Cultura e Arte Organizando o Social

Ponto Fora do Eixo Rondônia

Gaby Amarantos.. a rainha do TECNOBREGA!

Veja Gaby Amarantos em Xirley Xarque
Atenção, atenção: Xirley Xarque chegou pra te enfeitiçar. E é através dessa irreverente personagem saída da mente e dos acordes do pernambucano Zé Cafofinho que Gaby Amarantos revela para todo o Brasil o que é que a música do Pará tem! Tem rítmos tradicionais? Tem! Tem sotaque eletrônico? Tem! Tem o visual mais arrojado surgido na música nos últimos tempos? Tem!!! É o tecnobrega chegando pra abalar.
Não por acaso, a música Xirley foi escolhida para embalar o primeiro clipe da carreira de Gaby, representando esse movimento tão poderoso que há tempos domina a região amazônica e agora avança por todo o Brasil. Dirigida pela cineasta Priscilla Brasil, a saga de Xirley Xarque é contada em quatro cenários diferentes, numa maratona que rendeu quatro dias de gravação.
Sempre de vermelho e preto, como pede a música, Gaby Amarantos encarna a personagem em quatro fases diferentes. No início, ela é pobre de marre deci,  uma aspirante à cantora que ganha a vida como manicure, mas sonha mesmo é com o sucesso como artista. Com a ajuda de dois comparsas, ela  consegue colocar seus discos no mercado informal das ruas.
Na segunda parte, já com um pouquinho de grana por conta do sucesso de suas músicas, Xirley surge com um look mais incrementado, mas – por não saber se produzir – quer usar “tudo ao mesmo tempo agora”. E a casa, o estúdio e a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, de quem ela é devota, evoluem junto.
Já na terceira fase, Xirley aparece bem-sucedida, com dinheiro, uma pop star! Mas como nem o céu é o limite para essa, enfim, diva do tecno melody, ela surge na parte final como uma divindade psicodélica, num cenário em que tudo pisca, para que nada passe despercebido. A prova de que Xirley Xarque, Gaby Amarantos e a nova música paraense, um verdadeiro caldeirão de referências, ritmos e conceitos, chegaram pra ficar.
E o clipe de Xirley é apenas o começo. Vem aí Treme, o primeiro disco solo de Gaby Amarantos, com produção de Carlos Eduardo Miranda, composições de Thalma de Freitas, Felipe Cordeiro, dona Onete, Alípio Martins, Iara Rennó e da própria Gaby, além de participações de Fernanda Takai e dona Onete. Você vai ver só…
P.S. – O vídeo foi produzido pela produtora paraense Greenvision e o projeto foi patrocinado pelo programa Conexão Vivo através da Lei Semear.