Arquivo da categoria: #GritoRock

Grito Rock Porto Velho 2013

_DSC4904 - 2012Avener Prado

Foto: Avener Prado

Projeto chega à 11ª edição e vai conectar 30 países. Rondônia se prepara para receber o festival que começa em Fevereiro.

Depois de integrar todos os estados e regiões brasileiras e extrapolar as fronteiras conectando grande parte da América Latina, o Festival Grito Rock alcança 300 cidades de 30 países diferentes, este ano. Além dos latinos, outros países dos continentes da Europa, Oceania, África, por exemplo, integram-se ao evento. Produzido de forma colaborativa desde 2005, o Grito Rock foi criado como uma alternativa ao carnaval tradicional e em 2013 acontece entre o período de 1º de fevereiro a 03 de março.

A edição de 2013 escolheu o portal Toque no Brasil (www.tnb.art.br) como principal plataforma de conexão de agentes, produtores e artistas. Além das inscrições, o Toque no Brasil vai fomentar também turnês e shows. Estima-se a criação de aproximadamente 3 mil vagas para bandas de todo o país e turnês de pequeno, médio e grande portes, que devem ligar diversas regiões brasileiras.

O Festival que se consolida cada vez mais Rondônia, está acontecendo pela sétima vez em Porto Velho, quarta vez em Vilhena, terceira em Ji-Paraná, segunda em Cacoal e pela primeira vez em Ariquemes. Em Porto Velho, o evento acontece nos dias 01 e 02 de Março e as inscrições de bandas e artistas estão abertas, para a quinta edição realizada pelo Coletivo Cultura e Arte Organizando o Social – C.A.O.S. um ponto de rede do Circuito Fora do Eixo.

Link para inscrição:

http://tnb.art.br/oportunidades/grito-rock-mundo-2013/grito-rock-2013-porto-velho/

“O festival é construído colaborativamente pela rede de produtores formada a cada ano e que se fortalece com as conexões para potencializar a realidade local”, explica o coordenador nacional do Grito Rock, Felipe Altenfelder.  A produção colaborativa envolve cerca de 9 mil pessoas trabalhando direta e indiretamente, sendo divididos entre empregos formais e informais, autônomos, voluntários e – boa parte deles – são de colaboradores da produção, que recebem em moedas sociais ao invés da moeda oficial vigente (Real). “O Grito Rock foi a primeira tecnologia fora do eixo a mostrar numericamente a potência do trabalho replicado, multiplicado, descentralizado, aumentando o volume de moeda social investida no cenário cultural, em rede, distribuido nas pontas, chegando a atingir mais de 200 territórios no mundo com capacidade de se desdobrar em núcleos coletivos de empreendimentos culturais.” – comenta a gestora do Banco Fora do Eixo, Lenissa Lenza.

O Grito Rock é um dos grandes estimuladores das cadeias produtivas de pequenas cidades no interior, bem como em todas as capitais do país e demais pontos internacionais que realizam o festival. Estima-se que em 2011 o investimento total dos produtores combinados alcançaram aproximadamente R$2,2 milhões, injetados diretamente no mercado independente. O valor médio de cada evento também foi expressivo – em média foram aplicados $16.000,00, entre reais e moedas solidárias.

O projeto foi idealizado pelo coletivo Espaço Cubo no ano de 2003 em Cuiabá (MT). Com a criação do Fora do Eixo, em 2005 – o projeto se ampliou de forma conceitual e geográfica, envolvendo produtores de todo o país. Em 2011, o Grito Rock aconteceu em mais de 130 cidades, em oito países, movimentando 2 mil bandas e aproximadamente 200 mil espectadores. Na última edição, em 2012, foram 205 cidades realizadoras, 37% a mais em comparação com 2011, envolvendo a participação direta de aproximadamente 700 produtores culturais, de 15 países diferentes.

Fora do Eixo

Rede de trabalho colaborativa e descentralizada, constituída por mais de 120 pontos que há seis anos experimentam, compartilham e aprimoram tecnologias livres de  produzir cultura.  Acompanhe: http://facebook.com/foradoeixo

Anúncios

Compacto.Arte Pré-Grito Rock – Ação Conjunta

Foto: Uill Alves

Com o intuito de interação colaborativa da Imagem com o ambiente comum o núcleo Poéticas Visuais, frente que trabalha com a representação da imagem no Fora do Eixo realizou no último dia 17 de Fevereiro uma intervenção artística.

Compacto. Arte, como forma de influência mútua com o ambiente comum, feita por vários artistas locais realizou um projeto idealizado pelo Coletivo Ser Urbano (São Paulo), onde teve início e já conta com mais de 135 artistas realizando este trabalho por diversos pontos da rede.

Foto: Uill Alves

Foto: Uill Alves

Foto: Uill Alves

Em ação conjunta com artistas plásticos, grafiteiros, escultores, designers, pintores e demais artistas visuais coletivizando para o Grito Rock 2012, os convidados Rita Queiroz, Bototo, João Zoghb, Gilson Castro, Margot Lira, Geraldo Cruz, Heli Chateaubrianv e Gaspar Knyppel fizeram uma intervenção de revitalização da casa, tiveram todo o espaço, tempo e as ferramentas para criar, deixando a casa transformada.

Foto: Neila Azevedo

Foto: Neila Azevedo

Foto: Neila Azevedo

O evento teve uma duração de nove horas de produção de arte, música, poesia. A casa ainda contou com debates e apresentação do circuito Fora do Eixo e um espaço para os artistas se integrarem e trocarem experiências e conhecimento. Um momento em que expressaram sua vontade de continuar produzindo, mas que também demonstraram a força para lutar pelo espaço cultural. Além disso, a ação contou com um momento de distração com a apresentação do “Circo Beradélico”, som feito pelos músicos convidados presentes que animaram e inspiraram a todos.

Foto: Neila Azevedo

Foto: Neila Azevedo

Foto: Neila Azevedo

Os trabalhos foram produtivos, mostrando os talentos que existem dentro da rede e aos que estão conhecendo. Uma forma de interação dentro do Coletivo CAOS para a comunidade artística prestigiar e se sentir motivada a trabalhar e mostrar seus trabalhos.

Foto: Neila Azevedo

Grito EnCena – Inscrições Abertas

Já começou a campanha Grito EnCena 2012, estimulando a diversidade e a integração das artes cênicas no Grito Rock. Até o dia 10 de fevereiro, todos os produtores e artistas interessados em fazer parte da campanha devem fazer sua inscrição por meio dos formulários anexos. A partir desse primeiro mapeamento, serão construídas rotas de circulação e programações locais que ajudarão o Grito Rock a se cultivar como o maior festival de artes integradas na América Latina.

Para quem se pergunta por que inserir uma programação cênica em um festival com a chancela do rock’n’roll, o Grito Encena revela algumas respostas a partir da experiência da edição de 2011. Ao aproveitar a plataforma com a marca do Grito para aproximar artistas de outras linguagens, os coletivos têm contribuído para construir laços na cena independente local, consolidando redes culturais cada vez amplas e sustentáveis.

Campanhas como o Grito EnCena estimulam a busca de novos espaços, novos públicos e o diálogo entre artistas e produtores de diferentes linguagens. Dessa forma, as cidades se capacitam como importantes pólos da cultura independente, fortalecem os laços e os arranjos produtivos locais. Num âmbito macro, elas se transformam em poderosas e diversificadas plataformas de comunicação e circulação de artistas.

Na primeira fase da campanha, a equipe do Palco Fora do Eixo, frente de linguagem cênica do Fora do Eixo, vai mapear todos os grupos e artistas interessados em participar da campanha. O mapeamento visa facilitar um trabalho de mediação entre grupos e artistas cênicos e os produtores do Grito Rock. A ideia é que, a partir das articulações regionais do Palco Fora do Eixo, os artistas possam ter um material de divulgação de seus trabalhos, ganhar público e usufruir dos serviços e plataformas da rede que, por sua vez, estarão mais fortalecidas com a integração de outras linguagens.

Algumas articulações já estão sendo feitas. A Tropa Trupe (fotos), de Natal (RN), está se preparando para uma turnê nos Gritos de São Paulo. A meta é que todas as regiões possibilitem a circulação dos artistas cênicos do Grito Rock. Uma boa alternativa à integração cênica nos festivais é a incorporação do Cabaré Fora do Eixo à programação. Por meio de pequenas esquetes, o Cabaré pode reunir várias linguagens, inclusive a música por meio de pocket shows, no mesmo espaço.

Informações mais detalhadas estão no Edital do Grito Encena 2012. Para garantir participação na campanha, basta preencher o formulário de produtores, ou formulário de artistas nos links abaixo:

Acesse aqui o edital do Grito Encena 2012

Acesse aqui o formulário de inscrição de produtores

Acesse aqui o formulário de inscrição de artistas

Festival Grito do Rock 2012 em Rondônia abre inscrições para Artistas e Bandas

O maior Festival Integrado das Américas chega à décima edição, alcança a Europa e propõe alternativas colaborativas e sustentáveis de produção e circulação de artistas, agentes e tecnologias.

Idealizado em 2002, em Cuiabá, pelo Espaço Cubo – um dos coletivos que deu origem ao Fora do Eixo – FDE, o Festival Grito Rock é uma alternativa ao Carnaval e uma plataforma independente de circulação. Este ano, o projeto ocorre de 17 de fevereiro a 17 de março e reúne produtores de 200 cidades e 15 países, o que representa um aumento de 55% em relação a 2011, quando 130 cidades e 10 países sediaram o festival.

Em Rondônia o Festival será realizado em 4 cidades durante o mês de março, nos dias 02 e 04 em Vilhena, 09 e 10 em Cacoal, 10 e 11 em Ji-Paraná e 16 e 17 em Porto Velho. Através dessa agenda será possível a integração e micro-rotas, facilitando a circulação de agentes, produtores, artistas e bandas, fomentando as trocas de tecnologias sociais, intercâmbio e incentivando a produção e a formação profissional, em projetos voltados ao setor cultural. Em Porto Velho essa é a sexta edição e terceira realizada pelo Coletivo Cultura e Arte Organizando o Social – C.A.O.S., ponto de rede do Circuito Fora do Eixo, uma rede de coletivos que atua como multiplicador da cultura, e não apenas no fomento, mas também no estímulo à formação de seus agentes culturais. Em Vilhena já foram 3 edições e a quarta edição esta sendo realizada pelo coletivo Ekatu um grupo de produção, difusão e articulação de Cultura. Já na cidade de Cacoal, através do Arte e Cultura Social – ARCUS novo na rede, criado para esta edição, mas com a promessa de não parar nesta e nesse único evento, junto com a Associação dos Atores do N.A.D. A promovem a primeira edição na cidade. Em Ji-Paraná o Interior Alternativo, que também está ligado à rede, e a manifestações independentes, está realizando sua segunda edição. Artistas e Bandas já podem fazer sua inscrição para as oportunidades no Toque no Brasil (http://tnb.art.br) visualizando a circulação dentro do Estado de Rondônia.

As edições de cada cidade são produzidas de forma interdependentes, e tudo, principalmente a logística entre elas, é construído colaborativamente com o propósito de tornar sustentável a circulação de artistas, agentes, produtores, produtos e tecnologias.

Em 2011, pela primeira vez, o Grito Rock foi executado nos 26 estados brasileiros e em outros 8 países (com cidades da América do Sul e Central). Para 2012 já são 15 países, incluindo o continente europeu e o México.

Grito Rock Internacional

Reflexo da conexão com diversos países latinos, este ano o Grito Rock se soma a 15 países e se estabelece em 14 cidades estrangeiras. Vários representantes da América do Sul e Central participam da décima edição: Honduras, Costa Rica, Guatemala, Argentina, Bolívia, Colômbia, Chile, Honduras e Nicarágua.

O Festival ocorre também na Cidade do México, Los Angeles e em Braga (Portugal), realizado por brasileiros em parceria com agentes locais. “Recebi um convite e achei ótima a ideia de fomentar um evento brasileiro junto com mexicanos que já trabalham com o cenário independente, é uma grande chance de conectar os dois países através da música” – comenta a brasileira Marina Paschoalli, que está na produção do Grito Rock na capital mexicana.

Balanço

Até o momento foram registradas 203 inscrições, sendo que 61 cidades estão realizando o Grito Rock pela primeira vez. Entre os produtores, 38 estão na Região Sul, 36 da Região Nordeste, 81 no Sudeste, 13 no Centro Oeste e 19 na Região Norte. Desses produtores, 32,5% são de Pontos ligados à rede Fora do Eixo, 25,% são pontos parceiros, enquanto 14,7% ainda não desenvolveram relação com o FdE, mostrando que o projeto transcende o Circuito e atrai produtores de maneira diversos para a realização do Festival.

Mais informações

http://tnb.art.br/

http://gritorock.com.br/

http://coletivoekatu.wordpress.com/

http://coletivoarcus.wordpress.com/

http://interioralternativo.blogspot.com/

Grito Rock 2012 – recebe inscrição de produtores até a próxima quinta (12)

O maior festival integrado da América Latina chega à sexta edição e deveintegrar 200 cidades

Previsto para ocorrer entre os dias 17 de fevereiroe 17 de março em 2012, o Festival Grito Rock recebe cadastro de cidadesinteressadas em promover o projeto até o dia 12 de janeiro. Para participar énecessário que o produtor desenvolva trabalhos exclusivamente no setor dacultura independente, leia o regulamento e se inscreva através de um formulário online, disponível no sitedo Grito Rock(gritorock.com.br). Cerca de 120 municípios já efetuaram inscrição.
Quem for realizar o projeto pela primeira vezprecisa enviar uma clipagem com matérias publicadas em veículos de comunicação,que comprove a atuação no ramo, para o email: gritorock@foradoeixo.org.br.
Mais Grito Rock
O Festival foi idealizado pelo coletivo Espaço Cubono ano de 2003, em Cuiabá (MT), como uma alternativa ao carnaval tradicional.Entretanto, a partir da atuação do Circuito Fora do Eixo – uma rede nacional decoletivos de produção cultural criada em 2005 – o projeto se ampliou geográficae conceitualmente, envolvendo produtores de todo o país. No ano passado, o GritoRock aconteceu em mais de 130 cidades, movimentando 2 mil bandas eaproximadamente 200 mil expectadores. Além do Brasil, países como Argentina,Uruguai, Bolívia, Chile, Panamá e Honduras realizaram o Festival.


Beradelia – Grito do Rock 2011


Coletivo C.A.O.S – Cultura e Arte Organizando o Social

Ponto Fora do Eixo Rondônia