Arquivo da categoria: Universidade Fora do Eixo

Oficina de Vídeo – Técnicas de Filmagem

Oficina de Vídeo

A Casa Fora do Eixo Rondônia, campus da Universidade Livre Fora do Eixo na cidade de Porto Velho/RO, recebe a Oficina de Vídeo nos dias 02 e 03 de Fevereiro ministrada pelo fotógrafo e cineasta Ronaldo Nina. O instrutor atua no campo da Arte, Educação, Agroecologia e Tecnologias Sociais.

A atividade abre 20 vagas com a proposta de formação livre no campo da linguagem audiovisual e experimentações na região Norte do Brasil. Os participantes vão aprender a aproveitar o recurso de vídeo da sua câmera, como foco, movimentos, iluminação além de noções básicas de programas para edição.

Currículo Ronaldo Nina

Conteúdo:

-Técnicas de Filmagem com Câmera Fotográfica DSLR

– Convergência Tecnologia

– Como aproveitar o recurso Video de sua Câmera

– Dicas de foco, follow focus, marcação do foco,

– Monitoramento externo (monitor HDMI, VGA USB)

– Movimentos de câmera, câmera na mão, steadycam, grua, traveling. Mostrar imagens dos   mesmos e cenas realizadas, fazer um debate sobre viabilidade dentro da realidade de um fotógrafo.

– WB customizado

– Estilo de Imagem

– Menu de Câmera

– Configuração Áudio: Microfone Externo. Gravador Externo

– Velocidade obturador: relação FPS / Obturador

– Anel conversor Nikon / Canon

– Filtros ND

– Dicas Iluminação, diferença entre still e imagem em movimento

– Noções básicas de programas de edição de vídeo

Informações:

Data: 02 e 03 de Fevereiro

Horário: Sábado – 08h – 12h e 14h – 18h / Domingo 14 – 18h

Valor da inscrição: 100,00 R$

Local: Casa Fora do Eixo – Rondônia

Endereço: Venezuela, 4251 – Embratel (Em frente a Maternidade Municipal)

Inscrição: Formulário, ficha de cadastro dísponivel no site

Material didático: Certificado e DVD (com vídeo-aula e apostilas)

Duração do curso: 12h00

Acesse aqui: Ficha de inscrição

[UniFdE] Oficina “Coletiva de Maio 2012”

A Casa de Cultura Ivan Marrocos abriu as portas para a abertura da “Coletiva de Maio” (27 de Abril), evento anual realizado pelo Governo de Rondônia através da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer – SECEL. Neste ano está acontecendo em parceria com a Universidade Livre Fora do Eixo (UNIFdE) e o Núcleo de Poéticas Visuais Fora do Eixo em Rondônia.

Reunindo diferentes artistas que trabalharão em coletivo por uma semana (27 a 04 de Maio), criando e vivenciando esta experiência. O tema da oficina este ano é o “Rio Madeira” e a conversa inicial se deu em uma apresentação de todos participantes, que foram sugerindo e debatendo ideias, discutidas como critério para a criação das obras de forma coletiva e a escolha das Obras que estarão em exposição (08 a 21 de Maio).

A ideia é trabalhar com a inspiração do Rio e de tudo que ele envolve, desde seu barranco, os beradeiros, barcos, pesca, a cultura e todas as questões em que ele se encontra ultimamente. Os materiais usados seguem o mesmo conceito, os artistas decidiram trabalhar as obras de artes utilizando-se do papel como matéria prima e o Rio Madeira como o tema central da oficina. Fazendo a reutilização, minimizando o que corriqueiramente vai tem seu destino final nas margens ou no próprio rio, colaborando com o meio ambiente e preservando essa natureza.

Coletiva de Maio – Oficina de Arte “Rio Madeira”

Através das artes o homem eterniza sua singularidade e se distingue dos outros animais. Desde os tempos mais remotos o ser humano vem se expressando através de rabiscos e desenhos, deixando registros de grande importância desde as cavernas, o que muito contribuiu para o conhecimento da trajetória humana. Isso afirma que a relação do homem com as artes é literalmente orgânica.

Não importa o material ou a técnica que o artista utilize para criar a sua obra, seja papel, tela, barro, metais, pedra, gesso, madeira, lixo, cimento, tinta, giz, carvão, computador… O artista sempre lança mão da matéria prima que está ao seu alcance e do seu conhecimento técnico para expressar a sua idéia e a sua visão de mundo, exteriorizando o seu pensamento, simbolicamente. Neste ano os artistas decidiram trabalhar as obras de artes utilizando-se do papel como matéria prima e o Rio Madeira como o tema central da oficina.

Coletiva de Maio é um evento anual realizado pelo Governo de Rondônia através da Secretaria de Estado, dos Esportes, da Cultura e do Lazer – SECEL e neste ano está em parceria com a Universidade Livre Fora do Eixo (UNIFdE) e Núcleo de Poéticas Visuais Fora do Eixo em Rondônia. O evento reuni vários artistas, que juntos festejarem o Dia Nacional do Artista Plástico criado em homenagem ao artista José Ferraz de Almeida Júnior (Itú-SP), que nasceu no dia 08 de maio de 1850. Frequentemente aclamado pela historiografia como o precursor da abordagem de temática regionalista, Almeida Júnior introduz assuntos até então inéditos na produção acadêmica brasileira: o amplo destaque conferido a personagens simples e anônimos e a fidedignidade com que retratou a cultura caipira, suprimindo a monumentalidade em voga no ensino artístico oficial em favor de um naturalismo simples e paupável.

Uma contribuição para a valorização do artista plástico, ao mesmo tempo em que é uma oportunizando da comunidade a momentos de lazer cultural, além de contribuir para a democratização da arte, possibilitando a todos os visitantes a experimentação do fazer artístico.

A Oficina “Rio Madeira”

Nesta oficina não cabe ao artista subir o barranco e buscar inspiração em terra firme, mas ater-se ao rio enquanto elemento de pesquisa e fonte de inspiração. Suas canoas, barcos, troncos, prancha de lavar roupa, ouro, ilhas, espelho d’água, banzeiro, correnteza, peixes, botos, enfim, tudo que diz respeito ao rio, inclusive as usinas que estão sendo construidas. Um tema inspirador e ao mesmo tempo intrigante e misterioso, sinuoso e insinuante.

Oficina de Teatro “Corpo, Voz e Espaço” – Universidade Fora do Eixo

Oficina de Teatro “Corpo, Voz e Espaço” – Universidade Fora do Eixo

Corpo, voz e espaço

Em mais uma ação a Universidade Livre Fora do Eixo (UniFdE) em Rondônia, em parceria com Fora do Eixo Letras Rondônia (FEL/RO) e o Palco Fora do Eixo promovem a oficina “Oficina de teatro – corpo, voz e espaço”, com o objetivo de despertar e sensibilizar os atores para interpretações nos espaços de suas atuações. Proporcionar melhor capacidade  de desenvolvimento de habilidades com o corpo, espaço e voz no cenário da cidade.

Carlos Macedo Dias, conhecido como Mado é poeta, ator, diretor teatral e educador Popular e já tem diversas publicações em livros como: Das tripas ao marca passo, Armado se preciso for o poema, Papo de Taberna entre outros. Já no teatro atuou e dirigiu os espetáculos: Estreito BecoEspia PoesiaDiversosTempo bom com Poesias Passageiras.

A oficina é direcionada a atores iniciantes, e disponibilizará até 30 vagas e as inscrições estarão abertas até o dia 26 de Abril de 2012.

Ficha de inscrição

 

Local: Casa de Cultura Ivan Marrocos

Datas da Oficina:

27 de abril 19h ás 21h – Sexta-feira

28 de abril  16h ás 20h – Sábado

29 de abril 16h ás 20h – Domingo

Público: 20 e 30 pessoas.

Taxa: R$ 20,00.

 

 

Conteúdo Programático:

27 de abril (Sexta-feira) – Das 19h às 21h

  • Apresentação dos atores e participantes;
  • Tema da palestra inicial: Construindo o Entendimento.

·

28 de abril (Sábado) – Das 16h às 20h

  • 16h às 17e30h – Trabalhar o corpo a partir da realidade de cada indivíduo;
  • Intervalo de 15 minutos;
  • 17e45h às 20h – Trabalhar o olhar e  a voz através do coletivo.

29  de abril (Domingo) – Das 16h às 20h

  • Montagem de cena.

Coluna Fora do Eixo 364 – Vilhena

"Reunião Coletivo Ekatu" Foto: Neila Azevedo

Chegando em Vilhena por volta das quatro horas da tarde, Nettu Regert recebeu os gestores da coluna em sua casa, que após um descanso saíram para a reunião com o Coletivo Ekatu, seus colaboradores e parceiros. Com pessoas dispostas a conhecer e clarear mais o conceito sobre o Circuito Fora do Eixo, trocando experiências, conversando sobre a realidade da cultura e movimento social na cidade.

O encontro começou com uma reunião do Clube de Fotografia do coletivo, um movimento que começou agora integrando todos os fotógrafos e agregando as pessoas que querem aprender, discutir e divulgar seus trabalhos, de uma forma que exista o crescimento de todo o grupo. Esses encontros periódicos do Clube, são uma maneira de desenvolver essa e outras cadeias produtivas locais, estimulando cada vez mais pessoas a produzirem.

Após a reunião de fotografia outros convidados de diversas áreas como audiovisual, designer, comunicação, movimento social, meio ambiente e interessados por cultura fizeram uma troca de experiências e apresentação de seus trabalhos, como uma forma de integrar aqueles que ainda não se conheciam e criar uma dimensão de possibilidades.

Foto: Neila Azevedo

Em uma conversa madura e rica de conhecimentos, a reunião teve continuidade com uma apresentação do circuito Fora do Eixo,  os gestores não só explicaram como também fizeram um breve relato de seus trabalhos dentro da rede, demonstrando que o trabalho em coletivo rende muito mais, seja de forma econômica, seja de realização profissional, como também de forma de vida. “Vivendo para trabalhar e trabalhando para viver”, é a frase que define o que os gestores tentaram passar. A coluna teve o propósito de reunir e integrar novos agentes na rede, e visualizar esse trabalho no próximo grande evento que é o Grito Rock 2012.

Desenvolver as campanhas do festival, divisão de frentes de trabalho e sistematização de ferramentas são os primeiros passos para essa produção e realização. A mobilização para isso, foi repleta de muitas trocas entre todos, um momento de construção, de mudança e aprimoramento.

Foto: Neila Azevedo

O encontro acabou após a exibição de um vídeo do Festival Fora do Eixo, mostrando um pouco da dimensão desse trabalho. Com relatos de produtores e artistas de como foi o crescimento da rede e como se potencializou, fazendo com que isso se difundisse chegando até aquele momento na reunião, muito proveitoso e estimulante pra todos.

Texto:  Neila Azevedo

2012 – Trabalho e Planejamento

Nosso ano já começou bem antes de soltarem os fogos deartifício, já que em 2011 tomamos decisões pesadas quanto a nossa posição noCircuito Fora do Eixo. Chegamos ao IV Congresso Fora do Eixo em peso, 16 colaboradoresdo Coletivo Cultura e Arte Organizando o Social – C.A.O.S.  presentes, dispostos a participarintegralmente de todos os debates, reuniões livres, seminários e oficinas, alémde participar da produção, contribuindo com o trabalho durante o Congresso.Marcos Nobre Júnior, Gaspar Knyppel, Gracildo Júnior e Thiago Maziero chegarama Casa Fora do Eixo São Paulo no dia 05 de dezembro, e já entraram no ritmo, etodos os outros gestores pousaram na casa dia 10, muito felizes por estarfazendo parte, buscando trocar, vivenciar e aprender.
Fora do Eixo – Regional Norte
No dia 23 de dezembrovoltamos pra Casa Fora do Eixo Rondônia, emocionados, e cheios de energia para continuar com todaforça e velocidade o nosso trabalho, amadurecidos e cheios de ideiasnão tivemos nem tempo para o natal em família, pois a partir daí, começamosnosso planejamento anual, “2012 já estava acontecendo”, era nosso pensamento. Avirada do ano chegou com os “Amigos do CAOS Especial 2012”, o evento foi umsucesso, além das atrações musicais, tivemos o Compacto Arte e o Clube deCinema exibindo filmes, uma noite linda, repleta de arte.
Durante essas duas semanas, fizemos uma imersão deplanejamento e organização das Frentes de trabalho do Coletivo, além de váriasreuniões que ajudaram a definir nossas ações durante o ano. Tivemos algumas reuniões que foram bem importantes, como a do Banco, onde estava presente oMHF, que fomentaram a criação de um Banco Comunitário e nossa moeda, tambémtivemos uma reunião do PCULT, fazendo um balanço de como foi 2011, sobre oplanejamento de como iremos agir em 2012, quem são nossos parceiros políticos ea luta do Movimento Regula Cultura Rondônia.
Trabalhamos várias questões organizacionais, como nossoOrganograma de divisão de frentes de trabalho, e nosso fluxograma de comotrabalhamos dentro dessas frentes. O ano só está começando e o trabalho écontínuo, nossas conquistas são diárias, aprendemos uns com os outros, vivemosem coletivo, e promovemos a cultura, ainda virão muitas vitórias.
Texto: Neila Azevedo

Oficinas – 9º Fest Cine Amazônia!

O Fest Cine Amazônia continua cheio de programação, uma delas, são as oficinas, importantes atividades para melhorar a qualidade técnica profissional de produtores regionais, gerando mão-de-obra para garantir o crescimento do cinema nacional. Isso traz o surgimento de novas produções, valorizando vocações, identidades e culturas. Bons profissionais da área estão ministrando essas oficinas, uma grande oportunidade pra quem quer se profissionalizar.

O Festival ofereceu vagas para as seguintes oficinas; Oficina de Produção, curso básico, com a oficineira Clélia Bessa, produtora, natural de Manaus/AM, formada em Ciências Sociais pela UFRJ, sempre atuou na área do audiovisual. Oficina de Captação de Som, com o Edwaldo Mayrinck Monteiro de Andrade Jr, formou-se em engenharia eletrônica em 1980, e atua profissionalmente em áudio desde 1975. Oficina Um outro Olhar – Cinema para Cegos, com Miriam Cris Carlos e Werinton Kermes, Doutora em Comunicação e Semiótica, especialista em Teoria da Literatura e graduada em Letras. Professora pesquisadora do Mestrado em Comunicação e Cultura da Universidade de Sorocaba, Uniso. Roteirista e documentarista. E a Oficina Oficina “Faça você mesmo – BLOG, jornalismo on – line, Vídeos, redes sociais”, com a Edneide Arruda, natural da Paraíba, mestre em Mídia-Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (FE/UnB) e se dedica a investigar as interfaces existentes entre a educação e a comunicação.

:: PARCERIA ::


FestCine Amazônia 2011 & Casa Fora do Eixo – Rondônia 

#CoberturaColaborativa #CulturaDigital

acesse:

http://www.cineamazonia.com/

http://coletivocaos.blogspot.com/

http://v3.foradoeixo.org.br/

Coletivo C.A.O.S – Cultura e Arte Organizando o Social

Ponto Fora do Eixo Rondônia

Workshop de Web Rádio – Festival Até o Tucupi 2011

O Coletivo Cultura e Arte Organizando o Social – C.A.O.S. esta fazendo parte da produção do Festival Até o Tucupi, colaborando e participando de várias atividades. Ontem, dia dois de novembro, começou a programação do festival no centro da cidade, e teve o Workshop de Web Rádio, com o Rafael Altomar e Marcos Nobre compartilhando com a galera, conhecimentos sobre a estrutura e as plataformas digitais, que é o meio em que a Web Rádio funciona. Foram abordadas questões como a produção de podcast e as vantagens de se trabalhar como foco em um público específico.

                Houve muita troca de experiência, informação e tecnologia entre todos participantes da oficina. O uso de equipamentos específicos, programas de transmissão, gravação e custos de produção, foram os assuntos mais abordados. A proposta feita pelo C.A.O.S. é fazer a união, fortalecendo o trabalho e potencializando as webrádios de outros coletivos, com o objetivo bem claro de estruturar um núcleo regional denominado de WebRádio Fora do Eixo NORTE composto pelos coletivos da região.             

                Os participantes estão abertos a utilizar essa estratégia, que é fazer ações em bloco, se todos fazem um produto legal, interessante, porque não, pegar as web rádios e tornar-las uma só. O Coletivo Cuia que participou da oficina, esta na gestão desse processo aqui em Manaus, entrando em contato e agregando novos parceiros para essa grande empreitada.




Coletivo C.A.O.S – Cultura e Arte Organizando o Social

Ponto Fora do Eixo Rondônia

Curso de Cobertura Colaborativa

No Festival Até o Tucupi 2011 Engrossando o Caldo, Manaus-AM, está acontecendo também o curso de Cobertura Colaborativa com Flávio Charchar. O Coletivo C.A.O.S, está acompanhando e participando do curso, que no primeiro dia, 25, abordou o assunto sobre a evolução das mídias no meio cultural, e os equipamentos utilizados para gravação audiovisual.

Vários exemplos de formas diferentes de utilizar vídeos, foram passados no segundo dia, onde cada coletivo da rede do Circuito Fora do Eixo, tem um conceito próprio na criação e produção, como o Coletivo Cultura e Arte Organizando o Social – C.A.O.S, que utiliza vinhetas de músicos e artistas em festivais, uma forma inusitada que chamou atenção. E o Coletivo Difusão, que produzem vídeos utilizando somente imagens e trilha sonora, de forma bem dinâmica.
Foram assistidos vídeos, que são exemplos do que pode ser produzido, dentro de um festival, como parte colaborativa. A Coluna Presley http://bit.ly/sG9XP7, que proporciona novos encontros entre agentes e parceiros Fora do Eixo, é um exemplo, ela mostra diários de bordo dos colaboradores durante suas viagens e seu dia-dia de trabalho. Essa é uma ideia para fazer isso no festival, quem for estagiar, na parte prática do curso, pode colaborar dessa forma, e onde à galera da produção for, fotografando, filmando e fazendo cobertura do festival, são momentos interessantes para serem registrados, que depois de editados, formam uma vitrine do que está sendo produzido.


Confira:

Coletivo C.A.O.S – Cultura e Arte Organizando o Social

Ponto Fora do Eixo Rondônia

Informação e Conhecimento Livre

Neste sábado dia 08, aconteceu a oficina audiovisual destinada aos participantes da Feira Estadual de Economia Solidária e Agroecologia, no laboratório de informática da Federação dos Portadores de Deficiência de Rondônia – FEDER. O Coletivo foi representado por o Marcos Nobre Júnior, ministrando a oficina de Vídeo.

Os alunos passaram por uma introdução do que é necessário para fazer um vídeo, que conforme sua finalidade tem seus métodos de produção, e em um intercâmbio de informações obtiveram resposta às dúvidas, eles aprenderam que para fazer um vídeo de qualidade é necessário passar a idéia principal, ou seja, ter um foco. Como exemplo, os alunos assistiram a vídeos, que são produzidos pelo Coletivo, feitos especialmente para WEB, que utilizam métodos mais simples e criativos, diminuindo tempo e recursos.  Após a introdução, as dúvidas foram outras, o ministrante, falou sobre os equipamentos necessários, programas de edição, e como fazer a construção de um roteiro.
Marcos desenvolveu o trabalho de forma descontraída, deixando o ambiente harmonioso, de forma que todos pudessem contribuir na oficina.

(texto e foto por Neila Collie)

Coletivo C.A.O.S – Cultura e Arte Organizando o Social

Ponto Fora do Eixo Rondônia