Arquivos do Blog

Coluna Fora do Eixo 364 – Conhece movimento de esportes radicais pelo espaço em Ji-Paraná

O Movimento de esportes radiais em Ji-Paraná luta pelo espaço no Ginásio de Esportes “Gerivaldão”. “Skate e BMX não são crimes”, é a frase da faixa que carregavam na Prefeitura Municipal, junto com vários cartazes como uma maneira para chamar atenção. Vários jornalistas estavam presentes registrando, esperando uma resposta e entendimento da situação.

O Grupo perdeu o espaço dentro do Ginásio, que hoje está sendo usado como feira de artesanato. Receberam uma proposta para utilização de outro espaço, mas o local ainda não está definido, e os esportistas estão utilizando a rua para treinar.

Os gestores da Coluna 364 apoiaram a luta e apresentaram formas de organizar o movimento, com a criação de contraproposta e sistematização das informações nesse coletivo.

Coluna Fora do Eixo 364 – Novos pontos na rede.

A Coluna Fora do Eixo 364 surgiu da necessidade de conectar e mobilizar agentes e parceiros integrando-os ao circuito Fora do Eixo. A Casa Fora do Eixo Rondônia visitou três de quatro cidades programadas, já que em Ariquemes houve dificuldade de contato. Cacoal (Coletivo Arcus), Ji-Paraná (Coletivo Interior Alternativo) e Vilhena (Coletivo Ekatu) foram a rota para a pré – produção do Festival Grito Rock, com objetivo de fazer uma organização e integração entre os coletivos atuantes na rede.

Os gestores Marcos Nobre Júnior, Neila Azevedo e Rafael Altomar registraram a viagem com vídeos, fotos e relatos dos encontros, postados nas redes sociais e blog. O intuito foi mostrar como foi o andamento de todo o processo de desenvolvimento e aproveitamento dos envolvidos. Fazendo novas parcerias e encontrando com todos juntos nessas reuniões as soluções para respectivos problemas em trocas de conhecimentos, experiências e vivência. Com o desígnio de desenvolver e difundir a rede Circuito Fora do Eixo dentro do Estado de Rondônia.

A rota foi feita do dia 07 ao dia 12 de fevereiro, contabilizando 105h no total, divididas em 44h em Ji-Paraná, 46h em Cacoal e 15h em Vilhena. São mais de 1.400 km percorridos totalizando 20h na estrada. Foram realizadas sete reuniões nesse período, cinco de mobilização e integração entre os coletivos e duas de apoio e parceria com as fundações culturais. Além disso foram feitas 2 visitas para firmar parcerias e contatos. Com uma quantidade de mais de 106 pessoas envolvidas direta e indiretamente.

Todos os locais que os gestores passaram, tiveram hospedagem solidária e alimentação. Sendo muito bem recebidos nas casas de Raphael Amorim (Interior Alternativo), Fernando Húngaro (Arcus) e Nettu Regert (Ekatu), que abriram suas portas de uma forma que abrigaram não só três gestores, como também uma experiência muito gratificante com base na economia solidária, onde todos trocaram suas experiências, manias, e estimularam uns aos outros.

A coluna conseguiu definir várias questões sobre o Grito Rock e ajudou a estruturar a organização dos coletivos para essa produção que servirá como base dos “novos quadros” e  ainda firmar apoios para o festival. Sem deixar dúvidas de que foi muito proveitosa e todos adquiriram uma experiência que é só começo de um vínculo de muitas outras vivências, imersões e reuniões que estão conectando cada vez mais pessoas. Abrindo possibilidades para novas ideias, para novos caminhos, e estruturação de novos pontos na rede.

Coluna Fora do Eixo 364 – Vilhena

"Reunião Coletivo Ekatu" Foto: Neila Azevedo

Chegando em Vilhena por volta das quatro horas da tarde, Nettu Regert recebeu os gestores da coluna em sua casa, que após um descanso saíram para a reunião com o Coletivo Ekatu, seus colaboradores e parceiros. Com pessoas dispostas a conhecer e clarear mais o conceito sobre o Circuito Fora do Eixo, trocando experiências, conversando sobre a realidade da cultura e movimento social na cidade.

O encontro começou com uma reunião do Clube de Fotografia do coletivo, um movimento que começou agora integrando todos os fotógrafos e agregando as pessoas que querem aprender, discutir e divulgar seus trabalhos, de uma forma que exista o crescimento de todo o grupo. Esses encontros periódicos do Clube, são uma maneira de desenvolver essa e outras cadeias produtivas locais, estimulando cada vez mais pessoas a produzirem.

Após a reunião de fotografia outros convidados de diversas áreas como audiovisual, designer, comunicação, movimento social, meio ambiente e interessados por cultura fizeram uma troca de experiências e apresentação de seus trabalhos, como uma forma de integrar aqueles que ainda não se conheciam e criar uma dimensão de possibilidades.

Foto: Neila Azevedo

Em uma conversa madura e rica de conhecimentos, a reunião teve continuidade com uma apresentação do circuito Fora do Eixo,  os gestores não só explicaram como também fizeram um breve relato de seus trabalhos dentro da rede, demonstrando que o trabalho em coletivo rende muito mais, seja de forma econômica, seja de realização profissional, como também de forma de vida. “Vivendo para trabalhar e trabalhando para viver”, é a frase que define o que os gestores tentaram passar. A coluna teve o propósito de reunir e integrar novos agentes na rede, e visualizar esse trabalho no próximo grande evento que é o Grito Rock 2012.

Desenvolver as campanhas do festival, divisão de frentes de trabalho e sistematização de ferramentas são os primeiros passos para essa produção e realização. A mobilização para isso, foi repleta de muitas trocas entre todos, um momento de construção, de mudança e aprimoramento.

Foto: Neila Azevedo

O encontro acabou após a exibição de um vídeo do Festival Fora do Eixo, mostrando um pouco da dimensão desse trabalho. Com relatos de produtores e artistas de como foi o crescimento da rede e como se potencializou, fazendo com que isso se difundisse chegando até aquele momento na reunião, muito proveitoso e estimulante pra todos.

Texto:  Neila Azevedo

Coluna Fora do Eixo 364 – Ji-Paraná

A Casa FdE Rondônia, através da #ColunaFdE364 chega a Ji-Paraná, primeira cidade a receber a visita do Fora do Eixo. A equipe está sendo recebida na hospedagem solidária, casa do Raphael Amorim  e Samira Lima (Coletivo Interior Alternativo), facilitando a troca de conhecimento, e já encaminhando uma reunião para debater a cena local, e o andamento dos trabalhos desenvolvidos pelos coletivo.

Foto: Neila Azevedo

A primeira reunião geral da coluna 364, que aconteceu na escadaria da Biblioteca Municipal,  recebendo mais de 40 convidados, dispostos a debater sobre novas possibilidades para cultura e movimentos sociais. Cada participante fez uma apresentação dos seus trabalhos e experiências,  compartilhando com todos, as dificuldades que Ji-paraná enfrenta, e possíveis encaminhamentos para solucionar algumas barreiras.

Foto: Meryelle

A Cafe-RO apresentou a rede Fora do Eixo, facilitando o entendimento sobre os pontos de rede espalhados pelo brasil e América  Central e as frentes de trabalho que os coletivos desenvolvem.

A reunião teve o intuito de integrar novos quadros a rede, fortalecendo os pontos dentro do estado de Rondônia, agregando cada vez mais colaboradores e parceiros.

Foto: Meryelle

Todos os participantes se mostraram bastantes atenciosos e dispostos, debatendo e tirando dúvidas, mostrando um pouco da realidade local, dificuldades enfrentadas,  felizes e curiosos em conhecer essa rede que integra cada vez mais pessoa.

Desse primeiro encontro, sugiram duas deliberações. Uma reunião com a prefeitura local para discutir o espaço “Gerivaldão” e uma próxima reunião já foi marcada para dar continuidade ao processo que está sendo construído.

Coluna Fora do Eixo 364

Com a necessidade de conectar e mobilizar agentes e parceiros do Fora do Eixo, surgiu à indigência de fazer a coluna. A coluna 364 irá visitar cada cidade e seus respectivos Coletivos para a pré – produção do Festival Grito Rock, com objetivo de maior organização e integração entre os coletivos atuantes na rede.

Em seis dias de viagem do dia 06 ao dia 12 de fevereiro, serão visitados quatro cidades de Rondônia, com a saída da Casa Fora do Eixo Rondônia, localizada em Porto Velho. Os gestores Rafael Altomar, Marcos Nobre Jr. e Neila Azevedo irão percorrer a rota, cursando um caminho aproximado a 1.400 km, passando em Ariquemes, Ji-Paraná (Coletivo Interior Alternativo), Cacoal (Coletivo Arcus) e Vilhena (Coletivo Ekatu).

A viagem será registrada com vídeos, fotos e relatos dos encontros, serão postados nas redes sociais e blog. O intuito é mostrar como está o processo de desenvolvimento e aproveitamento, novas parcerias, soluções para respectivos problemas, trocas de conhecimentos e vivência, com o desígnio de aumentar e desenvolver a rede Circuito Fora do Eixo dentro do Estado de Rondônia.