Arquivos do Blog

Grito Rock Porto Velho 2013

_DSC4904 - 2012Avener Prado

Foto: Avener Prado

Projeto chega à 11ª edição e vai conectar 30 países. Rondônia se prepara para receber o festival que começa em Fevereiro.

Depois de integrar todos os estados e regiões brasileiras e extrapolar as fronteiras conectando grande parte da América Latina, o Festival Grito Rock alcança 300 cidades de 30 países diferentes, este ano. Além dos latinos, outros países dos continentes da Europa, Oceania, África, por exemplo, integram-se ao evento. Produzido de forma colaborativa desde 2005, o Grito Rock foi criado como uma alternativa ao carnaval tradicional e em 2013 acontece entre o período de 1º de fevereiro a 03 de março.

A edição de 2013 escolheu o portal Toque no Brasil (www.tnb.art.br) como principal plataforma de conexão de agentes, produtores e artistas. Além das inscrições, o Toque no Brasil vai fomentar também turnês e shows. Estima-se a criação de aproximadamente 3 mil vagas para bandas de todo o país e turnês de pequeno, médio e grande portes, que devem ligar diversas regiões brasileiras.

O Festival que se consolida cada vez mais Rondônia, está acontecendo pela sétima vez em Porto Velho, quarta vez em Vilhena, terceira em Ji-Paraná, segunda em Cacoal e pela primeira vez em Ariquemes. Em Porto Velho, o evento acontece nos dias 01 e 02 de Março e as inscrições de bandas e artistas estão abertas, para a quinta edição realizada pelo Coletivo Cultura e Arte Organizando o Social – C.A.O.S. um ponto de rede do Circuito Fora do Eixo.

Link para inscrição:

http://tnb.art.br/oportunidades/grito-rock-mundo-2013/grito-rock-2013-porto-velho/

“O festival é construído colaborativamente pela rede de produtores formada a cada ano e que se fortalece com as conexões para potencializar a realidade local”, explica o coordenador nacional do Grito Rock, Felipe Altenfelder.  A produção colaborativa envolve cerca de 9 mil pessoas trabalhando direta e indiretamente, sendo divididos entre empregos formais e informais, autônomos, voluntários e – boa parte deles – são de colaboradores da produção, que recebem em moedas sociais ao invés da moeda oficial vigente (Real). “O Grito Rock foi a primeira tecnologia fora do eixo a mostrar numericamente a potência do trabalho replicado, multiplicado, descentralizado, aumentando o volume de moeda social investida no cenário cultural, em rede, distribuido nas pontas, chegando a atingir mais de 200 territórios no mundo com capacidade de se desdobrar em núcleos coletivos de empreendimentos culturais.” – comenta a gestora do Banco Fora do Eixo, Lenissa Lenza.

O Grito Rock é um dos grandes estimuladores das cadeias produtivas de pequenas cidades no interior, bem como em todas as capitais do país e demais pontos internacionais que realizam o festival. Estima-se que em 2011 o investimento total dos produtores combinados alcançaram aproximadamente R$2,2 milhões, injetados diretamente no mercado independente. O valor médio de cada evento também foi expressivo – em média foram aplicados $16.000,00, entre reais e moedas solidárias.

O projeto foi idealizado pelo coletivo Espaço Cubo no ano de 2003 em Cuiabá (MT). Com a criação do Fora do Eixo, em 2005 – o projeto se ampliou de forma conceitual e geográfica, envolvendo produtores de todo o país. Em 2011, o Grito Rock aconteceu em mais de 130 cidades, em oito países, movimentando 2 mil bandas e aproximadamente 200 mil espectadores. Na última edição, em 2012, foram 205 cidades realizadoras, 37% a mais em comparação com 2011, envolvendo a participação direta de aproximadamente 700 produtores culturais, de 15 países diferentes.

Fora do Eixo

Rede de trabalho colaborativa e descentralizada, constituída por mais de 120 pontos que há seis anos experimentam, compartilham e aprimoram tecnologias livres de  produzir cultura.  Acompanhe: http://facebook.com/foradoeixo

Anúncios

Edital de Vivência Festejo BeradeRO – 20 anos de Kanindé – Porto Velho/RO

O campus temporário da Universidade Fora do Eixo abre inscrições para vagas de vivências em Porto Velho/RO. Os interessados podem se inscrever nas áreas de produção e comunicação com foco nas áreas de Assistência de produção de Palcos e Apoio de Roadie, Assessoria de Comunicação Digital  e Apoio na Coordenação do Transporte, Alimentação e Hospedagem.

O período de vivência acontece de 15 a 25 de Novembro onde os selecionados participarão de metodologias não grade além de atividades de integração e formação livre como Conversas Infinitas, Vivências, Debates, Oficinas e muita programação cultural durante o Festejo BeradeRO.

O Festival BeradeRO – 20 anos de Kanindé é uma realização da Casa Fora do Eixo Rondônia, Casa Fora do Eixo Amazônia, Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé e Movimento Hip-Hop da Floresta. Integrado ao Circuito Amazônico de Festivais Independentes e a Rede Brasil de Festivais Independentes. As atividades de formação contam com o reforço da Universidade Fora do Eixo, Universidade livre da Cultura e Cultura de Red.

As inscrições já estão abertas! Elas são gratuitas e indicadas a todos os interessados. Leia o Edital completo e preencha o Formulário de Inscrição.

Festejo BeradeRO 2012 – 20 Anos de Kanindé

Conhecimento Livre, Artes Integradas & Meio Ambiente

Festejo BeradeRO acontece nos dias 19 a 26 de Novembro em Porto Velho. O evento é uma realização do Fora do Eixo Rondônia, Rede Hip-Hop da Floresta e Associação Etnoambiental Kanindé. Com o intuito de apresentar à população sobre o trabalho de 20 anos que a Kanindé acumulou em gestão etnoambiental em territórios indígenas.

O Festejo visa fomentar e qualificar o debate em torno da produção cultural, estimulando práticas de desenvolvimento econômico, social e ambiental, através de oficinas de formação, mesas de debate e palestras; além de agregar valor artístico com a realização de shows, intervenções poéticas, espetáculos de teatro, exibição de filmes, documentários e exposição fotográfica.

“20 anos de caminhada em prol dos povos indígenas por um mundo melhor”, afirmou Edjales Benício, Gerente de Atuação Política e Fiscalizadora da Kanindé.

“Essa é uma oportunidade da população entender melhor sobre as questões que estão envolvidas diretamente na nossa vida, o meio ambiente. O Festejo BeradeRO é um espaço de conhecimento sobre a riqueza amazônica tanto em suas florestas, como em sua diversidade cultural, e faz uma amostra de suas expressões e gêneros artísticos contribuindo para a difusão de novos talentos”, afirma Neila Azevedo, Gestora da Mídia, da Casa Fora do Eixo Rondônia.

O espaço de formação do Festival acontece em parceria com a Universidade Livre Fora do Eixo e Universidade da Cultura Livre – UniCult, que abre inscrições para o edital de vivência para formação de agentes culturais, nas áreas de produção e comunicação que acontecem de 15 a 25 de Novembro.

A vivência acontecerá em um ambiente coletivo, que utiliza os conceitos da economia criativa e solidária, proporcionando intensas trocas de experiências, linguagens e conhecimentos. Além disso, serão abertas as inscrições para as oficinas, debates e palestras que envolvem temas como meio ambiente, políticas públicas da cultura e produção musical, que acontecem nos dias 21 e 22 de Novembro, no Centro de Formação e Cultura Kanindé.

Nos dias 23 e 24 de Novembro acontecem as intervenções artísticas. O Festival busca resgatar e fortalecer a cultura dos povos indígenas e comunidades tradicionais, com uma programação de artes integradas, através do intercâmbio entre os artistas de diversas regiões da Amazônia brasileira. O Festejo faz parte do Circuito Amazônico de Festivais, que conecta festivais de perfis distintos que mostram a diversidade cultural da região amazônica em seus diversos contextos e cenários. Esse espaço  estimula a produção cultural e  promove a difusão de novos talentos em diversas linguagens artísticas.

“Uma afirmação da cultura beradera valorizando os povos tradicionais da floresta nesta primeira edição do Festejo, é uma marco de valorização da cultura Beradera”, comentou Rafael Altomar Gestor da Casa Fora do Eixo Rondônia.

O Festejo BeradeRO faz parte de uma rede de festivais com uma proposta que vai além da difusão cultural e que integra a participação da população na tomada de decisões que envolvem a economia urbana preservando os recursos naturais, o correto ordenamento do território, a mobilidade urbana, o clima mundial, a conservação da biodiversidade, entre outros aspectos relevantes para o ser humano.

Um pouco sobre as Instituições realizadoras do Festejo

Fundada em 15 de Novembro de 1992, por um grupo de pessoas que trabalhavam com o povo indígena Uru-eu-wau-wau e na defesa do meio ambiente em Rondônia, a Kanindé  se tornou uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP, sem fins lucrativos, que se destaca por suas ações de vigilância, fiscalização e diagnóstico etnoambiental participativo em terras indígenas. Em 2012 a Associação completa 20 anos de trabalhos desenvolvidos através de projetos que protegem a Amazônia e defendem os direitos Indígenas.

O Fora do Eixo Rondônia, faz parte de uma rede de Rede de trabalho, colaborativa e distribuida, constituída por mais de 100 pontos presentes nos 26 estados do país, o Fora do Eixo. A rede vem desenvolvendo um trabalho em Rondônia, estimulando a criação de novos coletivos para o fomento e difusão da cadeia criativa cultural, gerando novos produtores e artístas. Além disso, funciona como um laboratório de construção e sistematização de tecnologias sociais, em áreas como a comunicação, financeiro, articulação e linguagens artísticas.

O Movimento Hip-Hop da Floresta é um movimento popular, contracultural, Socioambiental em defesa de uma sociedade Socialista e ecologicamente correta de fortalecimento da Identidade Amazónica. Uma referência para a juventude de Porto Velho e da Amazónia, o movimento fortalece as lutas de classes, direitos humanos, econômico, social e ambiental e contribui para construir auto-estima e empoderar a classe trabalhadora, defendendo e cooperando nas lutas dos povos indígenas e ribeirinhos.

Semana do Audiovisual Rondônia

No próximo final de semana de 17 a 19 de Agosto, o Coletivo Interior Alternativo e Casa Fora do Eixo Rondônia com apoio da Fundação Cultural de Ji-Paraná e Secretaria de Esporte, Cultura e Lazer – SECEL realizam em Ji-Paraná à primeira Semana do Audiovisual Rondônia. A SEDA faz parte de um festival integrado em todo o Brasil, com mostras, oficinas teóricas e práticas, conferências, debates, shows e outras atividades responsáveis por promover a intersetorialidade do audiovisual com outros segmentos artísticos.

 Até 2009 a SEDA era realizada apenas na cidade de Cuiabá – MT e em 2011, o evento expandiu-se para outras regiões do país, sendo realizado em 30 cidades diferentes e tornando-se um evento nacional integrado realizado pelo Fora do Eixo, uma rede de trabalho de coletivos e agentes culturais.

 A programação nessa edição abraçou a cultura local e regional com um dia de apresentações, shows, mostras e exposições que acontecem no primeiro dia (17) ao centro da Praça do Teatro Dominguinhos, fazendo abertura e lançamento da primeira Semana de Audiovisual em Rondônia. Além disso, o evento abre inscrições para as oficinas de formação (18 e 19) e espaço para debates sobre Políticas Públicas para a Cultura e cadeia criativa e produtiva do audiovisual com a presença de Marcos Aurélio Nobre Jr. – Gestor da Casa Fora do Eixo Rondônia e Conselheiro Municipal do Audiovisual em Porto Velho.

 O evento se posta como sendo palco de discussões sobre o desenvolvimento do mercado e da produção audiovisual independente, fomentando a circulação de agentes e produtos culturais, intercambiando oficineiros, produtores e mostras que possibilitam crescimento cultural e avanço expansivo de novas artes.

Programação completa:

Sexta (17) Teatro Dominguinhos – 18h00

Projeções, Exposições, Apresentações e Shows

 Orquestra em Ação – Orquestra Sinfônica de Ji-Paraná

Quarteto Uirapuru

Quarteto em Dó

Trio Tríade

Coral da Paz

Diego Alves

Jéssica Brunn

Comunidade Manoa (Porto Velho)

 Sábado (18) UNOPAR – 09h00 às 12h00 – 14h00 às 17h00

– Oficina Pós-TV – Transmissão de um programa de TV aberto e livre, transmitido ao vivo na web.

Domingo (19) UNOPAR – 09h00 às 12h00 – 14h00 às 17h00

– Oficina Cinema de Guerrilha – Introdução ao Cinema de Guerrilha, apresentando produções de baixo custo, valorizando processos criativos e inventivos.

– Roda de Debates – Desenvolvimento de Políticas Públicas e Conselho Municipal do Audiovisual.

Faça sua inscrição para as oficinas aqui:

Inscrições

Plano de Negócios de Turismo – Povo Indígena

Fora do Eixo participa da entrega do Plano de Turismo dos Povos Indígenas Pykahu-Parintintin e Paiter Suruí

O Fora do Eixo participou de uma agenda de intensas atividades com os povos indígenas durante a entrega do Plano de Negócios de Turismo do Povo Indígena Pykahu-Parintintin da Terra Indígena Nove de Janeiro (Humaitá/AM), apresentado no dia 12 de Julho, e do Povo Indígena Paiter Suruí na Terra Indígena Sete de Setembro (Cacoal/RO), apresentado nos dias 17 e 18 de Julho.

O Fora do Eixo Rondônia através do Clube de Cinema Fora do Eixo estão fazendo um documentário sobre o Plano de Negócios de Turismo nestas terras, abordando o ecoturismo, o qual utiliza de forma sustentável o patrimônio natural e cultural; além de incentivar sua conservação e promover a luta pelo reconhecimento e integração desses territórios.

Os eventos foram realizados pela: Organização do Povo Indígena Parintintin do Amazonas – OPIPAM, Associação Metareilá do Povo Indígena Paiter Surui, Associação de Defesa Etnoambiental – Kanindé e Conservação Estratégica – CSF; como resultado de três anos de pesquisas, discussões participativas, oficinas de formação e levantamentos de campo, com apoio da USAID e Gordon e Betty Moore Foundation.

Durante os eventos, os convidados conheceram e sentiram de perto o modo de vida da cultura indígena, ao participar de seus rituais, realizarem as refeições juntos e dormir nas malocas. Os índios foram muito receptivos, trocando diversas experiências, sonhos e vontades, ressaltando o desejo de preservarem cada vez mais sua cultura, agregando parceiros e colaboradores.

Foram vários desafios encontrados no processo de construção do Plano de Negócio de Turismo, que foram solucionados a partir da construção participativa do mesmo, enfatizando a recepção de turistas como meio para revitalização da cultura indígena.

Fotos: Sérgio P. Cruz

 

 

 

Noite Fora do Eixo – STROBO (PA)

A movimentação da Casa Fora do Eixo Rondônia continua intensa, e neste próximo domingo recebe a banda Paraense STROBO.

Após um mês da realização do Congresso JUNTOS Amazônia, que foi encerrado em uma linda Noite Fora do Eixo com o show da banda Paraibana Cabruêra, agora é a vez de Porto Velho conhecer o trabalho da Paraense STROBO, que no próximo Domingo (15 de Julho) fecha a segunda Noite Fora do Eixo do ano.

O evento acontecerá no Pioneiros Pub á partir das 19 horas, totalmente Gratuito. A Noite contará também com a participação do projeto poético musical “As Testemunhas de Giovani”, banda Wari e discotecagem do DJ Miúdo.

A Banda

A STROBO é uma dupla formada em janeiro de 2011 por Léo Chermont (Guitarra e Efeitos) e Arthur Kunz (Bateria e Programações) com o objetivo de aliar à música instrumental a uma roupagem pop, utilizando da tecnologia para misturar timbres sintéticos e acústicos sem restrição.

Com três EPs virtuais lançados e uma série de shows em importantes Festivais nacionais, clipes veiculados na Mtv, e gravação de programas como o “Experimente” na Multishow. Esse jovem projeto musical já ganha destaque no cenário musical nacional. Imperdível é a palavra certa para essa Noite. Até lá!

Serviço:

O que: Noite Fora do Eixo

Quando: 15/07 – Domingo

Quanto: Gratuito

Onde: Pioneiros Pub

Hora: 19h

Atrações: Strobo (PA), Testemunhas de Giovani, Banda Wari e DJ Miúdo

 

 

 

Debate e Construção em Rede de Tecnologias Sociais e Políticas Culturais

A primeira das etapas das regionais do JUNTOS acontece no próximo dia cinco à oito de Junho em Porto Velho. O Fora do Eixo Rondônia, através da parceria do SESC e Kanindé, vão receber mais de 40 convidados, entre produtores, gestores e artistas de diversas regiões do Brasil, e também coletivos e pontos de cultura da Venezuela.

O JUNTOS Amazônia é um evento que demonstra a construção das articulações que o Fora do Eixo Rondônia vem fazendo através de uma relação de aproximação entre agentes culturais, produtores e parceiros. Para debater e construir em rede tecnologias sociais e políticas culturais. Um momento importante para a regional Norte compartilhar as experiências, com trocas e debates em um nivelamento e entendimento de oportunidades, soluções e atuações.

A proposta da programação do evento começa com uma apresentação dos Coletivos e Pontos de Cultura, que irão fazer uma troca de experiências e sistematização de ideias e ferramentas. Facilitando a conexão e o trabalho em rede, com temas que podem ser debatidos em um momento de reuniões livres.

Na abertura acontecerá o lançamento do Circuito Amazônico de Festivais, que debaterá a “Nova cara da música Independente”, servindo como pauta para o Seminário da Música Fora do Eixo que vai acontecer no dia sete de Junho. Construindo um diálogo sobre gestão de carreiras, festivais, micro-rotas, eventos, produções,  levantando pontos positivos e negativos.

Durante os outros dias os debates circularão entre as Frentes Mediadoras do Fora do Eixo, como o Partido da Cultura, Universidade Livre e o Banco Fora do Eixo. Com temas ligados às políticas públicas para a cultura, ferramentas de organização, formação, sistematização e difusão do conhecimento e também no debate e nivelamento sobre a Rio + 20, e a Integração Cultural e Política do Brasil e Venezuela.


Confira a Programação Completa:

05 de Junho –  Terça-Feira – Abertura JUNTOS

09h00 às 12h30 – Local – Centro Cultura/Formação Kanindé

  • [Credenciamento]

  • [Reunião Geral] Apresentação dos Coletivos e Pontos de Cultura e Proposta do Encontro

15h00 às 17h00 – Local – SESC (Quadra)

  • [Reuniões Livres]

15h00 às 17h00  – Local – Faculdade São Lucas  (Auditório)

  • [Evento integrado] Semana do Ativismo Verde – Palestra resíduos – PósTV

17h00 às 18h00 – Local – SESC (Espaço de Vivência)

  • [Programação Artística] CineCAOS, Banquinha de produtos e Discotecagem

  • [Intervenção Artística] “Uma Luz para o Mundo” – Bototo

20h00 às 22h00 – Local – SESC (Teatro 1)

  • [Cerimônial de abertura]

  • Lançamento do Circuito Amazônico de Festivais

  • A Nova Cara da Música Independente

  • PósTV

06 de Junho – Quarta-feira – Frentes Mediadoras (Universidade, Banco, Partido da Cultura)

Mesa #REGULACULTURA-RONDÔNIA

09h00 às 12h30 – Local – Centro Cultura/Formação Kanindé

  • [Universidade Livre Fora do Eixo] – Formação, organização, sistematização e difusão do conhecimento

15h00 às 17h00 – Local – SESC (Cine SESC)

  • [Banco Fora do Eixo] Ferramentas de organização, sistematização e captação de recursos

  • [Forúm de Economia Solidária] Bancos Comunitários, moeda social, Conta Comum

17h00 às 18h00 – Local – SESC (Espaço de Vivência)

  • [Programação Artística] CineCAOS, Banquinha de produtos e Discotecagem

  • [Intervenção Artística]

20h00 às 22h00 – Local – Palácio do Governo (Auditório)

  • [MESA REGULA CULTURA RONDONIA] Partido da Cultura e Políticas Públicas para a Cultura

  • [Encontro] Setorial de #RedesSociosCulturais

07 de Junho – Quinta-feira – Seminário da Música Fora do Eixo

09h00 às 12h30 – Local – Centro Cultura/Formação Kanindé

  • [Reunião geral da Música FdE] Avanços, Pontos Posítivos/Negativos

  • Tags #MusicaFdE #Abrafin #Festivais #F5 #Produções #Eventos #LeCaos

15h00 às 17h00 – Local – SESC (Cine SESC)

  • [Debate Música] Gestão de Carreiras, Agênciamento, Turnê, Micro-Rotas

  • Tags #Artísta Igual Pedreiro #Novas Possibilidades #Nova cara da música Brasileira

17h00 às 18h00 – Local – SESC (Espaço de Vivência)

  • [Programação Artística] CineCAOS, Banquinha de produtos e Discotecagem

  • [Feira de Trocas] Os participantes devem levar bens e/ou serviços para trocar. Valem de alimentos caseiros, roupas, livros e objetos usados , corte de cabelo, massagem e coisas fora do mercado formal.

  • [Intervenção Artística] “O CATADOR” – Bototo

20h00 às 22h00 – Local – SESC (Teatro 1)

  • [Debate Rio + 20]

08 de Junho – Sexta-feira – Coletivos + Pontos de Cultura

09h00 às 12h30 – Local – Centro Cultura/Formação Kanindé

  • [Integração Cultural e Política] Brasil e Venezuela

  • #AméricaLatína #Conexões

15h00 às 17h00 – Local – SESC (Quadra)

  • Reunião de Coletivos e Pontos de Cultura

  • #Parceria #Comunicação #Livre Conhecimento #Redes Sociais #Distribuição #Intercâmbio

17h00 às 18h00 – Local – SESC (Espaço de Vivência)

  • [Programação Artística] – CineCAOS, Banquinha de Produtos, Feira do Sol e Discotecagem

  • Intervenção Planeta Hospício – Bototo

20h00 às 22h00 – Local – SESC

  • Reuniao de Coletivos e Pontos de Cultura

  • #RedesemRede

21h30 às 00h00 – Local -SESC (Espaço de Vivência)

 

 

 

Exposição Coletiva de Maio 2012 – Rio Madeira

A Casa de Cultura Ivan Marrocos deu abertura a exposição “Rio Madeira”, na  sexta-feira (08 de Maio) que está acontecendo até o dia 21 de Maio. Essa é a segunda parte do evento que reuniu artistas para criar e construir obras de forma coletiva e colaborativa em uma oficina que acontece anualmente em Porto Velho.

Na abertura do evento os artistas que mostraram em suas obras o valor do Rio Madeira, também puderam falar em alto e bom tom para a população sobre a vitória em conseguir reunir vários artistas  consagrados, aqueles que ainda estão apenas começando, ou até mesmo quem participou dessa experiência tão rica, de produzir e conviver juntos para conceber essas obras de arte.

João Zoghbi artísta plástico e chargista, falou sobre o significado desse evento, contando que a “Coletiva de Maio fez com que os artistas trabalhassem melhor e saíssem da casca, de seu atelier, e viessem para o mundo mostrar seu trabalho de uma maneira mais simples e mais ousada, trazendo um crescimento espiritual e técnico muito grande, se diferenciando do super ego dos artistas, ficando nivelado e equilibrado. Ainda citou que foi fantástico fazer uma semana de trocas de experiências com todos os artistas e aqueles que estão aspirando serem artistas”.

O evento é uma realização do Governo do Estado através da Secretaria de Estado, Esporte, Cultura e Lazer – SECEL e Casa de Cultura Ivan Marrocos com apoio cultural do Fora do Eixo Rondônia.

Mostra Sesc Rondônia de Música Ano IX – O som do Apito do Trem

Entre os dias 7  e 11 de maio o SESC Rondônia vai apresentar a 9ª Edição da Mostra Rondônia de Música. Em 2012 a Mostra vai homenagear a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré pelo seu centenário. O evento contará com a apresentação de 25 músicos e grupos musicais locais e de outros estados que vão realizar shows, oficinas, palestras e workshops na unidade do SESC Esplanada, em Porto Velho.
Nesta edição, além dos cantores, instrumentistas e bandas de Porto Velho, o SESC vai receber profissionais de São Paulo, Rio de Janeiro e do Rio Grande do Norte.
A abertura (7 de maio), a partir das 19h, no Teatro do Sesc no palco 1 ‘Melodia da Fumaça’ com o show “Aldeia dos Sonhos do cantor e compositor Bado” e  no palco 2 ‘Ritmo do Trilho’ o show “Sambedoria com o artista Binho e grupo” respectivamente.
Os artistas locais que irão se apresentar na 9ª Mostra terão suas músicas inéditas gravadas em CD. O compêndio da Mostra será encaminhado para as demais regionais do SESC espalhadas por todo o país.
A Mostra é uma realização do Sistema Fecomércio Rondônia e SESC Rondônia, com apoio cultural da Escola de Musica Jorge Andrade e Fora do Eixo Rondônia.
Mais Informações (69) 3229-5882

 

 

 

Surui Workshop 2012 Training Agenda – Google Earth Outreach

 

 

Equipe de Coservação da Amazônia, a Gamebey e Google Earth Outreach realizam o “Surui Workshop 2012 Training Agenda” de cinco a oito de Maio na Associação Meitareilá do Povo Indígena Suruí que tem como metas ensinar o povo Suruí a mapear seus pontos de referência culturais em Spreadsheet Mapper 3,0.

O Fora do Eixo Rondônia esta acompanhando toda a programação da oficina, que utilizam as plataformas mais usadas pela rede Fora do Eixo e tem por finalidade serem os ingredientes para a criação de um mapa.  A abertura oficial contou com uma mesa de covidados composta por Almir Suruí (Chefe Maior Suruí), Rebecca Moore (Google), Francesco (Padre Franco, Prefeito do Município de Cacoal), Itabira Suruí (Representante do Parlamento Suruí), Naraími Suruí (Representante das Associações Suruí), Dinho Reis (Representante do Governo do Estado e Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer – SECEL) e Edimar Freire (Kanindé).

Durante a apresentação a Rebecca (Google) contou a história de como começou o contato da Google com o povo Suruí. Em 2007 o Almir Suruí apareceu na Google e explicou a situação de seu povo e território, mas em vez de pedir ajuda ele sugeriu uma parceria, que juntou a tecnologia da Google com a força da tribo Suruí.

Almir Suruí falou sobre a importância dessa tecnologia para tribo, em função de proteger seu território e contestá-lo quanto a sua ocupação. E sobre as ameaças ao planeta, que é uma luta comum da humanidade, são várias ações do ser humano que não estão sendo aceitas pelo planeta. Existe uma enorme necessidade de consciência do que as pessoas irão deixar para seus filhos e netos.  Uma das soluções para essas ameaças seriam geração de empregos com a economia verde. O povo Suruí está contribuindo com o desenvolvimento sustentável do município, estado e região, e a Google está levando essa mensagem em todos os continentes do mundo. Almir ainda falou sobre a tecnologia em favor da vida humana valorizando a cultura, os seus custos econômicos para chegar às aldeias e o objetivo de que a Google possibilite que a língua do povo Paiter tenha tradução.

A oficina terá continuidade dividindo os participantes em duas turmas, uma que ficará em sala aprendendo a utilizar as ferramentas online e outra que irá buscar informações, para montagem do mapa, com histórias, fotos e vídeos nas aldeias indígenas, que será feito no dia seguinte com todos os participantes. Na programação também haverá um espaço no terceiro dia (08 de Maio) para uma celebração e momento de trocas entre todos, finalizando o dia com um debate que é um preparatório da “Rio + 20” (Conferência das Nações Unidas) mostrando todo esse trabalho que está sendo feito para o Mundo.

Confira a programação completa:

Metas:

   * Ensinar os Suruí como mapear seus pontos de referência culturais em Spreadsheet Mapper 3,0

* Certifique-se o mapa é de 99,9% preenchido com os dados por isso estamos confiantes de que qualquer conteúdo restante será adicionado até 18 de Maio. O conteúdo precisa estar lá antes do Rio +20 . 15 tipos de ícone, 200 pontos;

* Ensinar Surui como usar a mídia (Google Earth , fotos, vídeos ) como uma plataforma boa narrativa .

Formadores:

Raleigh Seamster

Tanya Birch

Sean Askay

David Tryse

Participantes:

Federico (tradutor e jornalista)

Hebert (ECAM treinamentos)

20 Surui participantes

Local:

Laboratório de Computação da Metareila

Agenda:

Maio 3/4: Preparação Federico e Max e quaisquer outros tradutores sobre o conteúdo.

 Dia 1: 05 de maio

08:00-9:00 – Surui viagem via ônibus para Metareila localização oficina

Nove horas – 9:30 – Café da manhã

Dias: 9-12, 2-6

T = Técnicos

S = Indígenas e ajudantes

G = Grupo – todos os participantes

HA = Prática

9:00 – 10:00 G (Rebecca, Tanya)Objetivos da oficina. Visão geral sobre o que vamos aprender nos próximos 3 dias. O foco será sobre Surui Mapa Cultural. Apresentações de todos os participantes – por que você está interessado, o que você espera aprender e sair do treinamento. Pergunte Surui se tiverem idéias para contribuir todo o conteúdo do mapa.
10:00 – 11:00 G – HA (Raleigh)Visão geral do que estamos indo para aprender.Resumo Mapa Cultural (no GE)

Google Docs

Picasa

YouTube

Google Earth

11:00 – 12:00 G – HA (Tanya)Introdução a contas do Google e de partilha de dados na internetpovoindigenapaitersurui@gmail.com : paitersurui

Colocando dados em pen drives de armazenamento de dados (backup)

Conta, Noções básicas do Google

O acesso do público vs limitada através de produtos do Google

12:00 – 2:00 G Pausa para almoço
2:00 – 3:00 G (Tanya)
Divida em grupos técnicos : 8-12 pessoas técnicas de construção do Mapa Cultural , permanecendo os indígenas . Duas câmeras de ir a campo para coleta de foto.
3:00 S O grupo que construiu o mapa volta para terra indígena de ônibus? Transportar ?
2:00 – 3:00 T (Sean)Introdução ao Google SpreadsheetsEditando células , formatando

Compartilhamento e edição colaborativa

Desfazer, revisões

Introdução ao Mapper planilha

Conceito básico: publicar um arquivo KML a partir de uma planilha.

2:00 – 4:30 T (Raleigh, Tanya)MÍDIA FAIXA:Gerenciando fotos e vídeos

A utilização da câmera digital e transferir para o computador

Usando o Picasa para organizar fotos e vídeos no computador local (vs. online)

Como reduzir o tamanho do arquivo de mídia

Upload de fotos para Picasaweb (privado / público)

Carregar vídeos para o Picasaweb e / ou YouTube

Como obter URLs directos para fotos e vídeos para uso em Mapper planilha

4:30 – 5:00 G Discussão de coleta de dados sobre a noite

Logística: Jantar participantes permanecer no hotel durante a noite.

Dia 2: 06 de maio

08:00-9:00 – Surui viagem à oficina

Nove horas – 09:30 horas – café da manhã 

9:30 – 10:00 G (Tanya)Análise do treinamento de ontem
10:00 – 12:30 T (Sean, David)Passos simples para alterar as informações em um balão de marcador .Editar texto

Adicione uma foto

Adicionar um vídeo do YouTube

Publicar o novo mapa

Como ver o mapa no Google Earth e Maps

Noções básicas do Google Earth

Introdução, o que é o Google Earth

Anotação Google Earth

Salvar um arquivo KML

Enviar e-mail um arquivo KML (avançado : hospedá-lo em paiter.org ou docs Google

12:30 – 1:30 G Pausa para almoço
2:00 – 4:30 G Grupo retorna à formação, tendo coletado histórias. Equipes dados de entrada para o Mapa Cultural Surui em Português.
4:30 – 5:00 G Reveja o DiaPlano de introdução de informação Mais no dia 3

Logística: Jantar segue para todos. Os participantes permanecer no hotel durante a noite.

DIA 7: A celebração do (e talvez encontro alguns dados !)

 3 º Dia : 8 de maio

9:00 – 12:00 G Adicionar dados ao Mapa Cultural – Caminhão & Storytelling faixa TechieConcentre-se tempo com Hebert sobre o combate tópicos avançados
12:00 – 1:00 Almoço
1:00 – 3:00 G Surui na trilha vai ensinar outros membros da tribo sobre o que eles aprenderam. Surui na trilha vai contar e dar um exemplo de uma boa história
3:00 – 4:00 G Passeio de brainstorm (Raleigh & David )
4:00 – 4:30 G  Retornando para Seminário

Logística: Transporte leva todos os participantes de volta para as terras indígenas Suruí.

Conteúdo pasta de trabalho:

○        Introdução ao Google Spreadsheets

○         Editando células , formatando

○         Edição de compartilhamento e colaboração

○         Desfazer , as revisões

  • Mapas e Planilhas

○        Passos simples para alterar as informações em um balão de marcador.

○        ■ Editar texto

○        ■ Adicione uma foto

○        ■ Adicionar um vídeo do YouTube

○        ○ Como visualizar marcador no Google Earth e Maps

● As fotos e vídeos de Gerenciamento de:

○ Uso da câmera digital e transferir para o computador

○ Como usar o Picasa para organizar fotos e vídeos no computador local (vs. online)

○ Carregar fotos reduzidos para Picasaweb (privado / público)

○ reduzido vídeos para o Picasaweb e / ou YouTube

○ Como obter URLs directos para fotos e vídeos para uso em Mapper planilha

● Noções básicas do Google Earth

* Introdução, o que é o Google Earth

* ○ Anotação Google Earth

■ Adicionar um marcador

■ Editar texto do balão

■ Adicione uma foto dentro de um balão a partir da web ou de um álbum do Picasa

■ Adicionar um vídeo do YouTube

○ Salvar um arquivo KML

Referências:

Spreadsheet Mapper Tutorial 3,0

Google Spreadsheets Centro de Ajuda ( en & pt )

Cheatsheet : Atualização do Mapa Cultural Surui

● Passo -a-Passo Guia de adicionar conteúdo e editar conteúdo em Surui Cultural Mapa

○ Adicionando Placemark Dados

○ Adicionando uma foto do seu computador ou de um álbum da web do Picasa

○ A publicação da última versão do Mapa

○ Quem contactar se algo der errado