Arquivos do Blog

Edital de Vivência Festejo BeradeRO – 20 anos de Kanindé – Porto Velho/RO

O campus temporário da Universidade Fora do Eixo abre inscrições para vagas de vivências em Porto Velho/RO. Os interessados podem se inscrever nas áreas de produção e comunicação com foco nas áreas de Assistência de produção de Palcos e Apoio de Roadie, Assessoria de Comunicação Digital  e Apoio na Coordenação do Transporte, Alimentação e Hospedagem.

O período de vivência acontece de 15 a 25 de Novembro onde os selecionados participarão de metodologias não grade além de atividades de integração e formação livre como Conversas Infinitas, Vivências, Debates, Oficinas e muita programação cultural durante o Festejo BeradeRO.

O Festival BeradeRO – 20 anos de Kanindé é uma realização da Casa Fora do Eixo Rondônia, Casa Fora do Eixo Amazônia, Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé e Movimento Hip-Hop da Floresta. Integrado ao Circuito Amazônico de Festivais Independentes e a Rede Brasil de Festivais Independentes. As atividades de formação contam com o reforço da Universidade Fora do Eixo, Universidade livre da Cultura e Cultura de Red.

As inscrições já estão abertas! Elas são gratuitas e indicadas a todos os interessados. Leia o Edital completo e preencha o Formulário de Inscrição.
Anúncios

Festejo BeradeRO 2012 – 20 Anos de Kanindé

Conhecimento Livre, Artes Integradas & Meio Ambiente

Festejo BeradeRO acontece nos dias 19 a 26 de Novembro em Porto Velho. O evento é uma realização do Fora do Eixo Rondônia, Rede Hip-Hop da Floresta e Associação Etnoambiental Kanindé. Com o intuito de apresentar à população sobre o trabalho de 20 anos que a Kanindé acumulou em gestão etnoambiental em territórios indígenas.

O Festejo visa fomentar e qualificar o debate em torno da produção cultural, estimulando práticas de desenvolvimento econômico, social e ambiental, através de oficinas de formação, mesas de debate e palestras; além de agregar valor artístico com a realização de shows, intervenções poéticas, espetáculos de teatro, exibição de filmes, documentários e exposição fotográfica.

“20 anos de caminhada em prol dos povos indígenas por um mundo melhor”, afirmou Edjales Benício, Gerente de Atuação Política e Fiscalizadora da Kanindé.

“Essa é uma oportunidade da população entender melhor sobre as questões que estão envolvidas diretamente na nossa vida, o meio ambiente. O Festejo BeradeRO é um espaço de conhecimento sobre a riqueza amazônica tanto em suas florestas, como em sua diversidade cultural, e faz uma amostra de suas expressões e gêneros artísticos contribuindo para a difusão de novos talentos”, afirma Neila Azevedo, Gestora da Mídia, da Casa Fora do Eixo Rondônia.

O espaço de formação do Festival acontece em parceria com a Universidade Livre Fora do Eixo e Universidade da Cultura Livre – UniCult, que abre inscrições para o edital de vivência para formação de agentes culturais, nas áreas de produção e comunicação que acontecem de 15 a 25 de Novembro.

A vivência acontecerá em um ambiente coletivo, que utiliza os conceitos da economia criativa e solidária, proporcionando intensas trocas de experiências, linguagens e conhecimentos. Além disso, serão abertas as inscrições para as oficinas, debates e palestras que envolvem temas como meio ambiente, políticas públicas da cultura e produção musical, que acontecem nos dias 21 e 22 de Novembro, no Centro de Formação e Cultura Kanindé.

Nos dias 23 e 24 de Novembro acontecem as intervenções artísticas. O Festival busca resgatar e fortalecer a cultura dos povos indígenas e comunidades tradicionais, com uma programação de artes integradas, através do intercâmbio entre os artistas de diversas regiões da Amazônia brasileira. O Festejo faz parte do Circuito Amazônico de Festivais, que conecta festivais de perfis distintos que mostram a diversidade cultural da região amazônica em seus diversos contextos e cenários. Esse espaço  estimula a produção cultural e  promove a difusão de novos talentos em diversas linguagens artísticas.

“Uma afirmação da cultura beradera valorizando os povos tradicionais da floresta nesta primeira edição do Festejo, é uma marco de valorização da cultura Beradera”, comentou Rafael Altomar Gestor da Casa Fora do Eixo Rondônia.

O Festejo BeradeRO faz parte de uma rede de festivais com uma proposta que vai além da difusão cultural e que integra a participação da população na tomada de decisões que envolvem a economia urbana preservando os recursos naturais, o correto ordenamento do território, a mobilidade urbana, o clima mundial, a conservação da biodiversidade, entre outros aspectos relevantes para o ser humano.

Um pouco sobre as Instituições realizadoras do Festejo

Fundada em 15 de Novembro de 1992, por um grupo de pessoas que trabalhavam com o povo indígena Uru-eu-wau-wau e na defesa do meio ambiente em Rondônia, a Kanindé  se tornou uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP, sem fins lucrativos, que se destaca por suas ações de vigilância, fiscalização e diagnóstico etnoambiental participativo em terras indígenas. Em 2012 a Associação completa 20 anos de trabalhos desenvolvidos através de projetos que protegem a Amazônia e defendem os direitos Indígenas.

O Fora do Eixo Rondônia, faz parte de uma rede de Rede de trabalho, colaborativa e distribuida, constituída por mais de 100 pontos presentes nos 26 estados do país, o Fora do Eixo. A rede vem desenvolvendo um trabalho em Rondônia, estimulando a criação de novos coletivos para o fomento e difusão da cadeia criativa cultural, gerando novos produtores e artístas. Além disso, funciona como um laboratório de construção e sistematização de tecnologias sociais, em áreas como a comunicação, financeiro, articulação e linguagens artísticas.

O Movimento Hip-Hop da Floresta é um movimento popular, contracultural, Socioambiental em defesa de uma sociedade Socialista e ecologicamente correta de fortalecimento da Identidade Amazónica. Uma referência para a juventude de Porto Velho e da Amazónia, o movimento fortalece as lutas de classes, direitos humanos, econômico, social e ambiental e contribui para construir auto-estima e empoderar a classe trabalhadora, defendendo e cooperando nas lutas dos povos indígenas e ribeirinhos.

Noite Fora do Eixo – STROBO (PA)

A movimentação da Casa Fora do Eixo Rondônia continua intensa, e neste próximo domingo recebe a banda Paraense STROBO.

Após um mês da realização do Congresso JUNTOS Amazônia, que foi encerrado em uma linda Noite Fora do Eixo com o show da banda Paraibana Cabruêra, agora é a vez de Porto Velho conhecer o trabalho da Paraense STROBO, que no próximo Domingo (15 de Julho) fecha a segunda Noite Fora do Eixo do ano.

O evento acontecerá no Pioneiros Pub á partir das 19 horas, totalmente Gratuito. A Noite contará também com a participação do projeto poético musical “As Testemunhas de Giovani”, banda Wari e discotecagem do DJ Miúdo.

A Banda

A STROBO é uma dupla formada em janeiro de 2011 por Léo Chermont (Guitarra e Efeitos) e Arthur Kunz (Bateria e Programações) com o objetivo de aliar à música instrumental a uma roupagem pop, utilizando da tecnologia para misturar timbres sintéticos e acústicos sem restrição.

Com três EPs virtuais lançados e uma série de shows em importantes Festivais nacionais, clipes veiculados na Mtv, e gravação de programas como o “Experimente” na Multishow. Esse jovem projeto musical já ganha destaque no cenário musical nacional. Imperdível é a palavra certa para essa Noite. Até lá!

Serviço:

O que: Noite Fora do Eixo

Quando: 15/07 – Domingo

Quanto: Gratuito

Onde: Pioneiros Pub

Hora: 19h

Atrações: Strobo (PA), Testemunhas de Giovani, Banda Wari e DJ Miúdo

 

 

 

Exposição Coletiva de Maio 2012 – Rio Madeira

A Casa de Cultura Ivan Marrocos deu abertura a exposição “Rio Madeira”, na  sexta-feira (08 de Maio) que está acontecendo até o dia 21 de Maio. Essa é a segunda parte do evento que reuniu artistas para criar e construir obras de forma coletiva e colaborativa em uma oficina que acontece anualmente em Porto Velho.

Na abertura do evento os artistas que mostraram em suas obras o valor do Rio Madeira, também puderam falar em alto e bom tom para a população sobre a vitória em conseguir reunir vários artistas  consagrados, aqueles que ainda estão apenas começando, ou até mesmo quem participou dessa experiência tão rica, de produzir e conviver juntos para conceber essas obras de arte.

João Zoghbi artísta plástico e chargista, falou sobre o significado desse evento, contando que a “Coletiva de Maio fez com que os artistas trabalhassem melhor e saíssem da casca, de seu atelier, e viessem para o mundo mostrar seu trabalho de uma maneira mais simples e mais ousada, trazendo um crescimento espiritual e técnico muito grande, se diferenciando do super ego dos artistas, ficando nivelado e equilibrado. Ainda citou que foi fantástico fazer uma semana de trocas de experiências com todos os artistas e aqueles que estão aspirando serem artistas”.

O evento é uma realização do Governo do Estado através da Secretaria de Estado, Esporte, Cultura e Lazer – SECEL e Casa de Cultura Ivan Marrocos com apoio cultural do Fora do Eixo Rondônia.

[MúsicaFdE] Dub da Lata a caminho do Pará Roots

Positividade, sabedoria e verdade, evolução da consciência coletiva, humildade, união, amor e respeito são expressões cantadas e tocadas ao ritmo do reggae da banda Dub da Lata, banda criada em junho de 2011 na cidade de Porto Velho – RO. A banda vem trabalhando firme e forte desde sua criação.

Fizeram recentemente o lançamento de dois singles “Cabeça Ativa” e “Escravos do Capitalismo” através do Estúdio LeCaos. Com uma agenda cheia na cidade este mês, a trupe está fazendo os pré-shows  da segunda edição do Festival Pará Roots no dia 19 de Maio. Sendo uma das bandas convidadas a fazer parte da programação de mais de 20 atrações independentes do reggae paraense e de outros estados.

O Projeto

O idealizador do projeto, guitarrista, vocalista e compositor Romulo Oliveira vem trabalhando o reggae no Brasil desde 2003 e quer usar sua experiência para dar a real sensação ao ouvinte de estar prestigiando o reggae da forma como foi criado nos guetos da Jamaica. Romulo foi convidado como guitarrista de apoio de “Ki Many Marley” (filho de Bob Marley) em um show que aconteceu em Goiânia em 2006 juntamente com a banda californiana Groundation; abriu shows de bandas consagradas como “The Original Wailers” (banda que acompanhou Bob Marley) – show que aconteceu em 2009, “The Gladiators” (Jamaica) em 2008, entre outras bem como de várias bandas nacionais como “Ponto de Equilíbrio” (RJ), “Planta e Raiz” (SP), “Brasucas” (DF) entre outras. Sua influência vem dos jamaicanos Bob Marley, Clinton Fearon, The Gladiators, Israel Vibration, IJahMan, Don Carlos, Mid Night (Austrália), Steel Pulse (Inglaterra)… Desde sua criação a banda tem se apresentado em diversos pubs e festivais de Porto Velho com ótima aceitação pelo publico, que conta com somente duas bandas de reggae na cidade.

A Banda

A banda conta com experientes músicos do cenário portovelhense que promovem a cultura dentre outras formas veiculados pela Casa Fora do Eixo Rondônia, e hoje Dub da Lata é: Romulo Oliveira – Vocal e Guitarra Diego Bentes – Vocal Luis Paulo Pinheiro – Baixo Iago Botti – Bateria Jeferson Almeida – Teclado Cleyton Lira – Percussão.

O público alvo da banda Dub da Lata são pessoas que querem conciliar a diversão com crescimento cultural, haja vista que o reggae, da maneira como foi criado, traz letras fortes de cunho sócio-politico-religioso, além das que falam da natureza e do amor universal, de uma forma leve como em seu ritmo.

Links:

http://soundcloud.com/dubdalata

https://www.facebook.com/bandadubdalata

Fotos: Meryelle Oliveira

O Artesanato é 100 no centenário da Estrada de Ferro Madeira Mamoré

Foto: Marcos Nobre Jr.

Ontem começou a primeira Semana de Artesanato de Rondônia com o tema “O artesanato é 100 no centenário da Estada de Ferro Madeira Mamoré”. O evento faz parte da agenda de atividades criada pela comissão do centenário no início do ano. Realizado pelo governo do Estado por meio da Secretaria dos Esportes, da Cultura e do Lazer (Secel).

O Evento começou com debates e palestras na Casa de Cultura Ivan Marrocos. E os gestores da Casa Fora do Eixo Rondônia estiveram presentes fazendo a Cobertura Colaborativa e transmissão ao vivo online. Durante a tarde inteira os artesãos acompanharam a cerimônia de abertura com um enorme agradecimento aos parceiros e realizadores do evento  e com a presença do Secretário Francisco Leilson (SECEL) e de vários convidados.

Foto: Marcos Nobre Jr.

Após a cerimônia os artesãos acompanharam as palestras de “Empreendedor Individual” com o facilitador Carlos Eduardo (SEBRAE) tirando as dúvidas de como formalizar o negocio através do artesanato e  “Histórias e Curiosidades de Rondônia”  mostrando a importância do artesanato no desenvolvimento de Rondônia, com o facilitador Anísio Gorayeb (Historiador).

Foto: Marcos Nobre Jr.

A programação só começou, serão quatro dias de feira, com a presença de mais de 80 artesãos da capital e do interior do Estado, que irão expor e comercializar trabalhos em madeira, sementes, cerâmica, cipó, barbante, tecido entre outros, mostrando o que artesanato local tem de melhor.

Foto: Thiago Maziero

Vale destacar que nesta sexta-feira (30) o evento conta com os shows da Banda “Kali e os Calhordas” uma mistura de música popular com uma pegada Rock n’ Roll e da Banda “Beradelia” que envolve vários ritmos e a música popular beradeira – MPBéra.

O produtor cultural Denis Carvalho, que também está à frente da organização, destacou que a população vai encontrar uma excelente estrutura no evento. “Além do artesanato teremos também paredão de escala e rapel, oferecido pela Amazônia Adventure, e no sábado e domingo shows com bandas locais. Sem contar com segurança proporcionada pela Polícia Militar e Corpo de Bombeiros”, afirmou.

Foto: Luana Lopes

A pluralidade é o elemento que mais caracteriza a cultura rondoniense e o artesanato expressa muito bem estes elementos. São tradições, técnicas, metodologias e histórias que inspiram os artesãos de todo o Estado a confeccionar peças que retratam as raízes do povo de Rondônia.

Wéllida Sodré, uma das organizadoras do evento, que recentemente fez o cadastro dos artesãos em todo o Estado, ressaltou que os artesãos de Rondônia apresentam trabalhos de muita qualidade e que as políticas públicas para o artesanato já são uma realidade no Estado. “Este evento servirá para fortalecer ainda mais o segmento trazendo muitas novidades para população”, disse Wélida.

A semana do artesanato acontecerá de 29 de março à 1º de abril, no complexo da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, de 14h às 22h, com o apoio da Sedam, Seduc, Seas, Plano Futuro, Emater, Semdestur, Fundação Iaripuna e Sebrae.

Fonte:DECOM


Vivência com a equipe do Núcleo de Apoio à População Ribeirinha da Amazônia – NAPRA

Nesta terça (27 de Março) a Casa Fora do Eixo Rondônia irá receber onze gestores do Núcleo de Apoio à População Ribeirinha da Amazônia, que é uma organização privada sem fins lucrativos que mobiliza estudantes universitários, profissionais e moradores de comunidades ribeirinhas para propor ações integradas para questões socioambientais da Amazônia brasileira.

A equipe vai passar sete dias na casa acompanhando todas as atividades que são desenvolvidas, aprendendo a utilizar as ferramentas e plataformas da rede Fora do Eixo, fazendo trocas e mostrando para os gestores da casa o trabalho que desenvolvem fazendo uma vivencia coletiva. O que sem dúvida será uma semana com muito conteúdo e um momento de união e parceria.

O NAPRA acredita que qualquer ação visando à conservação da floresta deve ser desenvolvida em estreita parceria com as comunidades tradicionais que a habitam. Essas comunidades são as principais prejudicadas pelo desmatamento, já que vivem integradas com a floresta e dependem dela para sobreviver. Apoiá-las para se tornarem efetivas guardiãs da Amazônia é o grande objetivo da organização.

A organização é composta por profissionais formados e estudantes de diversos cursos de importantes instituições de ensino superior, motivados em trabalhar com as comunidades e fazer a diferença pela conservação da floresta. Os associados passam por um intenso processo de formação que inclui tanto atividades preparatórias para a atuação com as comunidades quanto à vivência e trabalho com essas populações e suas diferentes culturas. A ideia é que essas pessoas – que podem vir a ocupar posições de destaque na sociedade – se tornem multiplicadores dessa causa, incorporando os aprendizados obtidos por meio da atuação no NAPRA em outras esferas de suas vidas pessoais e profissionais.

As comunidades diretamente apoiadas se localizam no norte do estado de Rondônia, zona rural do município de Porto Velho, em uma extensão de aproximadamente 200 quilômetros às margens de um dos mais importantes rios amazônicos – o rio Madeira – e nas proximidades de três Unidades de Conservação Federais. As equipes atuam de forma transdisciplinar e em estreita parceria com os moradores das comunidades. As ações desenvolvidas buscam melhorar as condições de saúde, gerar trabalho e renda de forma sustentável, aprimorar a educação e fortalecer a organização social das comunidades. Anualmente, cerca de 2000 ribeirinhos são diretamente beneficiados pela atuação do NAPRA.

Fonte: http://www.napra.org.br/

Dia Internacional da Mulher – Programação #FEmininas

O dia Internacional da Mulher (oito de Março) teve uma programação especial na Casa Fora do Eixo Rondônia. Com uma participação na Pós TV (Transmissão ao vivo pela internet) das #FEmininas da Rede Fora do Eixo, debatendo diversos temas com convidadas de Porto Velho, Manaus, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre e Fortaleza e uma programação local com o Clube de Cinema da casa.

As convidadas de Porto Velho para a Pós TV foram a Adalgiza Erse, Érica Melo e Neila Azevedo que foram sorteadas com os temas “Mulheres no Mercado de Trabalho, Mulheres no Esporte e Sensibilidade”.

A conversa foi debatendo desde o acesso a educação e aos bens e serviços sociais, ao espaço na política, assim como as demais conquistas que ainda não correspondem a todos os anseios das mulheres. Também foi discutido o espaço das femininas dentro do Fora do Eixo, uma rede que conecta cada vez mais pessoas em um conceito de trabalho feito pelas mulheres quanto pelos homens sem diferenciação de genêro, classe social e etnia. Sendo ocupado com organicidade e ressignificando movimento social, político e filosófico.

O filme exibido foi Frida Khalo, que traz a reflexão de que muitas foram as mulheres a frente de seu tempo que lutaram por igualdade de direitos, mostrando toda a força, criatividade e inteligência da mulher.

Coluna Fora do Eixo 364 – Conhece movimento de esportes radicais pelo espaço em Ji-Paraná

O Movimento de esportes radiais em Ji-Paraná luta pelo espaço no Ginásio de Esportes “Gerivaldão”. “Skate e BMX não são crimes”, é a frase da faixa que carregavam na Prefeitura Municipal, junto com vários cartazes como uma maneira para chamar atenção. Vários jornalistas estavam presentes registrando, esperando uma resposta e entendimento da situação.

O Grupo perdeu o espaço dentro do Ginásio, que hoje está sendo usado como feira de artesanato. Receberam uma proposta para utilização de outro espaço, mas o local ainda não está definido, e os esportistas estão utilizando a rua para treinar.

Os gestores da Coluna 364 apoiaram a luta e apresentaram formas de organizar o movimento, com a criação de contraproposta e sistematização das informações nesse coletivo.

Compacto.Arte Pré-Grito Rock – Ação Conjunta

Foto: Uill Alves

Com o intuito de interação colaborativa da Imagem com o ambiente comum o núcleo Poéticas Visuais, frente que trabalha com a representação da imagem no Fora do Eixo realizou no último dia 17 de Fevereiro uma intervenção artística.

Compacto. Arte, como forma de influência mútua com o ambiente comum, feita por vários artistas locais realizou um projeto idealizado pelo Coletivo Ser Urbano (São Paulo), onde teve início e já conta com mais de 135 artistas realizando este trabalho por diversos pontos da rede.

Foto: Uill Alves

Foto: Uill Alves

Foto: Uill Alves

Em ação conjunta com artistas plásticos, grafiteiros, escultores, designers, pintores e demais artistas visuais coletivizando para o Grito Rock 2012, os convidados Rita Queiroz, Bototo, João Zoghb, Gilson Castro, Margot Lira, Geraldo Cruz, Heli Chateaubrianv e Gaspar Knyppel fizeram uma intervenção de revitalização da casa, tiveram todo o espaço, tempo e as ferramentas para criar, deixando a casa transformada.

Foto: Neila Azevedo

Foto: Neila Azevedo

Foto: Neila Azevedo

O evento teve uma duração de nove horas de produção de arte, música, poesia. A casa ainda contou com debates e apresentação do circuito Fora do Eixo e um espaço para os artistas se integrarem e trocarem experiências e conhecimento. Um momento em que expressaram sua vontade de continuar produzindo, mas que também demonstraram a força para lutar pelo espaço cultural. Além disso, a ação contou com um momento de distração com a apresentação do “Circo Beradélico”, som feito pelos músicos convidados presentes que animaram e inspiraram a todos.

Foto: Neila Azevedo

Foto: Neila Azevedo

Foto: Neila Azevedo

Os trabalhos foram produtivos, mostrando os talentos que existem dentro da rede e aos que estão conhecendo. Uma forma de interação dentro do Coletivo CAOS para a comunidade artística prestigiar e se sentir motivada a trabalhar e mostrar seus trabalhos.

Foto: Neila Azevedo