Arquivos do Blog

Semana do Audiovisual Rondônia

No próximo final de semana de 17 a 19 de Agosto, o Coletivo Interior Alternativo e Casa Fora do Eixo Rondônia com apoio da Fundação Cultural de Ji-Paraná e Secretaria de Esporte, Cultura e Lazer – SECEL realizam em Ji-Paraná à primeira Semana do Audiovisual Rondônia. A SEDA faz parte de um festival integrado em todo o Brasil, com mostras, oficinas teóricas e práticas, conferências, debates, shows e outras atividades responsáveis por promover a intersetorialidade do audiovisual com outros segmentos artísticos.

 Até 2009 a SEDA era realizada apenas na cidade de Cuiabá – MT e em 2011, o evento expandiu-se para outras regiões do país, sendo realizado em 30 cidades diferentes e tornando-se um evento nacional integrado realizado pelo Fora do Eixo, uma rede de trabalho de coletivos e agentes culturais.

 A programação nessa edição abraçou a cultura local e regional com um dia de apresentações, shows, mostras e exposições que acontecem no primeiro dia (17) ao centro da Praça do Teatro Dominguinhos, fazendo abertura e lançamento da primeira Semana de Audiovisual em Rondônia. Além disso, o evento abre inscrições para as oficinas de formação (18 e 19) e espaço para debates sobre Políticas Públicas para a Cultura e cadeia criativa e produtiva do audiovisual com a presença de Marcos Aurélio Nobre Jr. – Gestor da Casa Fora do Eixo Rondônia e Conselheiro Municipal do Audiovisual em Porto Velho.

 O evento se posta como sendo palco de discussões sobre o desenvolvimento do mercado e da produção audiovisual independente, fomentando a circulação de agentes e produtos culturais, intercambiando oficineiros, produtores e mostras que possibilitam crescimento cultural e avanço expansivo de novas artes.

Programação completa:

Sexta (17) Teatro Dominguinhos – 18h00

Projeções, Exposições, Apresentações e Shows

 Orquestra em Ação – Orquestra Sinfônica de Ji-Paraná

Quarteto Uirapuru

Quarteto em Dó

Trio Tríade

Coral da Paz

Diego Alves

Jéssica Brunn

Comunidade Manoa (Porto Velho)

 Sábado (18) UNOPAR – 09h00 às 12h00 – 14h00 às 17h00

– Oficina Pós-TV – Transmissão de um programa de TV aberto e livre, transmitido ao vivo na web.

Domingo (19) UNOPAR – 09h00 às 12h00 – 14h00 às 17h00

– Oficina Cinema de Guerrilha – Introdução ao Cinema de Guerrilha, apresentando produções de baixo custo, valorizando processos criativos e inventivos.

– Roda de Debates – Desenvolvimento de Políticas Públicas e Conselho Municipal do Audiovisual.

Faça sua inscrição para as oficinas aqui:

Inscrições

Anúncios

Exposição Coletiva de Maio 2012 – Rio Madeira

A Casa de Cultura Ivan Marrocos deu abertura a exposição “Rio Madeira”, na  sexta-feira (08 de Maio) que está acontecendo até o dia 21 de Maio. Essa é a segunda parte do evento que reuniu artistas para criar e construir obras de forma coletiva e colaborativa em uma oficina que acontece anualmente em Porto Velho.

Na abertura do evento os artistas que mostraram em suas obras o valor do Rio Madeira, também puderam falar em alto e bom tom para a população sobre a vitória em conseguir reunir vários artistas  consagrados, aqueles que ainda estão apenas começando, ou até mesmo quem participou dessa experiência tão rica, de produzir e conviver juntos para conceber essas obras de arte.

João Zoghbi artísta plástico e chargista, falou sobre o significado desse evento, contando que a “Coletiva de Maio fez com que os artistas trabalhassem melhor e saíssem da casca, de seu atelier, e viessem para o mundo mostrar seu trabalho de uma maneira mais simples e mais ousada, trazendo um crescimento espiritual e técnico muito grande, se diferenciando do super ego dos artistas, ficando nivelado e equilibrado. Ainda citou que foi fantástico fazer uma semana de trocas de experiências com todos os artistas e aqueles que estão aspirando serem artistas”.

O evento é uma realização do Governo do Estado através da Secretaria de Estado, Esporte, Cultura e Lazer – SECEL e Casa de Cultura Ivan Marrocos com apoio cultural do Fora do Eixo Rondônia.

[UniFdE] Oficina “Coletiva de Maio 2012”

A Casa de Cultura Ivan Marrocos abriu as portas para a abertura da “Coletiva de Maio” (27 de Abril), evento anual realizado pelo Governo de Rondônia através da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer – SECEL. Neste ano está acontecendo em parceria com a Universidade Livre Fora do Eixo (UNIFdE) e o Núcleo de Poéticas Visuais Fora do Eixo em Rondônia.

Reunindo diferentes artistas que trabalharão em coletivo por uma semana (27 a 04 de Maio), criando e vivenciando esta experiência. O tema da oficina este ano é o “Rio Madeira” e a conversa inicial se deu em uma apresentação de todos participantes, que foram sugerindo e debatendo ideias, discutidas como critério para a criação das obras de forma coletiva e a escolha das Obras que estarão em exposição (08 a 21 de Maio).

A ideia é trabalhar com a inspiração do Rio e de tudo que ele envolve, desde seu barranco, os beradeiros, barcos, pesca, a cultura e todas as questões em que ele se encontra ultimamente. Os materiais usados seguem o mesmo conceito, os artistas decidiram trabalhar as obras de artes utilizando-se do papel como matéria prima e o Rio Madeira como o tema central da oficina. Fazendo a reutilização, minimizando o que corriqueiramente vai tem seu destino final nas margens ou no próprio rio, colaborando com o meio ambiente e preservando essa natureza.

Coletiva de Maio – Oficina de Arte “Rio Madeira”

Através das artes o homem eterniza sua singularidade e se distingue dos outros animais. Desde os tempos mais remotos o ser humano vem se expressando através de rabiscos e desenhos, deixando registros de grande importância desde as cavernas, o que muito contribuiu para o conhecimento da trajetória humana. Isso afirma que a relação do homem com as artes é literalmente orgânica.

Não importa o material ou a técnica que o artista utilize para criar a sua obra, seja papel, tela, barro, metais, pedra, gesso, madeira, lixo, cimento, tinta, giz, carvão, computador… O artista sempre lança mão da matéria prima que está ao seu alcance e do seu conhecimento técnico para expressar a sua idéia e a sua visão de mundo, exteriorizando o seu pensamento, simbolicamente. Neste ano os artistas decidiram trabalhar as obras de artes utilizando-se do papel como matéria prima e o Rio Madeira como o tema central da oficina.

Coletiva de Maio é um evento anual realizado pelo Governo de Rondônia através da Secretaria de Estado, dos Esportes, da Cultura e do Lazer – SECEL e neste ano está em parceria com a Universidade Livre Fora do Eixo (UNIFdE) e Núcleo de Poéticas Visuais Fora do Eixo em Rondônia. O evento reuni vários artistas, que juntos festejarem o Dia Nacional do Artista Plástico criado em homenagem ao artista José Ferraz de Almeida Júnior (Itú-SP), que nasceu no dia 08 de maio de 1850. Frequentemente aclamado pela historiografia como o precursor da abordagem de temática regionalista, Almeida Júnior introduz assuntos até então inéditos na produção acadêmica brasileira: o amplo destaque conferido a personagens simples e anônimos e a fidedignidade com que retratou a cultura caipira, suprimindo a monumentalidade em voga no ensino artístico oficial em favor de um naturalismo simples e paupável.

Uma contribuição para a valorização do artista plástico, ao mesmo tempo em que é uma oportunizando da comunidade a momentos de lazer cultural, além de contribuir para a democratização da arte, possibilitando a todos os visitantes a experimentação do fazer artístico.

A Oficina “Rio Madeira”

Nesta oficina não cabe ao artista subir o barranco e buscar inspiração em terra firme, mas ater-se ao rio enquanto elemento de pesquisa e fonte de inspiração. Suas canoas, barcos, troncos, prancha de lavar roupa, ouro, ilhas, espelho d’água, banzeiro, correnteza, peixes, botos, enfim, tudo que diz respeito ao rio, inclusive as usinas que estão sendo construidas. Um tema inspirador e ao mesmo tempo intrigante e misterioso, sinuoso e insinuante.

Oficina de Teatro “Corpo, Voz e Espaço” – Universidade Fora do Eixo

Oficina de Teatro “Corpo, Voz e Espaço” – Universidade Fora do Eixo

Corpo, voz e espaço

Em mais uma ação a Universidade Livre Fora do Eixo (UniFdE) em Rondônia, em parceria com Fora do Eixo Letras Rondônia (FEL/RO) e o Palco Fora do Eixo promovem a oficina “Oficina de teatro – corpo, voz e espaço”, com o objetivo de despertar e sensibilizar os atores para interpretações nos espaços de suas atuações. Proporcionar melhor capacidade  de desenvolvimento de habilidades com o corpo, espaço e voz no cenário da cidade.

Carlos Macedo Dias, conhecido como Mado é poeta, ator, diretor teatral e educador Popular e já tem diversas publicações em livros como: Das tripas ao marca passo, Armado se preciso for o poema, Papo de Taberna entre outros. Já no teatro atuou e dirigiu os espetáculos: Estreito BecoEspia PoesiaDiversosTempo bom com Poesias Passageiras.

A oficina é direcionada a atores iniciantes, e disponibilizará até 30 vagas e as inscrições estarão abertas até o dia 26 de Abril de 2012.

Ficha de inscrição

 

Local: Casa de Cultura Ivan Marrocos

Datas da Oficina:

27 de abril 19h ás 21h – Sexta-feira

28 de abril  16h ás 20h – Sábado

29 de abril 16h ás 20h – Domingo

Público: 20 e 30 pessoas.

Taxa: R$ 20,00.

 

 

Conteúdo Programático:

27 de abril (Sexta-feira) – Das 19h às 21h

  • Apresentação dos atores e participantes;
  • Tema da palestra inicial: Construindo o Entendimento.

·

28 de abril (Sábado) – Das 16h às 20h

  • 16h às 17e30h – Trabalhar o corpo a partir da realidade de cada indivíduo;
  • Intervalo de 15 minutos;
  • 17e45h às 20h – Trabalhar o olhar e  a voz através do coletivo.

29  de abril (Domingo) – Das 16h às 20h

  • Montagem de cena.

Coluna Fora do Eixo 364 – Vilhena

"Reunião Coletivo Ekatu" Foto: Neila Azevedo

Chegando em Vilhena por volta das quatro horas da tarde, Nettu Regert recebeu os gestores da coluna em sua casa, que após um descanso saíram para a reunião com o Coletivo Ekatu, seus colaboradores e parceiros. Com pessoas dispostas a conhecer e clarear mais o conceito sobre o Circuito Fora do Eixo, trocando experiências, conversando sobre a realidade da cultura e movimento social na cidade.

O encontro começou com uma reunião do Clube de Fotografia do coletivo, um movimento que começou agora integrando todos os fotógrafos e agregando as pessoas que querem aprender, discutir e divulgar seus trabalhos, de uma forma que exista o crescimento de todo o grupo. Esses encontros periódicos do Clube, são uma maneira de desenvolver essa e outras cadeias produtivas locais, estimulando cada vez mais pessoas a produzirem.

Após a reunião de fotografia outros convidados de diversas áreas como audiovisual, designer, comunicação, movimento social, meio ambiente e interessados por cultura fizeram uma troca de experiências e apresentação de seus trabalhos, como uma forma de integrar aqueles que ainda não se conheciam e criar uma dimensão de possibilidades.

Foto: Neila Azevedo

Em uma conversa madura e rica de conhecimentos, a reunião teve continuidade com uma apresentação do circuito Fora do Eixo,  os gestores não só explicaram como também fizeram um breve relato de seus trabalhos dentro da rede, demonstrando que o trabalho em coletivo rende muito mais, seja de forma econômica, seja de realização profissional, como também de forma de vida. “Vivendo para trabalhar e trabalhando para viver”, é a frase que define o que os gestores tentaram passar. A coluna teve o propósito de reunir e integrar novos agentes na rede, e visualizar esse trabalho no próximo grande evento que é o Grito Rock 2012.

Desenvolver as campanhas do festival, divisão de frentes de trabalho e sistematização de ferramentas são os primeiros passos para essa produção e realização. A mobilização para isso, foi repleta de muitas trocas entre todos, um momento de construção, de mudança e aprimoramento.

Foto: Neila Azevedo

O encontro acabou após a exibição de um vídeo do Festival Fora do Eixo, mostrando um pouco da dimensão desse trabalho. Com relatos de produtores e artistas de como foi o crescimento da rede e como se potencializou, fazendo com que isso se difundisse chegando até aquele momento na reunião, muito proveitoso e estimulante pra todos.

Texto:  Neila Azevedo

Coluna Fora do Eixo 364

Com a necessidade de conectar e mobilizar agentes e parceiros do Fora do Eixo, surgiu à indigência de fazer a coluna. A coluna 364 irá visitar cada cidade e seus respectivos Coletivos para a pré – produção do Festival Grito Rock, com objetivo de maior organização e integração entre os coletivos atuantes na rede.

Em seis dias de viagem do dia 06 ao dia 12 de fevereiro, serão visitados quatro cidades de Rondônia, com a saída da Casa Fora do Eixo Rondônia, localizada em Porto Velho. Os gestores Rafael Altomar, Marcos Nobre Jr. e Neila Azevedo irão percorrer a rota, cursando um caminho aproximado a 1.400 km, passando em Ariquemes, Ji-Paraná (Coletivo Interior Alternativo), Cacoal (Coletivo Arcus) e Vilhena (Coletivo Ekatu).

A viagem será registrada com vídeos, fotos e relatos dos encontros, serão postados nas redes sociais e blog. O intuito é mostrar como está o processo de desenvolvimento e aproveitamento, novas parcerias, soluções para respectivos problemas, trocas de conhecimentos e vivência, com o desígnio de aumentar e desenvolver a rede Circuito Fora do Eixo dentro do Estado de Rondônia.

2012 – Trabalho e Planejamento

Nosso ano já começou bem antes de soltarem os fogos deartifício, já que em 2011 tomamos decisões pesadas quanto a nossa posição noCircuito Fora do Eixo. Chegamos ao IV Congresso Fora do Eixo em peso, 16 colaboradoresdo Coletivo Cultura e Arte Organizando o Social – C.A.O.S.  presentes, dispostos a participarintegralmente de todos os debates, reuniões livres, seminários e oficinas, alémde participar da produção, contribuindo com o trabalho durante o Congresso.Marcos Nobre Júnior, Gaspar Knyppel, Gracildo Júnior e Thiago Maziero chegarama Casa Fora do Eixo São Paulo no dia 05 de dezembro, e já entraram no ritmo, etodos os outros gestores pousaram na casa dia 10, muito felizes por estarfazendo parte, buscando trocar, vivenciar e aprender.
Fora do Eixo – Regional Norte
No dia 23 de dezembrovoltamos pra Casa Fora do Eixo Rondônia, emocionados, e cheios de energia para continuar com todaforça e velocidade o nosso trabalho, amadurecidos e cheios de ideiasnão tivemos nem tempo para o natal em família, pois a partir daí, começamosnosso planejamento anual, “2012 já estava acontecendo”, era nosso pensamento. Avirada do ano chegou com os “Amigos do CAOS Especial 2012”, o evento foi umsucesso, além das atrações musicais, tivemos o Compacto Arte e o Clube deCinema exibindo filmes, uma noite linda, repleta de arte.
Durante essas duas semanas, fizemos uma imersão deplanejamento e organização das Frentes de trabalho do Coletivo, além de váriasreuniões que ajudaram a definir nossas ações durante o ano. Tivemos algumas reuniões que foram bem importantes, como a do Banco, onde estava presente oMHF, que fomentaram a criação de um Banco Comunitário e nossa moeda, tambémtivemos uma reunião do PCULT, fazendo um balanço de como foi 2011, sobre oplanejamento de como iremos agir em 2012, quem são nossos parceiros políticos ea luta do Movimento Regula Cultura Rondônia.
Trabalhamos várias questões organizacionais, como nossoOrganograma de divisão de frentes de trabalho, e nosso fluxograma de comotrabalhamos dentro dessas frentes. O ano só está começando e o trabalho écontínuo, nossas conquistas são diárias, aprendemos uns com os outros, vivemosem coletivo, e promovemos a cultura, ainda virão muitas vitórias.
Texto: Neila Azevedo

Informação e Conhecimento Livre

Neste sábado dia 08, aconteceu a oficina audiovisual destinada aos participantes da Feira Estadual de Economia Solidária e Agroecologia, no laboratório de informática da Federação dos Portadores de Deficiência de Rondônia – FEDER. O Coletivo foi representado por o Marcos Nobre Júnior, ministrando a oficina de Vídeo.

Os alunos passaram por uma introdução do que é necessário para fazer um vídeo, que conforme sua finalidade tem seus métodos de produção, e em um intercâmbio de informações obtiveram resposta às dúvidas, eles aprenderam que para fazer um vídeo de qualidade é necessário passar a idéia principal, ou seja, ter um foco. Como exemplo, os alunos assistiram a vídeos, que são produzidos pelo Coletivo, feitos especialmente para WEB, que utilizam métodos mais simples e criativos, diminuindo tempo e recursos.  Após a introdução, as dúvidas foram outras, o ministrante, falou sobre os equipamentos necessários, programas de edição, e como fazer a construção de um roteiro.
Marcos desenvolveu o trabalho de forma descontraída, deixando o ambiente harmonioso, de forma que todos pudessem contribuir na oficina.

(texto e foto por Neila Collie)

Coletivo C.A.O.S – Cultura e Arte Organizando o Social

Ponto Fora do Eixo Rondônia